A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
(Curta / Salve / Siga) Soluções II (solubilidade)

Pré-visualização | Página 2 de 3

saturada dissolvendo 65 g de sa-
carose em 25 g de água a 50 °C. A quantidade de água a ser adi-
cionada a essa solução inicial, de modo que, quando a solução 
resultante for resfriada até 30 °C tenhamos uma solução satu-
rada de sacarose em água, sem presença de precipitados, é 
de aproximadamente
a. 2,5 g.
b. 4,5 g.
c. 10,0 g.
d. 15,8 g.
e. 40,0 g.
575. UEL-PR 
O cimento Portland apresenta composição predominante 
de óxido de cálcio, além de sílica, alumina e óxido de ferro. Em 
prédios construídos à beira-mar, a maresia provoca a substitui-
ção do hidróxido de cálcio por sulfato de cálcio. O volume ocupa-
do por 1 mol de CaSO4 é 1,5 vezes maior que o volume ocupado 
por 1 mol de Ca(OH)2.
Dados
Massas molares: (g/mol) H = 1; O = 16; S = 32; Ca = 40
Solubilidade: (g/100 mL de água, 20 °C ): CaSO4 = 0, 0021; 
Ca(OH)2 = 0, 173
Temperatura de fusão (°C): CaSO4 = 1 460; Ca(OH)2 = 512
Com base no texto, nos dados e nos conhecimentos so-
bre substâncias, analise as afirmativas.
I. A densidade do CaSO4(s) é 1,2 vezes menor que a do 
Ca(OH)2(s).
II. 136 g de CaSO4(s) e 74 g de Ca(OH)2(s) apresentam igual 
número de átomos de cálcio.
III. À temperatura de 1 000 °C, os estados físicos das 
substâncias CaSO4 e Ca(OH)2 são iguais.
IV. 200 mL de soluções aquosas distintas, preparadas 
dissolvendo-se 0, 1 g de CaSO4(s) e 10 g de Ca(OH)2(s), a 
20 ° C, são saturadas.
Assinale a alternativa correta.
a. Somente as afirmativas I e II são corretas.
b. Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c. Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d. Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e. Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
576. UEPG-PR
O quadro contém dados sobre a solubilidade da glicose em 
água. Com base nele, assinale o que for correto.
Temperatura (oC)
Solubilidade da glicose 
em 100 g de água
25 91 g
30 125 g
50 244 g
70 357 g
90 556 g
01. Adicionando-se 200 g de água a 1 kg de glicose e 
aquecendo-se a mistura a 90 °C, o sistema constitui-
rá uma solução saturada.
02. Uma solução formada por 20 g de água e 20 g de gli-
cose, aquecida a 50 °C, estará insaturada.
04. Se uma mistura formada por 100 g de glicose e 50 g 
de água for aquecida a 50 °C e resfriada lentamen-
te até a temperatura de 30 °C, todo o soluto poderá 
manter-se em solução por algum tempo, formando 
uma solução supersaturada.
08. Se uma solução preparada com 20 g de água e 50 g 
glicose for adicionada a outra solução preparada com 
130 g de água e 130 g de glicose, à temperatura de 
30 °C, a nova solução estará insaturada.
16. Adicionando-se 100 g de glicose a 100 g de água à 
temperatura de 25 °C, tem-se uma solução saturada e 
ocorre formação de precipitado no fundo do recipiente.
Dê a soma dos números dos itens corretos.
577. UNCISAL
A rapadura, um produto sólido de sabor doce, tradicional-
mente consumida pela população do Nordeste do Brasil, ori-
ginou-se das crostas presas às paredes dos tachos, durante a 
fabricação do açúcar.
Atualmente, o posicionamento da rapadura como “produ-
to natural” ou “produto rural” é um valor agregado que a dife-
rencia do açúcar refinado, seu principal concorrente. A produ-
ção da rapadura, a partir do caldo de cana, envolve as etapas 
apresentadas a seguir
Caldo de cana
Concentração
Moldagem e
secagem
Rapadura
Comercialização
e distribuição
Mel
Cristalização
Açúcar
mascavo
Uma partida de cana para fabricação de rapadura foi cor-
tada após 12 meses de plantio e forneceu um caldo com con-
centração de sacarose igual a 16 g/100 mL.
Com base nessas informações, afirma-se que
I. a sacarose não contribui para a condutividade elétrica 
do caldo de cana.
II. a solubilidade da sacarose em água, a 20 °C, é maior 
que 16 g/100 g.
III. a densidade do caldo de cana deve ser igual à densi-
dade da água.
Está correto o contido em
a. I e II, apenas.
b. I e III, apenas.
c. II e III, apenas.
d. I, apenas.
e. I, II e III.
578. Mackenzie-SP
A solubilidade do cloreto de potássio (KC) em 100 g de 
água, em função da temperatura, é mostrada na tabela a seguir
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
CA
P. 
10
QU
ÍM
IC
A 
13
2
29
5
PV
2D
-1
7-
50
Temperatura (°C)
Solubilidade 
(g de KC em 100 g de água)
0 27,6
10 31,0
20 34,0
30 37,0
40 40,0
50 42,6
Ao preparar-se uma solução saturada de KC em 500 g de 
água, a 40 °C e, posteriormente, ao resfriá-la, sob agitação, até 
20 °C, é correto afirmar que
a. nada precipitará.
b. precipitarão 6 g de KC.
c. precipitarão 9 g de KC.
d. precipitarão 30 g de KC.
e. precipitarão 45 g de KC.
579. Fuvest-SP
160 gramas de uma solução aquosa saturada de sacaro-
se a 30 °C são resfriados a 0 °C. Quanto do açúcar se cristaliza?
Temperatura °C
Solubilidade da sacarose 
(g/100 g de H2O)
0 180
30 220
a. 20 g
b. 40 g
c. 50 g
d. 64 g
e. 90 g
580. UEM-PR (adaptado) 
Dado o quadro referente à curva de solubilidade de um 
sal qualquer AB, cuja massa molar é 100 g/mol, em função 
da temperatura, e considerando-se que a equação que re-
presenta esses dados é da forma y = ax + b, assinale o que 
for correto.
Temperatura (°C) Solubilidade de AB (g / 100 g H2O)
0 1,50 · 10–2
10 1,40 · 10–2
20 1,30 · 10–2
30 1,20 · 10–2
40 1,10 · 10–2
50 1,00 · 10–2
01. O coeficiente linear da equação que representa os 
dados da tabela dada é 1,50 · 10–2.
02. A 75 °C, a solubilidade de AB será de 7,5 · 103 g/100 g 
de H2O. 
04. Adicionando-se 6 · 10–3 de AB a 50 mL de água a 50 °C 
haveria a formação de 1 · 10–3 g de corpo de fundo 
(corpo de chão).
08. Uma solução saturada de AB, sem corpo de fundo, foi 
feita a 30 °C e, posteriormente, resfriada lentamente 
até 10 °C, obtendo-se dessa forma uma solução su-
persaturada.
Dê a soma dos números dos itens corretos.
Veja o gabarito desses exercícios propostos na página 303.
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
QU
ÍM
IC
A 
13
2
30
3
PV
2D
-1
7-
50
GA
B.
520. a. 3 000 g
b. y = 42%
 Módulo 27
521. y = 4,28 · 101 = 42,8 g
522. x = 11,20 L
523. x = 365 g de HC
524. C
525. x = 318 g de Na2CO3
526. B
527. B
528. D
529. E
530. x = 321 kg
531. A 532. D
533. Os dois gases formados pelo processo são o monóxido 
de carbono e o dióxido de enxofre.
x = 67 200 L de CO(g)
Assim, podemos dizer que o volume de SO2(g) produzido 
também é de 67 200 L.
534. A 535. D
536. x = 0,125 g de H2
y = 2,10 L de gases formados
537. D 538. C
539. a. O nome do fenômeno que ocorre com o titânio é alo-
tropia. O titânio metálico é considerado um bom con-
dutor térmico, já que a ligação presente no retículo 
cristalino é metálica. Nesse caso, existem elétrons 
livres. O minério de urânio é um péssimo condutor 
de eletricidade, porque apresenta ligação iônica; 
nesse caso, os íons ficam presos no retículo.
b. x = 240 kg ou 240 000 g de Ti
540. D
 Módulo 28
541. a. I e VI
b. IV e V
c. II, III e VII
542. I. Verdadeira. Apresentam efeito Tyndall, o qual con-
siste na reflexão da luz sobre a superfície das partí-
culas coloidais.
II. Falsa. Por serem muito pequenas as partículas co-
loidais, a ação gravitacional é mínima sobre elas; 
portanto, não sedimentam.
III. Falsa. 1 nm < coloides < 1 000 nm
543. Dispergente: gases N2(g), O2(g) e Ar(g).
Disperso: partículas sólidas (poeira, pólen, fuligem).
544. B
545. a. Todos
b. Chantilly: o disperso é o ar, e o dispergente é o creme 
de leite. 
 Pão: o disperso é o gás carbônico, e o dispergente, 
a massa.
 Sorvete: o disperso é o ar, e o dispergente, a massa.
c. Chantilly e sorvete: espuma líquida.
 Pão: espuma sólida.
546. E
547. D
548. D
549. D 
550. E
551. B
552. E
553. C
554. B
555. a. Temos dois “estados da matéria”, uma vez que a fuma-
ça é uma dispersão coloidal de fuligem (carbono sólido) 
em gases liberados na combustão (CO2, CO, H2O, etc.).
b. Não. De acordo com a lei de Lavoisier, num sistema 
fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à 
soma das massas dos produtos. Nesse caso, o siste-
ma está aberto e não se leva em conta a massa de 
oxigênio, presente no ar, que vai reagir com a madeira.
556. A
557.