Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Formação de Conselheiros - Conselhos Tutelares - M1

Pré-visualização | Página 1 de 1

CENTRO DE GESTÃO E ENSINO A DISTÂNCIA - CGEEaD 
 Exercício de Fixação - 2021.1 
 Disciplina: Formação de Conselheiros - Conselhos Tutelares 
 Professor: Erismar Oliveira 
 E-mail: erismar@cgoconsultoria.com 
 
erismar@cgoconsultoria.com www.cgoconsultoria.com (62) 98580-1749/ 8590-3811 
Página 1 de 2 
 
PEÇO UM MINUTINHO DE SEU PRECIOSÍSSIMO TEMPO, CASO POSSÍVEL: SIGA-ME, SALVE E CURTA OS MATERIAIS 
 
A proteção social da criança e do adolescente
▪ Exercício Avaliativa Módulo 1
 
Questão nº 1: Com o objetivo de fixar as normas que dão fundamentação ao curso e também à atuação dos 
Conselhos Tutelares, identifique a resposta correta. 
 
GABARITO: 
Consagra os princípios e todo um escopo de proteção à infância e promover a assistência especial à criança, 
objetivando a sua formação plena como cidadão conseqüente e responsável. 
 
Resposta 1: Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança (Decreto n° 99.710/1990) 
 
Instrumentos legais extremamente importante para a implantação e funcionamento dos conselhos, pois nelas 
devem estar descritas, por exemplo, a organização do processo de escolha dos conselheiros, a previsão dos 
recursos necessários para o funcionamento dos Conselhos, inclusive para o custeio das despesas sobre o 
pagamento, direitos sociais e formação continuada dos conselheiros tutelares, conforme previstos no art. 134 
do ECA. 
 
Resposta 2: Leis Municipais 
 
Atos administrativos jurídicos que disciplinam sobre determinadas situações. No caso do Conanda (Conselho 
Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), CEDCA (Conselhos Estaduais dos Direitos da Criança e 
do Adolescente) e CMDCA ( Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente), são definições 
em nível nacional, estadual e municipal sobre políticas de promoção, proteção e defesa dos direitos das 
crianças e adolescentes, temas prioritários para o trabalho dos Conselhos Tutelares. 
 
Resposta 3: Resoluções 
 
Internaliza preceitos contidos nos tratados e no direito internacional para o direito brasileiro, com uma visão 
das crianças e adolescentes como sujeitos de direito. 
 
Resposta 4: Estatuto da Criança e do Adolescente 
 
Trata-se do texto fundamental do ordenamento jurídico brasileiro, que apresenta os princípios e normas 
fundamentais, que servem de fundamento para o direito nacional 
 
Resposta 5: Constituição da República 
 
 
Questão nº 2: A partir da doutrina da proteção integral, prevista no art. 227 da Constituição da República e 
nos artigos 1º e 100 º, parágrafo único, inciso II, do ECA , identifique a afirmação como VERDADEIRA OU 
FALSA 
mailto:erismar@cgoconsultoria.com
 CENTRO DE GESTÃO E ENSINO A DISTÂNCIA - CGEEaD 
 Exercício de Fixação - 2021.1 
 Disciplina: Formação de Conselheiros - Conselhos Tutelares 
 Professor: Erismar Oliveira 
 E-mail: erismar@cgoconsultoria.com 
 
erismar@cgoconsultoria.com www.cgoconsultoria.com (62) 98580-1749/ 8590-3811 
Página 2 de 2 
Crianças e adolescentes são sujeitos de direitos. Deixam de ser passivos, tornando-se 
ativos, ou seja, titulares dos direitos 
Resposta 1
VERDADEIRA
 
Crianças e adolescentes estão em condição peculiar de pessoa em desenvolvimento. 
Resposta 2
VERDADEIRA
 
O conselheiro deve construir as alternativas de proteção e informar suas decisões 
exclusivamente aos pais e responsáveis envolvidos na situação. 
Resposta 3
FALSA
 
Surge como resposta à política “menorista”, ou a doutrina de “situação irregular” que 
esteve vigente por muitos anos no nosso país. 
 
 
Resposta 4
VERDADEIRA
 
 
 
Questão nº 3: O Código de Matos primeira experiência relacionada a sistematização dos direitos específicos 
à criança e ao adolescente no Brasil. 
 
O Art. 1º, do Código, define “O menor, de um ou outro sexo, abandonado ou delinquente, que tiver menos 
de 18 anos de idade, será submetido pela autoridade competente ás medidas de assistência e proteção contidas 
neste Código.” 
 
As concepções que fundamentavam as leis e também o olhar da sociedade, eram Higienistas no sentido de 
traduzir a necessidade de “limpar e organizar”, além de proteger a sociedade daqueles que viviam em condição 
irregular, perturbadores da ordem pública. 
 
Estatuto da Criança e Adolescente, de 1990, um marco para a política de proteção da criança e do 
adolescente no Brasil que redireciona a política adotando a Doutrina da Proteção Integral – um novo 
paradigma para o direito infanto-juvenil. 
 
mailto:erismar@cgoconsultoria.com