A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Era Vargas

Pré-visualização | Página 1 de 1

(
Era Vargas
)Historia
Atuação do estado
Crise de 1929: superada pela rápida e competente ação do estado. Baseado em proteger a economia e orientá-la no sentido da industrialização.
Governo provisório
De 1930 até 1934. Houve a criação de uma lei que modificava a constituição de 1891, estabelecendo centralização do poder, fechamento do congresso e nomeação de interventores, criação dos ministérios da saúde, educação, trabalho, indústrias e comércio. Apoio da legislação trabalhista.
Revolução constitucionalista de 1932: São Paulo lutava por uma constituição. Em 23 de maio houve a morte de Martins, miragaia, Dráuzio e Camargo, que virou símbolo da luta, iniciada em 09/07/1932. Mato grosso apoiou São Paulo, que perdeu no campo de batalha, mas ganhou moralmente.
Constituição de 1934: eleições diretas para presidente. Voto secreto, voto feminino, eleitores a partir dos 18 anos, obrigatoriedade do salário mínimo e o subsolo pertencia ao governo.
Governo constitucional
Criação da previdência social, com agitações entre direita e esquerda.
Aib: ação integralista brasileira - Plínio Salgado como candidato, eram nazi-fascistas, chamados de galinhas verdes.
Anl: aliança nacional libertadora - alienista Luis Carlos Prestes como candidato. Eram socialistas e contra Vargas.
Intentona comunista (1935): levante de soldados de natal, recife e rio de janeiro, que foram reprimidos pelo governo.
Plano Cohen (1937): ameaça comunista de invasão ao brasil. Fim do governo constitucional.
Governo ditatorial
De 1937 até 1945. Chamado também de estado novo, foi um período inspirado no fascismo. Constituição ortogada copiada da Polônia (polada):
· Mandato de 06 anos
· Eleições indiretas
· Pena de morte
· Criação do dip (divulgação da imagem de Vargas)
· Criação da "hora do Brasil"
· Ensino de educação e moral
· Músicas nacionalistas e adoção de livros didáticos que promoviam o governo.
Cangaço: banditismo social roubava dos ricos para dar aos pobres e justiça com as mãos.
Brasil e EUA: política da boa vizinhança, Brasil pandeiro
Industrialização
Houve o processo de industrialização planejado, o estado criou incentivos fiscais e forneceu créditos, foram criados mecanismos de controle social, mantendo controle do operariado. Houve investimento em setores estratégicos, como indústrias de base.
1930-1940: A participação do estado é um apoio. Preexistência de um parque industrial que foi fundamental. Uso da capacidade ociosa da industria: o estado ajuda na produção. Além disso, houve substituição de importações, onde produtos importados passam a ser produzidos. Com isso, houve acúmulo de capitais que puderam ser reinvestidos. Maquinário importado de empresas dos EUA que faliram na crise.
1940-1950: Atuação direta no estado. O estado não empresta mais dinheiro para montar indústrias e monta por si só. Ex: companhia siderúrgica nacional, a companhia vale do rio doce, a fábrica nacional de motores e a companhia hidrelétrica de são Francisco.
Mudanças estruturais
· Base da economia torna-se industrial;
· Grande importância do mercado interno;
· Crescimento populacional urbano maior que rural;
· Aumento da importância da burguesia industrial, financeira e do operariado.
· Segunda guerra
· Eixo: Itália - Alemanha - Japão
· Aliados: EUA - URSS - Inglaterra
O Brasil apoiou os EUA a partir de um acordo. Em 1942, os navios alemães atacaram navios brasileiros, que declararam guerra ao eixo. O Brasil venceu a batalha de monte Castello, na Itália.
Fim da era Vargas
Aliados vencem a guerra e libertam países das ditaduras. Vargas propõe a abertura democrática e ocorrem novas eleições. Queremismo: movimento do dip para que Vargas permanecesse no poder. Tropas invadiram o palácio e o obrigaram a renunciar.