A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Anatomia - Articulações

Pré-visualização | Página 1 de 2

Articulações 
Objetivos de aprendizagem:
· Conceituar sistema articular 
· Compreender os tipos de articulação, quanto aos tipos de tecidos interpostos entre as superfícies ósseas. 
· Classificar e nomear as articulações fibrosas e cartilaginosas presentes no esqueleto axial e seus elementos acessórios. 
· Classificar e nomear as articulações fibrosas e cartilaginosas presentes no esqueleto apendicular superior e inferior e os elementos acessórios
Definição:
· Faz parte do aparelho locomotor, que compreende os sistemas esqueléticos, muscular e articular. Esses 3 sistemas promovem a locomoção. 
· A articulação é responsável por unir 2 ou 3 ossos e, juntamente, com o sistema muscular, realiza movimentos entre os ossos ou apenas a ligação entre eles, proporcionando a movimentação. 
· É a conexão que existe entre as partes do esqueleto. Vão estar fixados ou apresentar espaços. Põem estar juntamente unidos ou mais separados, depende o tipo de elemento que vai estar separando a articulação. 
Tipos de articulações: são classificadas quanto ao tecido que está interpondo um osso a outro.
· Fibrosas: apenas os movimentos vibratórios. 
· Cartilagíneas: são semimóveis, dependem do elemento que está interpondo. Podem ser temporárias ou permanentes. 
· Sinoviais: apresentam amplo movimento. Ex: cotovelo, ombro, falanges, punho, tornozelo, quadril. A maioria presente nos membros superiores e inferiores, onde possuímos maior mobilidade.
Articulações Fibrosas: (classificação morfológica- possui movimento vibratório, apenas, e toda articulação fibrosa, o tecido que interpõe é T.C.F)
· Suturas
· Sindesmoses
· Gonfoses
Calota craniana:
· observamos nos ossos: frontal, parietal e occipital. 
· Crânio fetal: neurocrânio é maior que o viscerocrânio, pois esse ainda vai crescer. Entre os ossos, observamos uma grande quantidade de tecido conjuntivo fibrosa, que em determinadas regiões, apresenta um espaço maior, os fontículas (moleira). Frontal e parietal; occipital e parietal; temporal e parietal. 
· Anterossuperior: entre frontal e temporal; (maior) 
· Póstero-lateral: parietal e occipital; 
· Anterolateral: entre frontal, temporal, parietal, esfenoide; 
· Póstero lateral: temporal, parietal e occipital;
Importância: 
· Permite o crescimento do encéfalo até uma determinada idade. +/- 2 anos.
· Na hora do parto, esses ossos se aproximam, diminuindo a circunferência do crânio para a passagem do bebê pelo canal vaginal. 
· Servem para diagnóstico clínico: uma criança desidratada (depressão), estado febril alto (fica mais proeminente), Aminingite (retira-se o LCR). 
· Toda criança deve ir ao pediatra, para que ele meça o tamanho do crânio, para diagnóstico de patologias. Por exemplo: hidrocefalia, no qual o LCR não é drenado, ele é produzido pelo SNC, e se ele não for reabsorvido, retém e empurra o encéfalo, atrapalhando no desenvolvimento da criança, à medida que destrói os neurônios. Para facilitar a drenagem, pode ser instalado uma válvula de drenagem, que drena para a região de peritônio. 
· Nos adultos, isso também pode ocorrer ao longo da vida. É chamada de pressão intracraniana, defeito na drenagem do LCR, leva a dor de cabeça, perda de equilíbrio. Através de exames, pode-se colocar essa válvula para a drenagem. O crânio não deforma, pois os fontículas já se fecharam. 
As articulações fibrosas suturas:
· Encontradas apenas no crânio. 
· Classificação morfológica e a denominação. (forma que os ossos se conectam e o elemento que interpõe)
Articulação fibrosa sutura plana (classificação morfológica): unida no sentido linear,
· entre os ossos nasais = sutura Inter nasal (denominação). Articulação fibrosa sutura plana (linear) 
· no processo palatino da maxila e o osso palatino, existe a Sutura Palatina mediana, localizada na região media do palato. Unindo o osso palatino e ao processo palatino da maxila, existe a articulação fribrosa palatina, a sutura palatina transversal. 
- Problemas: falta de vitamina na gravidez, uso de drogas, bebidas, remédios, radiações, heranças genéticas => problemas na articulação, por exemplo, a fissura labiopalatal. Essa fissura atinge o lábio superior, o palato duro, podendo atingir até o palato mole. O palato forma o assoalho da cavidade nasal, podendo aspirar o leite e ir para a região da naso-faringe, atingindo até o pulmão. A partir dos 12 meses, pode ser feita a correção do palato duro. É o não fechamento, ou ausência dos ossos palatino e da maxila. 
Articulações fibrosa sutura denteada ou serrátil: (classificação) 
· Se conectam entre um osso e outro na forma de serras.
· Entre, existe T.C.F. 
Denominações: 
· Encontrado ente os ossos frontal e parietal: sutura coronal. Anterior e superior. 
· Entre os ossos parietais: sutura sagital. Num corte sagital mediano. 
· Entre os ossos parietais e occipital: sutura lambdóide. Posterior. 
Articulações fibrosa sutura escamosa:
· Entre o osso parietal e temporal, existe essa articulação que está conectada em forma de bisel, em forma de uma escama de peixe, ela se encaixa. Não possui movimento. 
· Articulação tempero-parietal ou articulação sutura-escamosa. 
· É a única articulação sinovial. (tempero-mandibular) 
- Problemas: Cranioestenose: corresponde ao fechamento precoce de 1 ou 2 fontículos, apresentando uma deformidade na circunferência da criança. Pode ser realizada uma cirurgia, cortando uma parte do crânio e deixando aberto, para ter espaço para crescer. Às vezes, vai desenvolver sozinha, mas se for muito precoce, atrapalha o desenvolvimento do encéfalo.
· Plagiocefalia anterior: fechamento de um lado da sutura coronal. 
· Plagiocefalia posterior: fechamento da sutura lambdóide
· Braquiocefalia: fechamento das suturas coronais. 
· Escafocefalia: fechamento da sutura sagital. 
Articulação fibrosa sindesmose: 
· Sindesmose por serem encontradas nos membros superiores e inferiores. Ex: ulna e rádio, a união na região do antebraço, nas margens desses ossos. Feito por TCF, a membrana interóssea do braço, que corresponde a essa articulação fibrosa sindesmose. 
· Essa articulação rádio-ulnar é fibrosa, mas é uma falsa sindesmose, pois na supinação e pornação, realiza movimento, sendo classificadas como planas. 
· Apenas a membrana interóssea 
· Um osso não se sobrepõe sobre o outro, portanto, não realiza movimento, sendo sindesmose. 
· A tíbia e a fíbula também unem por TCF, tendo a membrana interóssea da perna. Articulação fibrosa sindesmose, tíbia-fibular distal. É uma. A perna não roda um osso sobre o outro, e é tão sem movimento, que é reforçada por ligamentos tíbio-fibular distal anterior, e na vista posterior é o lig tíbio-fibular distal posterior. Articulação é a conexão entre um osso e outro, onde tem TCF. 
· Como a perna é grande e pesada, os ligamentos reforçam essas articulações. 
Articulação fibrosa gonfose: 
· Como se fosse um pino, que se encaixa. 
· Encontrado entre as raízes e o processo alveolar do dente. A raiz é fixada por lig. o TC liga a raix do dente ao osso. 
· Por isso que o osso só tem movimento vibratório. 
· Corresponde à articulação dentoalveolar. 
· Apenas na região da maxila e mandíbula, onde estão implantados os dentes. 
Articulações cartilagíneas: 
· Divididas em articulações cartilagíneas sincondrose e sínfise. 
· A do tipo sincondrose possui cartilagem hialina entre as articulações. Esse tecido tem a tendência de se ossificar. Já a sínfise, não se ossifica. 
· São consideradas semimóveis. 
Sincondroses: 
· Cartilagem residual entre dois ossos ou partes do mesmo osso. 
· Temporária 
· Permanente
Sínfises: 
· Dois ossos unidos por um disco fibrocartilaginoso, normalmente, são reforçados por ligamentos. 
Articulação cartilagínea sincondrose: 
Cartilagem epifisial: 
· Entre a epífise e a diáfise dos ossos longos. 
· Cartilagem hialina 
· Denominação: cartilagem epifisial. 
Cartilagem costoesternal:
· Permanente 
· Entre o osso esterno e a costela 
· Cartilagem hialina, mas não ossifica, pois há a necessidade de expansão da caixa torácica. 
· Entre o manúbrio e o corpo do esterno. 
· Entre as costelas