A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Cirurgias primárias de lábio e palato em pacientes fissurados

Pré-visualização | Página 1 de 1

PACIENTES COM FISSURAS LABIOPALATINAS (Pacientes com fissuras labiopalatinas) 
 
De lábio e palato no paciente fissurado 
A queiloplastia e a palatoplastia representam as primeiras cirurgias 
plásticas reparadoras executadas durante o longo e complexo 
processo de tratamento das fissuras. 
As cirurgias primárias são realizadas em tecido mole, ainda na primeira 
infância, com o objetivo de reconstruir o defeito morfológico. 
Em conjunto com as demais abordagem terapêuticas, contribuem 
decisivamente para a reabilitação destes pacientes. 
Protocolos cirúrgicos 
2001 - Shaw et al. realizaram um levantamento e demonstraram que 
na literatura existem cerca de 194 protocolos diferentes de 
tratamentos. 
Protocolo do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais 
(HRAC?USP) 
CIRURGIA FL-U FL-B FLP-U FLP-B FP 
QUEILOP. 
3 
meses 
3 
meses 
(único) 
ou 3 à 
6 
meses 
(dois 
tempos) 
3 
meses 
3 
meses 
- 
PALATOP. - - 
12 
meses 
12 
meses 
12 
meses 
QUEILO. 
DEF + 
COLUMELA 
- 6 anos 6 anos 6 anos - 
Técnicas cirúrgicas: 
Queiloplastia 
 Millard - usado em fissuras labiais unilaterais e que faz uso 
de dois retalhos. 
 Spina - usado em fissuras bilaterais e que envolve a adesão 
de ambas as vertentes ao prolábio e o preenchimento do 
vermelhão labial. 
Palatoplastia 
 Von Langenbeck - faz uso de retalhos mucoperiosteais 
locais. 
É a cirurgia de reconstituição da fissura labial, sendo idealmente 
realizada entre os 3 e 6 meses de idade, se a criança tiver alcançado 
as condições mínimas necessárias para submeter-se ao procedimento 
com segurança. 
Reconstrução de toda a estrutura anatômica do lábio - mucosa, 
músculo e tecido cutâneo. Deve-se corrigir: 
 Altura do lábio 
 Achatamento alar 
 Assimetria das narinas 
 Alongamento da columela do lado fissurado 
 Posicionamento do septo nasal 
 Reestabelecimento do filtro e vermelhão labial 
 Transferência do sentido das fibras musculares (músculo 
orbicular do lábio) 
Embora existam relatos de queiloplastia do ano de 390 a.C., na China, a 
cirurgia plástica não dispõe ainda de uma técnica operatória perfeita, 
que reabite sem cicatriz e sem que haja interferência sobre o 
crescimento do complexo nasomaxilar. 
De modo geral, a cirurgia moderna respeita alguns princípios para 
garantir o sucesso das queiloplastias: Ressecção mínima dos tecidos 
das vertentes labiais; Preservação dos caracteres anatômicos pré 
existentes no lábio do fissurado; Reconstrução do lábio em três planos 
teciduais (mucoso, muscular e cutâneo) 
(tecnica de millard) 
Existem várias técnicas para realizar a queiloplastia no fissurado Millard 
(1955) propôs uma técnica baseado no uso de dois retalhos (um de 
avanço e outro de rotação) 
Um retalho de avanço da vertente lateral do lado fissurado (do lado da 
fissura) 
Um retalho de rotação da vertente medial do lado não fissurado 
Resulta uma cicatriz vertical em forma de um Z alto que simula a linha 
filtral. 
 
O retalho medial retifica a columela e o septo nasal e, juntamente com 
o encaixe do retalho lateral permite um melhor dimensionamento da 
simetria das narinas. 
Usa-se, rotineiramente, o retalho cutâneo muscular lateral do lábio para 
o preenchimento do tubérculo do vermelhão do pró lábio, com a 
finalidade de projeta-lo (geralmente encontra-se hipoplásico) 
(tecnica de spina) 
Diferentes técnicas já foram descritas 
A maioria das técnicas necessita de tratamento ortopédico prévio 
A técnica de Spina dispensa o tratamento ortopédico prévio 
Visa restabelecer a continuidade do lábio pela adesão de ambos os 
segmentos ao prolábio 
Normalmente necessita de uma outra queiloplastia (queiloplastia 
definitiva) por volta dos 6 anos de idade 
Prolábio - dois aspectos importantes: 
 Altura - base da columela e a linha que limita o vermelhão; 
Deve ser comparada à altura das vertentes laterais 
 Espessura do vermelhão: Deve ser comparado a espessura 
do vermelhão do lábio 
Classificar o vermelhão do prolábio em: Hipodesenvolvido – fino; 
Desenvolvido - espesso 
Classificar a pre-maxilar em relação aos 
segmentos maxilares: Projetada; Não 
projetada 
Prolábio hipodesenvolvido + pre maxila 
projetada 
Prolábio desenvolvido + pre maxila projetada 
Prolabio hipoplasico + pre maxila alinhada Prolábio desenvolvido + pre 
maxila alinhada = cirurgia diretamente (reconstrução total do lábio 
superior aos 3 meses de idade) 
 
É bem verdade que a pré maxila tem recebido, ao longo do tempo 
terapia alternativas: 
 Reposicionamento ortopédico da pré maxila 
 Retroposição cirúrgica da pré maxila 
 Exérese da pré maxila 
 A exérese da pré maxila representa um procedimento 
totalmente condenável. 
(Tennyson Randal) 
 
(le mensurier) 
 
(Cierre vertical) 
 
: 
A palatoplastia, realizada a partir dos 12 meses de idade, reconstrói a 
anatomia que distingue a cavidade nasal da cavidade oral. 
Pode realiza-la antes dos 12 meses, porém não há significância em 
termos de distúrbios da fala 
Técnica de Von Langenbeck - descrita em 1861 
Consiste em técnica baseada em retalhos mucoperiosteais, 
aproximados a partir de amplas incisões relaxantes laterais Três planos 
- assoalho nasal; tecido muscular; forro oral 
Instrumental necessário: 
Abridor de boca 
 Davis 
= cirurgia em um ou 
dois tempos, seguida 
de reconstrução 
total do lábio aos seis 
anos 
 Mc Ivor 
Pinça de apreensão de tecido longa - Dietrich 
Porta agulha longo 
Esponjas de colágeno 
Fio de sutura 
 
(Von langenbeck) 
Com irrigação bipedicular; (fendas menores) 
 
(Veau - wardill - Kilner) 
Retalho com irrigação axial, em casos de fendas maiores 
 
 
(Bardach) 
 
(Z - furlow) 
 
(Sommerland)