Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
sensibilidade social

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sensibilidade 
social
O que é? 
É a capacidade de perceber nas pessoas o que
elas pensam e sentem.
O Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em
parceria com as universidades Union College e
Carnegie Mellon nos EUA, fez um estudo e
constatou que “as pessoas que apresentam
sensibilidade social são as mais inteligentes
coletivamente”.
É por meio das relações interpessoais que
adquirimos e aprimoramos conhecimentos,
habilidades, atitudes e valores.
pode ser entendida pelo modo com que os
profissionais identificam as emoções de outros
membros do grupo.
Daniel Goleman, para ele Sensibilidade social é a
capacidade de detectar e identificar sentimentos
e motivos das pessoas. Este conhecimento de
como as pessoas se sentem ou são motivadas
ajudam a estabelecer harmonia interpessoal.
(GOLEMAN, 2001) 
Aumentando a sua capacidade de compreensão,
empatia e conscientização, você aumenta
também a sua sensibilidade. O que não implica
”amolecer“. Você pode ser sensível a
pensamentos, necessidades sentimentos e
opiniões das pessoas, particularmente daquelas
que se relacionam com você, como os colegas de
trabalho. (CLEMENTS, 1995)
EMPATIA
Empatia é originada do termo grego empátheia
(entrar no sentimento do outro) e significa a
inversão de papéis ou a troca de lugar. A partir da
identificação deste lugar, tenta-se compreender
o comportamento do outro. 
1.
2.
3.
4.
5.
6.
1.
2. Essa tarefa exige escuta, cautela, sensibilidade e
amor ao próximo. 
3. Já a escuta empática é a escuta com a finalidade
de compreender, ou seja, primeiro compreender,
realmente compreender. 
4. A empatia não é igual à solidariedade. Não
significa concordar incondicionalmente com
alguém, mas compreender alguém
profundamente, tanto no plano emocional quanto
no intelectual. 
5. A escuta empática significa muito mais do que
registrar, repetir ou mesmo entender as palavras
que estão sendo ditas; significa ouvir também com
os olhos e o coração. Você ouve procurando
entender o significado, o sentimento; ouve para
compreender. 
6. A empatia é um motivador psicológico bastante
poderoso. Define-se como “o colocar-se
psicologicamente e em sentimento no lugar do
outro”. 
Sempre que conseguimos compreender melhor o
outro, sentir seu problema ou alegria, teremos
grande probabilidade de obter sua aceitação
interna, seu comprometimento. (CRIVELARO &
TAKAMORI, 2010)
7. Importante entender que empatia e simpatia não
são sinônimos. “Empatia não é o mesmo que
simpatia. Trata-se de tentar detectar e
compreender os sentimentos do outro sem
necessariamente sentir-se do mesmo modo”.
(CLEMENTS ,1995) 
Aula 1 
https://ava.isbet.org.br/mod/book/view.php?id=1677399
https://ava.isbet.org.br/mod/book/view.php?id=1677399
https://ava.isbet.org.br/mod/book/view.php?id=1677442
Sensibilidade 
social
EMPATIA
Colocar-se no lugar do outro, tentar entender o que
acontece com as outras pessoas, é uma tarefa que
exige: escuta, cautela, sensibilidade e amor ao
próximo. 
SIMPATÍA
Afinidade moral, em que o pensamento e o
sentimento são parecidos com o da outra pessoa. 
ANTIPATIA
Antipatia aversões espontâneas, irracionais,
gratuitas por alguém ou por algo. É aquele
sentimento que só de olhar ou ouvir alguém falando,
você já pensa “não fui com a cara dessa pessoa”,
mesmo que você não tenha absolutamente nenhum
contato com ela.
Avaliação de Si
Quando as pessoas descobrem como agem e por
que agem melhoram o relacionamento interpessoal.
Pessoas convivem e trabalham com pessoas e
portamse como pessoas, isto é, reagem às outras
pessoas com as quais têm contato: comunicam-se,
simpatizam e sentem atrações, antipatizam e
sentem aversões, aproximam-se, afastam-se,
entram em conflito, competem, colaboram e
desenvolvem afeto. (MOSCOVICI, 1985) 
A autoavaliação precisa ser constante, diária, o
observar-se e perceber a si mesmo é uma tarefa
necessária a qualquer um, seja na vida pessoal ou
profissional. Não há possibilidade de conviver com
outros em harmonia sem está autoanálise. O
conhecimento de si é dado pelo reconhecimento
recíproco dos indivíduos identificados por meio de
um determinado grupo social que existe
objetivamente, com uma história, suas tradições,
suas normas e interesses etc. (LANE & CODO, 1994)
1.
1.
1.
1.
2.
Compreensão do outro
Quando identificamos o modo como agimos
aprendemos a identificar como os outros agem
também, assim melhoramos as relações
interpessoais. Sem desenvolver a empatia e sem
flexibilidade de pensamento, a tendência é
enquadrar todo mundo num esquema rígido de
pensamento, normalmente como
preconceituoso. (HOUAISS, 2009) 
Ao julgar as pessoas pelos estereótipos, corremos
o risco de gerar conflito nos relacionamentos
interpessoais. 
Para Moscovici (1985), as interferências ou
reações, voluntárias ou involuntárias,
intencionais ou não, constituem o processo de
interação humana, em que cada pessoa na
presença de outra não fica indiferente. 
Os papéis sociais
Nós desempenhamos papéis sociais o tempo
todo, em todos os lugares: em casa, no trabalho,
na igreja, na comunidade entre outros lugares. 
Segundo Lane (1994), “o estabelecimento de
papéis a serem desempenhados leva à sua
cristalização, como o papel da mulher enquanto
formas de ser e de agir”. Essa cristalização faz
com que os papéis sociais sejam vistos como
tendo uma realidade própria, exterior aos
indivíduos que precisam se submeter a eles,
incorporando-os. Esta incorporação dos papéis
pelos indivíduos realiza-se sob a forma de
crenças e valores que mantêm a diferenciação
social, visto estar fundamentada na distribuição
social do conhecimento e na divisão social do
trabalho”. 
1.
2.
3.
1.
2.
Aula 1 
Sensibilidade 
social
Papéis funcionais e bloqueadores
Funcionais e bloqueadores
Funcionais - são aqueles que ajudam e incentivam
todos os participantes do grupo a agirem com
harmonia. 
 Bloqueadores - são aqueles que impedem o
desenvolvimento normal do trabalho ou da
atividade. 
Quando estamos atentos ao nosso funcionamento e
ao funcionamento do grupo, podemos adotar um
comportamento mais funcional e tornar as relações
mais amistosas. 
À medida que desenvolvemos o autoconhecimento e
o conhecimento sobre o funcionamento do grupo,
aumentamos o traquejo nas aptidões de ouvir,
dialogar, informar, avaliar, elogiar e disciplinar.
Melhoramos nossa capacidade de comunicação,
transmitindo mensagens de forma mais produtiva.
Comunicação assertiva
 O que é comunicação?
Ato de dividir, comunicar, conversar.
Troca de mensagem entre duas ou mais pessoas ou
entre dois sistemas diferentes. 
Implica dois polos: receptor e emissor, em um
processo que ocorre por meio de um canal 
Em nos comunicarmos precisamos estar cientes de:
quem diz, em que canal, diz o que, para quem, em
que contexto e com qual efeito
A comunicação começa em uma pessoa, mas é
processado na mente de outra. 
1.
1.
Feedback
 É uma forma de maximizar desempenho n
ambiente de trabalho 
Comportamento
 Assertivo: 
1.
1.
2. Passivo: 
3. Agressivo: 
Aula 1 
https://ava.isbet.org.br/mod/book/view.php?id=1677442
Sensibilidade 
social
ASSERTIVIDADE: 
Características da pessoa assertiva
Regras de comunicação assertiva
 Olhar sempre nos olhos. 
Respeitar o espaço pessoal
Cuidar da postura corporal 
Cuidar dos gestos. 
Controlar a expressão facial 
Controlar tom, inflexão e volume da voz.
Escolher a hora certa. 
DICAS PARA UMA COMUNICAÇÃO ASSERTIVA
Conhecimento do assunto
Fala direta e objetiva.
Linguagem correta
Uso da empatia
Seja claro
Respeite os outros.
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
1.
2.
3.
4.
5.
6.
Aula 1 
flexibilidade de comportamento
Definição
Flexibilidade de comportamento é a competência de
mudar uma determinada atitude ou maneira de pensar,
adaptando-se a situações diversas, sem,
fundamentalmente, representar uma alteração de
opinião ou convicções mais profundas. 
A vantagem de ser flexível é viver melhor com os outros
e principalmente com você mesmo. Busque alternativas
no seu dia a dia
As formas como reagimos a cada tipo de situação ou
pessoa em geral se tornam intensamente
condicionadas (programadas) por meio da
Página12