A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Schistosoma mansoni - resumo digitado

Pré-visualização | Página 1 de 2

Schistosoma mansoni 
Classe Trematoda 
Família Schistomatidae 
Subfamílias: Bilharzielinae( parasitam mamíferos domésticos e silvestres) e Schistosomatinae( 
dimorfismo sexual, parasitam homem e animais). 
Gênero : Schistosoma 
Espécies : Schistosoma mansoni; Schistosoma haematobium; Schistosoma japonicum; 
Schistosoma intercalatum; Schistosoma mekongi. 
Schistosoma haematobium: 
• Agente da esquistossomose vesical ou hematúria do egito. Encontrado na áfrica , 
oriente próximo e médio. Seus ovos são elipsoides, com esporão terminal e são 
eliminados pela urina, visto que os vermes adultos ficam nos ramos periféricos do 
sistema porta. Hospedeiros intermediários são os moluscos do gênero Bulinus. 
Schistosoma japonicum 
• Causa a esquistossomose japônica ou moléstia de Katayama. Se distribui na china, japão, 
filipinas e sudeste asiático. Vermes adultos apresentam papilas no tegumento e seus 
ovos são subesféricos com um rudimento de espinho lateral. Os vermes adultos vivem 
no sistema porta e os ovos são eliminados pelas fezes. Os hospedeiros intermediários 
são moluscos do gênero Oncomelania. 
Schistosoma mekongi 
• Semelhante ao S. japonicum. Encontrado no rio Mekong, no Camboja. Parasitam o 
sistema porta do homem e de outros animais. Hospedeiro intermediário é o caramujo 
Neptricula aperta 
Schistosoma intercalatum 
• Agente de uma esquistossomose intestinal, na áfrica central. Vermes adultos são 
encontrados no sistema porta e os ovos são elipsoides com esporão terminal e são 
eliminados pelas fezes. O hospedeiro intermediário é do gênero Bulinus 
SCHISTOSOMA MANSONI 
Agente da esquistossomose intestinal ou moléstia de Pirajá da Silva. Ocorre na àfrica, Antilhas e 
América do sul. No brasil a doença é conhecida como : xistose, barriga d’água ou mal-do-
caramujo. 
Morfologia 
Macho→ 1cm de comprimento. Cor esbranquiçada; tegumento recoberto com tubérculos;. O 
corpo se divide em: anterior( ventosa oral e ventosa ventral/acetábulo) e posterior(canal do 
ginecófaro- onde a femea é albergada e fecundada). Não possui órgão copulador, por isso os 
espermatozoides passam pelos canais deferentes que se abrem no poro genital, dentro do canal 
ginecóforo onde vão fecundar as femeas. 
Femea→ 1,5 cm de comprimento. Cor mais escura (devido ao ceco com sangue semidigerido). 
Tegumento liso. Extremidades : anterior(ventosa oral e acetábulo) e posterior(glândulas 
vitelogenicas e ceco) 
Ovo→ 150 micrometros de comprimento x 60 de largura. Sem opérculo, seu formato é oval e a 
parte mais larga apresenta um epísculo voltado pra trás. O ovo maduro tem um miracídio visível 
pela transparência da casca e é a forma encontrada nas fezes. 
Miracídio → forma cilíndrica. 180 micrometros de comprimento x 64 de largura. Apresentam 
células epidérmicas onde se implantam os cílios que permitem movimento no meio aquático. 
Cercaria→ 500 micrometros de comprimento, cauda bifurcada e corpo cercariano. Possui 
ventosa oral e ventral(acetábulo) 
Biologia 
Habitat→ vermes adultos vivem no sistema porta. Os esquistossomulos ao passarem pelo fígado 
ganham biomassa e após atingirem a maturidade sexual migram pros ramos terminais da veia 
mesentérica inferior, na altura da parede intestinal do plexo hemorroidário, onde acasalam e as 
femeas iniciam a postura de ovos. 
 
Ciclo biológico 
O ciclo é heteroxênico( apresenta hospedeiro definitivo que é o homem e intermediário que é 
o caramujo gastrópode Biomphalaria). O S. mansoni ao atingir a fase adulta no sistema vascular 
humano e de outros mamíferos, vai para as veias mesentéricas, principalmente a v. mesentérica 
inferior, migrando contra a corrente circulatória, onde as femeas fazem a postura no nível da 
subucosa. Elas põem cerca de 400 ovos por dia nas paredes dos capilares e vênulas e metade 
desses ovos conseguem ganhar o meio externo. A vida média do S mansoni é de 5 anos. Os ovos 
postos no tecido levam uma semana para se tornarem maduros(miracídio formado). 
Da submucosa, eles chegam a luz intestinal. E para que essa passagem ocorra, acontecem: 
reação inflamatória; bombeamento; enzimas proteolíticas liberadas pelo miracídio lesando os 
tecidos; adelgaçamento da parede dos vasos pela distensão provocada pelo casal; perfuração 
da parede venular auxiliada pela descamação epitelial provocada pela passagem do bolo fecal, 
e os ovos ganham o meio externo. 
A migração demora dias. Caso em 20 dias os ovos não consigam atingir a luz intestinal , ocorrerá 
morte dos miracídios. Os ovos podem ficar presos na mucosa intestinal, ou serem arrastados 
para o fígado. Os ovos que conseguirem chegar a luz intestinal vão para o exterior junto ao bolo 
fecal, e tem expectativa de vida de 24h(fezes liquidas) a 5 dias(solidas ). Alcançando a água, os 
ovos vão liberar o miracídio( estimulado por temperatura alta, luz intensa e oxigenação da água). 
Há uma atração miracidiana em relação ao molusco, devido a detecção pelo miracídio de 
substancias liberadas pelo molusco(miraxone) que se difundem pela água. O miracídio com o 
contato com o tegumento do molusco, agita-se faz movimentos contrateis e rotatórios , 
comandados pelos cílios e musculatura e o conteúdo da glândula de penetração é descarregado 
e as enzimas proteolíticas começam a digerir o tecido. Assim , a movimentação e as enzimas 
permitem a penetração do miracídio no molusco. O epitélio é ultrapassado e a larva fica no 
tecido subcutâneo. Os locais de preferencia de penetração são a base das antenas e os pes. A 
larva após perder as glândulas de penetração e de adesão, continuam a perder outras estruturas 
no processo de penetração, perdendo epitélio ciliado, terebratorium, musculatura subepitelial 
e sistema nervoso. Assim , o miracidio se transforma num saco com paredes cuticulares, 
contendo células germinativas ou reprodutivas→ esporocisto. O esporocisto tem movimento 
ameboide. E ele posteriormente vai se desenvolver em esporocisto 1 , esporocisto 2 e 
esporocisto 3(vai originar a cercaria). Após a formação da cercaria, elas abandonam o caramujo 
e vão nadar ativamente na água e se encontrarem a pele do humano, elas penetram ativamente 
a pele por meio da liberação de enzimas proteolíticas e movimentos caudais ou ela pode entrar 
pela mucosa oral, através da ingestão da água contaminada com a cercária. Quando a cercaria 
penetra, ela vai perder a cauda e passa a ser chamada de esquistossômulo. O esquistossomulo 
entra nos vasos, caem na circulação sanguínea, vão pro coração direito, pulmão , ate chegar ao 
sistema porta hepático(25 a 28 dias após a penetração). Os esquistossomulos vão se alimentar 
no sistema porta hepático e vai se transformar em macho adulto ou femea adulta. Os adultos 
se emparelham e migram pro plexo venoso mesentérico no intestino, principalmente na VMI, 
onde a femea vai por seus ovos na submucosa. 
Obs: cada miracidio já leva definido o sexo da cercaria. 
Transmissão 
Penetração ativa da cercaria na pele e mucosa. As cercarias penetram mais frequentemente pes 
e pernas, porque ficam mais em contato com a água contaminada. 
As alterações patológicas no hospedeiro definitivo são decorrentes da: ação mecânica 
resultante da migração dos parasitas no tecido do hospedeiro; reação do organismo ao parasita; 
secreção e excreção de substancias toxicas ou antigênicas pelo parasita. 
Patogenia- esquistossomose aguda 
Ligada a fatores como cepa do parasito; carga parasitária adquirida; idade; estado nutricional; 
resposta imune da pessoa. Há uma correspondecia entre a carga parasitaria e a sintomatologia. 
Alterações cutâneas e hepáticas são influenciadas pela resposta imunológica do paciente aos 
antígenos dos esquistossomulos e ovos. 
Cercaria→ dermatite cercariana ou dermatite do nadador: sensação de comichão , erupção 
urticariforme, seguida por eritema, edema, pequenas pápulas e dor. Mais intensa nas 
reinfecções (hipersensibilidade). Ou seja , é um processo imunoinflamatório.