A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Variações de normalidade orais

Pré-visualização | Página 1 de 2

Variações de normalidade 
✤ São variações dos aspectos normais da 
cavidade bucal, não representando 
processos patológicos. 
✤ Geralmente não necessita de 
tratamento e na maioria dos casos é 
benigno. 
Lábios 
↬ Fossetas da comissura labial: 
✤ São pequenas invaginações da mucosa 
que ocorrem no limite do vermelhão dos 
lábios e nos ângulos da boca. 
✤ Comum em adultos, de 12 a 20%, 
muitas vezes desenvolvemca tardiamente. 
Em crianças a prevalência é menor, de 0,2 
a 0,7%. 
✤ Mais comum em homens por conta da 
transmissão autossômica dominante. 
✤ Apresentam-se como fístulas cegas 
medindo 1 a 4mm, uni ou bilateralmente. 
✤ Etiologia: Falha na fusão normal dos 
processos embrionários mandibular e 
maxilar. Em alguns casos, histórico familiar 
(alterações congênitas). 
✤ Não há necessidade de tratamento, em 
casos de secreções excessivas e infecção 
secundária, a excisão cirúrgica se faz 
necessária. 
✤ Em alguns casos, uma pequena 
quantidade de saliva de glândulas 
salivares menores é drenada quando 
pressionado. 
↬ Fossetas labiais paramedianas: 
✤ São invaginações congênitas raras do 
lábio inferior. 
✤ Transmissão hereditária autossômica 
dominante em combinação com a fenda 
labial e/ou palatina. 
✤ Fístulas bilaterais simétricas em relação 
a linha média do vermelhão do lábio 
inferior, pode variar de depressões sutis a 
fossas, podendo ter 1,5cm de 
profundidade. 
✤ Pode ser necessário realizar drenagem 
da secreção salivar. 
✤ Etiologia: Formam-se da persistência 
do sulco lateral do arco mandibular 
embrionário (deveriam desaparecer na 6° 
semana). 
✤ Não necessita de tratamento, apenas 
nos casos de estética ou infecção 
secundária. 
⚠ Síndrome de Van der Woude e 
Síndrome de Pterígio Poplíteo: causadas 
por mutação no gene. 
↬ Lábio duplo: 
✤ Massa exuberante de tecido na mucosa 
do lábio, podendo ser congênito 
(persistência do sulco no lábio, durante o 
2° e 3° mês de gestação) ou adquirido 
(traumatismos e hábitos, como sugar o 
lábio), também pode ser um componente 
da Síndrome de Ascher (tríade: lábio duplo 
adquirido, aumento da tireóide e 
blefarocalásia). 
✤ Dobra de tecido excessivo no lado 
interno do lábio. 
✤ O lábio superior é mais afetado e torna-
se mais visível ao sorrir ou quando 
tensiona os lábios. 
✤ Etiologia: Anomalia rara. 
Mucosa e assoalho bucal 
↬ Carúncula das glândulas salivares: 
✤ Nódulos de coloração normal da 
mucosa com presença de secreção de 
saliva. 
✤ Saída do ducto das glândulas sublingual 
e/ou submandibular. 
✤ Parotídeas: Presentes bilateralmente na 
mucosa bucal, próximo à face vestibular 
dos 2MS. 
✤ Sublingual: Presente na inserção do 
freio lingual. 
✤ Prestar atenção se há presença de 
cálculo salivar. 
↬ Pigmentação melânica racial: 
✤ São manchas escuras acastanhadas ou 
enegrecidas localizadas na mucosa 
mastigatória, resultado da produção 
excessiva de melanina pelos melanócitos, 
na camada basal do epitélio. 
✤ Independe da exposição solar. 
✤ É uma condição fisiológica. 
✤ Mais comum em pacientes 
melanoderma ou em seus descendentes. 
✤ É disseminada, ocorre mais comumente 
na extensão da gengiva inserida, porém 
eventualmente pode ocorrer em qualquer 
outra parte da mucosa bucal. 
✤ Não se faz necessário tratamento. 
↬ Grânulos de Fordyce: 
✤ Múltiplas pápulas brancas ou 
amareladas de 1 a 2mm de diâmetro. 
Quando confluentes podem configurar 
placas, não removíveis a raspagem. 
✤ São glândulas sebáceas túbulo-
acinares, comumente encontradas em 
mucosa jugal e lábio superior (vermelhão 
do lábio), mas também podem ser 
encontradas no palato, gengiva e língua. 
✤ Ocorre em 80% da população e é mais 
visível em adulto devido a fatores 
hormonais. 
✤ Assintomático, porém os pacientes 
podem relatar rugosidade. 
✤ Nenhum tratamento é necessário, 
porém, em casos de incômodo com a 
estética é possível a remoção cirúrgica. 
↬ Linha alba: 
✤ É uma linha branca de queratinização 
friccional, localizada na mucosa jugal 
paralela à linha de oclusão, relacionada a 
áreas dentadas e é vista bilateralmente. 
✤ Associada à pressão, irritação por 
fricção ou trauma por sucção da mucosa 
entre as superfícies vestibulares dos 
dentes. 
✤ Não é removível a raspagem. 
✤ Não é necessário tratamento, porém 
quando forem observadas alterações 
oclusais importantes e maus hábitos, 
como bruxismo, recomenda-se a correção 
destes fatores. 
↬ Leucoedema: 
✤ Uma condição clinicamente 
representada por uma área 
esbranquiçada, difusa, opalescente e 
leitosa que acomete a mucosa jugal 
bilateralmente. 
✤ Comum em adultos negros (70 a 90%), 
a explicação para isso é a presença de 
pigmentação na mucosa destes indivíduos 
que torna mais visível a alteração. 
✤ Mais acentuado em fumantes. 
✤ Condição benigna sem necessidade de 
tratamento. 
⚠ Sinal patognomônico: Forma de 
diagnóstico. Ao se distender a mucosa, as 
alterações diminuem ou desaparecem, 
fato este que não ocorre com nenhuma 
outra lesão branca. 
Distúrbios na língua 
↬ Macroglossia: 
✤ É uma condição incomum, 
caracterizado pelo aumento da língua. 
✤ Etiologia: Pode ser congênita, como por 
doenças genéticas (síndrome de Down) ou 
alterações vasculares (hemangioma, 
linfangioma); ou também pode ser 
adquiridas, como tumores, pacientes 
edêntulos ou amiloidose. 
✤ O tratamento é feito em casos 
sintomáticos, através da glossectomia 
(redução da língua). Quando a faca é 
afetada, faz-se necessário tratamento 
com fonoaudiólogo. 
↬ Anquiloglossia: 
✤ É uma anomalia caracterizada pelo 
freio lingual curto, resultando na limitação 
dos movimentos da língua. 
✤ Pode contribuir para o desenvolvimento 
da mordida aberta. 
✤ Clinicamente o freio se estende e se 
insere no ápice lingual. 
✤ O tratamento consiste em frenectomia 
(funcional ou periodontal) ou correção 
espontânea. 
↬ Tonsilas/amígdala lingual: 
✤ Aumento de volume, bilateral e 
simétrico em borda posterior da língua 
que inflamam com frequência. 
✤ Tem coloração rosa escuro ou amarelo 
alaranjado. 
✤ É um dos maiores agregados linfoides 
da boca. 
✤ Lembra o estágio inicial do carcinoma, 
por isso, em casos de dúvida pode ser feita 
a biópsia. 
↬ Varicosidades: 
✤ Consiste em veias anormalmente 
dilatas e tortuosas. 
✤ O tipo mais comum é a variz sublingual. 
✤ São assintomáticas e acomete mais 
pacientes com mais de 60 anos. 
✤ Múltiplas vesículas papulares ou 
elevadas, vermelho-azuladas. 
✤ Isoladas ou varicosidade solitário-
comum em lábio inferior. 
✤ Etiologia: Causa incerta. Pode ser pela 
perda do tônus do tecido conjuntivo que 
suporta os vasos, por degeneração 
relacionada a idade ou por doenças 
cardiovasculares. 
✤ Histopatológico: Presença de veia 
dilatada no tecido conjuntivo. 
✤ As varizes sublinguais não requerem 
tratamento, já as solitárias de lábio ou 
mucosa faz-se escleroterapia e remoção 
cirúrgica. 
↬ Língua pilosa: 
✤ Também pode ser chamado de língua 
pilosa negra ou língua saburrosa, 
dependendo de seu estágio. 
✤ Acúmulo acentuado de ceratina nas 
papilas filiformes da superfície dorsal 
lingual, localizado em linha média, 
resultando em uma aparência semelhante 
a pelos. 
✤ As papilas geralmente são 
acastanhadas e amareladas ou 
enegrecidas. 
✤ Na maioria dos casos é assintomático. 
✤ Etiologia: Incerta. Pode ter relação com 
fatores associados, como fumo, 
antibioticoterapia, higiene bucal deficiente, 
debilitação geral e radioterapia. 
✤ Língua saburrosa: Células epiteliais 
descamadas e numerosas bactérias 
acumuladas no dorso da língua, porém 
sem projeções das papilas filiformes. 
✤ O tratamento é feito a partir da 
eliminação de fatores predisponentes e 
higienização bucal. 
↬ Língua fissurada: 
✤ Condição comum, caracterizada pela 
presença de múltiplas fissuras ou sulcos 
na superfície dorsal da língua, variando de 
2 a 6mm de profundidade. 
✤ Acomete de 2 a 5% da população e 
costuma aumentar com a idade. 
✤ É assintomático, mas em alguns casos 
pode haver queimação e ardência. 
✤ Tem etiologia incerta.