A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
(Curta / Salve / Siga) Forças intermoleculares III (semelhante dissolve semelhante)

Pré-visualização | Página 1 de 3

CA
P. 
3
QU
ÍM
IC
A 
13
1
24
6
PV
2D
-1
7-
40
 Módulo 19
Propriedades físicas dos compostos – solubilidade
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
RO
TE
IR
O 
DE
 E
ST
UD
OS
Leia com atenção Capítulo 3 – Tópico 1
Ex
er
cí
ci
os
Série branca 361 363 364 365 366 367 368 370
Série amarela 364 365 367 368 368 371 372 373
Série roxa 371 372 373 374 376 378 379 380
Foco Enem 363 364 367 368 370 371 374 375
361. IFPR (adaptado) 
A polaridade molecular pode ser definida em função da 
conexão entre a geometria da molécula e a diferença de ele-
tronegatividade dos átomos associados. Respeitando a regra 
geral que propõe que semelhante dissolve semelhante, as-
sinale a alternativa que apresenta uma espécie classificada 
como “não solúvel” em água.
a. NH3
b. SO2
c. C6H14
d. HF 
e. H2SO4
362. 
A vela é constituída por uma substância chamada para-
fina, que tem moléculas não polares. Explique se a parafina 
pode ou não ser dissolvida em água.
363. UFMS 
O benzeno é geralmente usado como solvente de com-
postos orgânicos, enquanto a água é usada geralmente 
como solvente de compostos inorgânicos, por apresenta-
rem, respectivamente,
a. molécula polar e molécula não polar.
b. molécula não polar e molécula não polar.
c. molécula polar e ligação polar.
d. molécula não polar e ligação não polar.
e. ligação polar e ligação não polar.
364. UFRGS-RS C7-H24
Em vazamentos ocorridos em refinarias de petróleo, que 
extravasam para rios, lagos e oceanos, verifica-se a utilização 
de barreiras de contenção para evitar a dispersão do óleo. Nes-
ses casos, observa-se a formação de um sistema heterogêneo 
onde o petróleo fica na superfície desses recursos hídricos.
Sobre o sistema anteriormente descrito é correto afir-
mar que a água e o petróleo não se misturam porque
a. se apresentam em fases de agregação diferentes.
b. apresentam densidades diferentes, e o petróleo fica 
na superfície em razão de sua maior densidade.
c. apresentam moléculas com polaridades diferen-
tes, e o petróleo fica na superfície por causa de sua 
menor densidade.
d. a viscosidade da água é maior que a do petróleo.
e. a elevada volatilidade do petróleo faz com que este 
fique na superfície da água.
365. UERJ
O enxofre é um elemento químico que pode formar dois 
óxidos moleculares: SO2 e SO3.
Nomeie a geometria dessas moléculas. Explique, ainda, 
por que apenas o SO2 é solúvel em água. 
366. UEL-PR 
Numa prova, um estudante afirmou: a gasolina é um ele-
mento químico mais volátil do que a água, porque na água as 
moléculas se unem mais fortemente do que na gasolina. Por se-
rem líquidos não polares, ambos são perfeitamente miscíveis.
Quantos erros o aluno cometeu?
a. 2
b. 3
c. 4
d. 5
e. 6
367. PUC-MG (adaptado)
Considere as seguintes, substâncias:
I. NaF 
II. CH3OH
III. CH3CH2CH3
IV. CH3OCH3
A alternativa que corresponde à ordem decrescente da 
solubilidade em água das substâncias é
a. I – III – IV – II
b. II – III – I – IV
c. IV – II – III – I
d. IV – II – I – III
e. I – II – IV – III
368. Fuvest-SP C7-H24
Em um laboratório, três frascos com líquidos incolores 
estão sem os devidos rótulos. Ao lado deles, estão os três 
rótulos com as seguintes identificações: ácido etanoico, pen-
tano e 1-butanol. Para poder rotular corretamente os frascos, 
determinam-se, para esses líquidos, a temperatura de ebuli-
ção (TE) sob 1 atm e a solubilidade em água (S) a 25 °C.
Líquido TE/°C S/(g/100 mL)
X 36 0,035
Y 117 7,3
Z 118 Infi nita
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
CA
P. 
3
QU
ÍM
IC
A 
13
1
24
7
PV
2D
-1
7-
40
Com base nessas propriedades, conclui-se que os líqui-
dos X, Y e Z são, respectivamente,
a. pentano, 1-butanol e ácido etanoico.
b. pentano, ácido etanoico e 1-butanol.
c. ácido etanoico, pentano e 1-butanol.
d. 1-butanol, ácido etanoico e pentano.
e. 1-butanol, pentano e ácido etanoico
369. UERJ
Cosméticos de uso corporal, quando constituídos por 
duas fases líquidas imiscíveis, são denominados óleos bifá-
sicos. Observe na tabela as principais características de um 
determinado óleo bifásico.
Fase Solvente
Volume 
(mL)
Massa 
(g)
Aquosa Água 30,0 30,0
Orgânica Solvente orgânico não polar 70,0 56,0
Para diferenciar as duas fases, originariamente incolo-
res, é adicionado ao óleo um corante azul de natureza iônica, 
que se dissolve apenas na fase em que o solvente apresenta 
maior afinidade pelo corante. Essa adição não altera as mas-
sas e volumes das fases líquidas.
As duas fases líquidas do óleo bifásico podem ser repre-
sentadas pelo seguinte esquema:
a. 
b. 
c. 
d. 
370. Unopar-PR 
Três líquidos incolores, A, B e C, possuem as seguintes 
propriedades: 
• A e B são miscíveis; 
• B e C não são miscíveis;
• A e C são combustíveis. 
As substâncias A, B e C podem ser, respectivamente,
a. benzeno, água e álcool etílico. 
b. água, benzeno e álcool etílico.
c. álcool etílico, água e benzeno.
d. álcool etílico, benzeno e água.
e. benzeno, álcool etílico e água.
371. UNESP C7-H24
Os protetores solares são formulações que contêm dois 
componentes básicos: os ingredientes ativos (filtros sola-
res) e os veículos. Dentre os veículos, os cremes e as lo-
ções emulsionadas são os mais utilizados, por associarem 
alta proteção à facilidade de espalhamento sobre a pele. 
Uma emulsão pode ser obtida a partir da mistura entre óleo 
e água, por meio da ação de um agente emulsionante. O lau-
rato de sacarose (6-O-laurato de sacarose), por exemplo, é 
um agente emulsionante utilizado no preparo de emulsões.
HO
HO
CH3
HO
OH
O
O
O
O
O
OH
OH
OH
Laurato de sacarose
A ação emulsionante do laurato de sacarose deve-se à 
presença de 
a. grupos hidroxila que fazem ligações de hidrogênio 
com as moléculas de água. 
b. uma longa cadeia carbônica que o torna solúvel em óleo.
c. uma longa cadeia carbônica que o torna solúvel em água.
d. grupos hidrofílicos e lipofílicos que o tornam solúvel 
nas fases aquosa e oleosa.
e. grupos hidrofóbicos e lipofóbicos que o tornam solú-
vel nas fases aquosa e oleosa.
372. Unicamp-SP 
Na tirinha, o autor explora a questão do uso apropriado da 
linguagem na ciência. Muitas vezes, palavras de uso comum 
são utilizadas na ciência, e isso pode ter várias consequências.
Socorro, estou me dissolvendo!
Prá você é fácil falar...
Você não é polar!
Mas ursos são insolúveis!
a. De acordo com o urso cinza, o urso branco usa o ter-
mo “dissolvendo” de forma cientificamente inade-
quada. Imagine que o urso cinza tivesse respondido: 
“Eu é que deveria estar aflito, pois o gelo é que está 
dissolvendo!” Nesse caso, estaria o urso cinza usan-
do o termo “dissolvendo” de forma cientificamente 
correta? Justifique.
b. Considerando a última fala do urso branco, interprete o 
duplo significado da palavra “polar” e suas implicações 
para o efeito cômico da tirinha. 
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
CA
P. 
3
QU
ÍM
IC
A 
13
1
24
8
PV
2D
-1
7-
40
373. Acafe-SC (adaptado)
No jornal Folha de S.Paulo, de 23 de junho de 2015, foi 
publicada uma reportagem sobre a formação de espuma 
branca no Rio Tietê: “[...] a formação de espuma está associa-
da à baixa vazão da água e à presença de esgoto doméstico 
não tratado. A falta de oxigênio na água dificulta a degradação 
de detergente doméstico […]”. 
Com base nas informações fornecidas e nos conceitos 
químicos, analise as proposições.
I. O detergente é uma substância anfipática.
II. O complexo formado entre detergente, óleo e água 
pode ser chamado de micela.
III. O oxigênio é uma molécula não polar formada por uma 
ligação covalente do tipo sigma (σ) e outra do tipo pi (π).
IV. A espuma branca formada pode ser classificada 
de coloide.
Está correto o que se afirma em
a. I, II e III, apenas.
b. II, III e IV, apenas.
c. I, II, III e IV.
d. IV, apenas.
374. PUC-RS C7-H24
A erva-mate (Ilex paraguaiensis) contém muitas subs-
tâncias orgânicas, as quais podem ter ação benéfica no or-
ganismo. As estruturas moleculares de algumas substâncias 
presentes nessa planta são mostradas em:
CH3
CH3 CH3
Vitamina A
H3C CH3
OH
HO
HO