A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Coleta de Sêmen

Pré-visualização | Página 1 de 1

BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL – coleta de sêmen
5 tipos de coleta de sêmen:
· Vagina artificial
Feita com tubo rígido, que é revestido por mucosa, entre tubo e mucosa se coloca agua que exerce pressão. Mimetiza a vagina. Obrigatoriamente tem que ter treinamento do macho para fazer coleta. So vou conseguir em animais que estão condicionados. A vagina tem que ser proporcional ao pênis do macho (tamanho, formato).
Mecânico + pressão + temperatura.
· Manipulação digital
Massagem pode ser retal (estimulação das glândulas acessórias) ou massagem diretamente no pênis (ou base ou corpo do pênis). Pode também fazer manipulação de abdômen.
A retal é feita em bovinos e bubalinos. A direta no pênis pode fazer em cão, suíno. E abdominal tem para aves, alguns repteis, serpentes.
Mecânico + pressão + temperatura.
· Eletroejaculação
Introduzir equipamento via retal, eletrodos que conduzem impulsos elétricos. Se faz frequência e quantidade de estímulos. Se estimula glândulas acessórias a fazer contração e eliminar o ejaculado. Problema enfrentado – sêmen um pouco mais diluído (volume maior de plasma seminal liberado). Vantagem – não precisa condicionar o animal (não precisa treina-lo antes, pode usar de primeira).
Dependendo da espécie, precisa obrigatoriamente de contenção (química/sedação ou física). Quando é química requer acompanhamento pre e pos coleta.
A parte dos eletrodos tem que ficar voltado ventral ao reto.
Elétrico.
· Epidídimo
Não está coletando o sêmen propriamente dito, sêmen é plasma seminal + espermatozoide, e nesse método praticamente não se vai coletar plasma seminal. Pode fazer em animais vivos e também em animais mortos (pós-mortem). Em animais vivos – animais que tem obstrução por ex. e não conseguem eliminar pela via natural (cuidado ao fazer in vivo - sistema imune pode entrar em contato com células espermáticas, provocando infertilidade auto-imune). No pós-mortem é mais tranquilo fazer, é usado como último recurso para conservar material genético naquele animal, comum em silvestres. Quanto mais próximo da hora da morte maior a qualidade seminal.
· Químico
Se usa alguns fármacos que promovem relaxamento de esfíncter ou relaxamento de esfíncter associado com contração muscular. É um método viável mas se deixa para última opção.
· Decaptação
Usado em abelhas. Tira cabeça do zangão e ele acaba ejaculando.
COLETA DE SÊMEN EM BOVINOS
Necessário contenção química. Coleta por eletroestimulação: Limpeza retal (facilitar e aumentar contato com probe) introdução da probe começar os estímulos elétricos. Não necessariamente se terá ereção para ter ejaculação. Se terá exposição. Após exposição se tem ejaculação. Os primeiros jatos despreza (fazem limpeza do trato reprodutor). Coletar com funil de látex, embaixo fica um tubo coletor.
Vagina artificial: Tem animais que preferem uma vagina um pouco mais aquecida (agua quente) e outros um pouco mais fria. Média de 35-40Cº. Varia de animal para animal. Se o local está mais frio ou o dia está mais fresco, até terminar de preparar a vagina e o animal chegar leva um certo tempo então a agua que estará dentro da vagina esfria, calcular bem o tempo. Melhor deixar ela um pouco mais aquecida para dar tempo do animal chegar. Pode usar manequim artificial (tem que treinar/condicionar o animal antes, com fêmeas em cio). O manequim pode ser uma fêmea que não está no cio.
COLETA DE SÊMEN EM EQUINOS
Pode ser feita por vagina artificial (maior que a de bovinos) – presença de filtro antes do tubo de coleta, pois neles há fração gelatinosa no ejaculado. Essa fração é porque o útero da égua é um pouco mais alto que a cervix, além dessa cervix não ter fechamento tão eficiente. Esse tampão, na monta natural, serve para vedar a cervix e impedir refluxo do ejaculado.
Fazer ligeira rufiação antes da coleta do sêmen (vai se excitar e expor o pênis). Fazer nesse momento higienização e secagem do pênis, nessa espécie é comum de ter produção maior de secreção do pênis, acaba contendo sujidade e contaminando a amostra. Secar bem o pênis pois a agua mata espermatozoide.
Quando o animal fazer a monta se deve fazer o desvio lateral.
COLETA DE SÊMEN EM CÃES
Pode ser feita com vagina artificial, mas quem promove a pressão e o calor é a mão de quem está coletando. Para o condicionamento é obrigatório presença de femea em cio, posteriormente não precisa. Tem que ser a mesma pessoa.
Trabalhar a exposição do pênis antes do mesmo estar ereto, visto que nos cães há o entumecimento na base do bulbo e base do pênis. Se demorar para fazer exposição do pênis, não se conseguira expor totalmente por causa do bulbo.
Tracionar/rotacionar o pênis para traz em alguns animais.
Para cão se tem três fraçoes bem distintas do ejaculado – prostática (clara, transparente, é desprezada); segunda fração (esbranquiçada, é a que vai ser coletada); terceira fração (não coleta).
COLETA DE SÊMEN EM FELINOS
Por vagina artificial. Avaliar a presença das espiculas – são testosterona dependentes. Quanto maior testosterona maior número de espiculas e melhor qualidade seminal.
Nessa espécie já se espera um número muito alto de células espermáticas com alterações morfológicas, além de concentração baixa. 
Tem que condicionar o animal. Condicionamento é fácil. Pode usar manequim vivo ou artificial (ex. bicho de pelúcia).
COLETA DE SÊMEN EM OVINOS E CAPRINOS
Vagina acaba sendo semelhante em ambos, pode usar manequim vivo ou artificial.
Cortejo monta desvio lateral ejaculação retirada da vagina.
Pode fazer por eletroejaculação.
Lembrar que há fimbria na ponta do pênis, ela rotaciona e espalha o sêmen.
COLETA DE SÊMEN EM SUÍNOS
Pode ser por vagina artificial.
Fazer condicionamento prévio, é fácil e rápido.
Limpeza e higienização animal anda pela sala da coleta urina faz exposição do pênis pessoa traciona levemente o pênis também se despreza os primeiros jatos conforme explicado coletar material. Usar filtro também, pois tem fração gelatinosa grande.
COLETA DE SÊMEN EM AVES
Não consegue trabalhar com eletroestimulação (so tem um orifício para saída). Penis – Falo. Em algumas espécies se faz exposição e manipulação de abdome e em outras exposição e manipulação de períneo.
Na maioria das aves (acho que silvestres) o ejaculado não sai a jato e sim gotejamento.
COLETA DE SÊMEN EM ANIMAIS SILVESTRES
Várias formas de fazer, depende da espécie.
Contenção química + física. Poucas espécies se consegue fazer coleta sem nenhuma contenção ou somente com a física.
Quimica: 
- Sedação: Fazer jejum (12h a 24h monogástricos e 72h ruminantes). Evitar usar Xilasina, diazepam e derivados da fenotiazina (ex. acepromazina), pois provocam relaxamento de esfíncter muito grande, podendo ter contaminação do ejaculado por urina, perdendo a amostra.
Felinos silvestres também avaliar espiculas. O gato maracajá não possui espiculas, ele é exceção.
Usar uma probe diferente para cada espécie. Eletrodos sempre posicionado ventral.
CERVÍDEOS (SILVESTRE)
Com eletroejaculação. 
Possui chifre, que tem penugem e que é testosterona dependente (está em estação reprodutiva, produzindo sêmen de maior qualidade). Durante estação reprodutiva tem chifre maior.
ELEFANTE (SILVESTRE)
Por eletroejaculação. Dificilmente se consegue condicionar com a vagina artificial.
Testiculo é intracavitário (abdominal).
Fazer limpeza do reto e introduzir a probe intraretal.
CAMELÍDEOS (SILVESTRE)
Por eletroestimulação ou coleta com manequim artificial (monta mais ou menos natural). 
FIM!!!