A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Diarreia e parasitas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Julia S. Crescencio 
EPISÓDIOS DIARREICOS  
Caracterizar e classificar os tipos de diarreia e entender a fisiopatologia 
obs​: ver resumo de histopato 
Osmótica​: quando substâncias hidrossolúveis não absorvíveis permanecem na luz intestinal, 
retendo água. Ex.: laxantes, intolerância a lactose… 
Secretora​: quando o intestino secreta mais eletrólitos e água do que pode absorver. Por 
exemplo, infecções (ex.: gastroenterite) liberam enterotoxinas que bloqueiam as trocas de 
NA +-H +, uma importante força de absorção de líquidos. Ex. de outros fatores que 
estimulam a secreção intestinal: gorduras não absorvidas, fármacos… 
Inflamatória​: pela morte dos enterócitos; geralmente apresenta muco, pus e/ou sangue. Ex.: 
tuberculose, doença de crohn, colite 
Esteatorreia/disabsortiva​:​ má disabsorção de lipídios. Ex.: doença celíaca, doença de crohn 
Funcional​: diagnóstico de exclusão. Absorção e secreção normais. Ex.: síndrome do 
intestino irritável 
 
 Identificar os sinais de desidratação e a conduta de tratamento 
 
Julia S. Crescencio 
 
 
Julia S. Crescencio 
 
 
 
Julia S. Crescencio 
Conhecer os principais parasitas e seus ciclos biológicos 
 
Helmintos 
Parasita​: Ascaris lumbricoides (ascaridíase) 
Ciclo biológico: ​Ingestão de ovos com larva madura ➡ eclosão no intestino delgado ➡ 
liberação da larva ➡ atravessa a mucosa do ceco por via linfática/venosa ➡ fígado ➡ AD 
➡ Artérias pulmonares ➡ alvéolos ➡ faringe ➡ deglutição ➡ lúmen do intestino delgado. 
O ciclo é de 15 a 30 dias até o momento e demora mais 30 a 60 dias para se tornar adulto e 
a fêmea iniciar a postura de ovos. 
 
Parasita​: Ancylostoma duodenale ou Necator americanus (ancilostomíase) 
Ciclo​: a larva L3 penetra na pele➡ via linfática/venosa➡pulmões➡ árvore respiratória➡ 
deglutição ➡ intestino delgado ➡ eliminação nas fezes após 35-60 dias. 
 
Parasita​: Strongyloides stercoralis (estrongiloidíase) 
Ciclo​: Na primo-infecção, penetram na pele e migram para o ciclo pulmonar. Na 
autoinfecção, os ovos das fêmeas habitantes do intestino eclode, penetram na mucosa e 
passam para o ciclo pulmonar. 
 
Parasita​: Trichuris trichiura (trichiuríase ou tricocefalíase) 
Ciclo​: Ingestão dos ovos ➡ liberação das larvas por ação dos sucos digestivos➡ após 90 
dias iniciam a ovoposição 
 
Parasita​: Enterobius vermicularis (enterobíase ou oxiuríase) 
Ciclo​: A fêmea posta os ovos na região anal, causando intenso prurido. A ingestão ou 
inalação dos ovos liberam larvas no intestino que se fixam no ceco. 
 
Parasita​: Taenia saginata e Taenia solium (teníase) 
Ciclo​: O porco é o hospedeiro intermediário da T solium e o gado da saginata. Possuem 
ventosas que se fixam à mucosa ➡ desprendem os ovos contaminando a pastagem ➡ 
consumidos pelos animais ➡ migram para o tecido conjuntivo dos músculos ➡ o homem 
ingere a carne 
 
Parasita​: Hymenolepis nana (himenolepíase) 
Ciclo​: Ingestão dos ovos ou auto infestação com a liberação intraluminal de ovos. Parasita 
habitual do rato. 
 
Parasita​: Diphyllobothrium latum (difilobotríase) 
Ciclo​: Peixe cru/defumado. Os parasitas infestam o intestino delgado e consomem B12. 
 
 
 
 
 
Julia S. Crescencio 
Protozoários 
Parasita​: Entamoeba histolytica e Entamoeba dispar (amebíase) 
Ciclo​: Ingestão de cistos ➡ desencistamento antes de alcançar o intestino grosso ➡ 
multiplicam-se transformando em trofozoítos ➡ em condições adversas sofrem 
encistamento e são eliminados nas fezes. Quando o equilíbrio parasito-hospedeiro é 
rompido, os trofozoítos invadem a mucosa e formam úlceras. Pela circulação podem invadir 
outros órgãos. 
Parasita​: Balantidium coli (balantidíase) 
Ciclo​: parasita natural do porco. Infecção semelhante à amebíase. 
 
Parasita​: Giardia lamblia (giardíase) 
Ciclo​: ingestão de cistos por alimento contaminado, que se transformam em trofozoítos no 
duodeno, multiplicando-se e fixando-se a mucosa. 
 
Parasita​: Cryptosporidium sp. (criptosporidiose) 
Ciclo​: ingestão de alimentos contaminados com oocistos que invadem os enterócitos e se 
localizam em vacúolos, causando danos a morfologia dos enterócitos, atrofia vilositária e 
intenso infiltrado respiratório. 
 
Parasita​: Isospora belli (isosporíase) 
Ciclo​: alimentos contaminados. No intestino invadem os enterócitos e multiplicam-se, 
causando danos. 
 
Parasita​: Blastocystis hominis (blastocistose) 
Ciclo​: é um microrganismo comensal presente nas fezes, em pessoas imunodeprimidas 
pode causar infecção 
 
Parasita​: Cyclospora cayetanensis (ciclosporose) 
Ciclo​: é um coccídio intracelular e é mais um enteropatógeno predominante em 
imunodeficientes. 
 
Avaliar a necessidade de medicação 
Na maioria dos casos não se usa antibióticos, já que grande parte das diarréias são 
causadas por agentes virais. No entanto, podem ser indicados em: 
● casos de disenteria (com sangue) 
● na cólera 
● na infecção por giardia ou entamoeba 
● nos imunossuprimidos 
● nos pacientes com anemia falciforme 
● nos portadores de prótese 
● nas crianças com sinais de disseminação bacteriana extraintestinal 
Inicialmente, mesmo não comprovado, prevalece a hipótese de infecção por Shigella. 
● ciprofloxacino: primeira escolha 
● azitromicina 
● ceftriaxona e cefotaxima: casos graves 
 
Julia S. Crescencio 
Antiemeticos​: segundo a OMS não se faz uso, considerando que os vômitos tendem a 
desaparecer corrigindo a desidratação.