A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Slides da Unidade IV - Planejamento Mestre da Produção

Pré-visualização | Página 1 de 1

Planejamento-Mestre da Produção 1
Planejamento-Mestre
da Produção
Planejamento-Mestre da Produção
Programação da Produção
Longo Prazo
Médio Prazo
Curto Prazo
PMP inicial
viável
PMP final
Plano de Produção
não
sim
Planejamento-Mestre da Produção 2
Planejamento-Mestre
da Produção
Ø O PMP diferencia-se do plano de produção
sob dois aspectos:
Ø o nível de agregação dos produtos,
Ø a unidade de tempo analisada.
Arquivo do Plano-Mestre
de Produção - EXERCÍCIO
Ø Elaborar o Programa Mestre de Produção - PMP para o produto
apresentado na tabela abaixo, segundo as seguintes políticas:
Ø Lotes de 100 unidades.
Ø Estoque mínimo de 10 unidades.
Planejamento-Mestre da Produção 4
Arquivo do Plano-Mestre
de Produção
Ø Para facilitar o tratamento das informações,
empregamos um arquivo com as informações
detalhadas por item que será planejado.
Julho Agosto
1 2 3 4 1 2 3 4
Demanda prevista 50 50 50 50 60 60 60 60
Demanda confirmada 55 40 10 5 0 0 0 0
Recebimentos Programados 100
Estoques Projetados 5 50 100 50 100 40 80 20 60
PM P 100 100 100 100
Planejamento-Mestre da Produção 5
Julho Agosto
1 2 3 4 1 2 3 4
Demanda prevista 10 10 10 10 10 10 10 10
Demanda confirmada 9 5 3 1 0 0 0 0
Recebimentos Programados 0 0 0 0 0 0 0 0
Estoques Projetados 2 2 2 2 2 2 2 2 2
PMP 10 10 10 10 10 10 10 10
Disponibilidade de entrega 3 5 7 9 10 10 10 10
Julho Agosto
1 2 3 4 1 2 3 4
Demanda prevista 50 50 50 50 60 60 60 60
Demanda confirmada 55 40 10 5 0 0 0 0
Recebimentos Programados 100
Estoques Projetados 5 50 100 50 100 140 80 120 60
PMP 100 100 100 100
Arquivo do Plano-Mestre
de Produção
PMP com 
estoque 
mínimo de 
50
PMP para 
itens sob 
encomenda
Planejamento-Mestre da Produção 6
Itens que entram no PMP
Ø Não tendo uma quantidade excessiva de
produtos acabados que venha a inviabilizar os
cálculos, incluímos todos no planejamento.
Produto
Acabado
Componente
A
Componente
B
Componente
C
Opção 1 (0,10)
Opção 2 (0,40)
Opção 3 (0,50)
Opção 1 (0,20)
Opção 2 (0,60)
Opção 3 (0,20)
Opção 1 (0,70)
Opção 2 (0,30)
Produtos Acabados = 3 x 
2 x 3 = 18 variedades
Componentes = 3 + 2 + 3 
= 8 variedades
Planejamento-Mestre da Produção 7
O tempo no PMP
Ø O planejamento-mestre da produção trabalha
com a variável tempo em duas dimensões.
Ø Uma é a determinação da unidade de tempo para
cada intervalo do plano.
Ø Outra é a amplitude, ou horizonte, que o plano
deve abranger na sua análise.
Planejamento-Mestre da Produção 8
O tempo no PMP
Ø O planejamento-mestre da produção desmembra
o PMP em dois níveis de horizontes de tempo,
com objetivos diferenciados
Tempo
D
em
an
da
Demanda Real
Demanda Prevista
PMP Firme PMP Flexível
Planejamento-Mestre da Produção 9
O tempo no PMP
Ø A parte firme do plano deve abranger no mínimo o tempo do
caminho crítico da produção do lote do item que está se
planejando.
Compra da MP A
Tp=4dias/lote
Compra da MP 1
Tp=1dia/lote
Compra da MP 2
Tp=2dias/lote
Montagem do Produto
Tp=2h/unid.
Recurso: Montagem
Fabricação do Comp.A
Tp=1h/unid.
Recurso: Usinagem
Submontagem do Comp.B
Tp=2h/unid.
Recurso: Montagem
Fabricação da Peça 1
Tp=0,5h/unid.
Recurso: Usinagem
Fabricação da Peça 2
Tp=3h/unid.
Recurso: Estamparia
Exemplo:
Lote de 20 unid.
8 h/dia de trabalho por semana
O caminho crítico é de 19,5 dias
Planejamento-Mestre da Produção 10
Análise da capacidade
de produção
Ø A análise da capacidade de produção para o
plano de produção considerou a possibilidade de
trabalhar variáveis de longo prazo. Já as decisões
relativas ao PMP envolvem a negociação com
variáveis de médio prazo.
Ø A função da análise da capacidade produtiva do
PMP consiste em equacionar os recursos
produtivos da parte variável do plano, de forma a
garantir uma passagem segura para sua parte fixa
e posterior programação da produção.
Planejamento-Mestre da Produção 11
Análise da capacidade
de produção
Ø Rotina de análise da capacidade produtiva do
PMP:
Ø Identificar os recursos a serem incluídos na análise.
Como forma de simplificação pode-se considerar apenas
os recursos críticos, ou gargalos;
Ø Obter o padrão de consumo da variável que se pretende
analisar (horas-máquina/unidade, horas-homem/unidade,
m3/unidade, etc.) de cada produto acabado incluído no
PMP para cada recurso;
Ø Multiplicar o padrão de consumo de cada produto para
cada recurso pela quantidade de produção em cada
período prevista no PMP;
Ø Consolidar as necessidades de capacidade para cada
recurso.
Planejamento-Mestre da Produção 12
Análise da capacidade
de produção
Ø Em função dos períodos do PMP serem normalmente menores
do que o leadtime dos produtos incluídos no plano, os padrões
de consumo dos recursos devem levar em conta em que período
este recurso será acionado quando da programação do produto
acabado. Estes padrões de consumo são conhecidos como
“perfis de carga unitária do produto”.
1 2 3 4
0
0.5
1
1.5
2
H
or
as
1 2 3 4
Períodos
Usinagem
1 
h
0,
5 
h
Análise da capacidade
de produção - EXERCÍCIO
Uma empresa fabricante de peças de alumínio para a indústria
automobilística possui uma capacidade instalada de 10.000 (dez mil)
peças do tipo “A” por mês. Esta capacidade está limitada pelo setor de
Fundição da Peça “A” a qual passa pelas seguintes operações (os tempos
das operações estão em minutos/peça):
Análise da capacidade
de produção - EXERCÍCIO
Considerando um acréscimo na Demanda da ordem de 60% em relação a
Demanda/Produção atual mensal, elabore um programa de produção para
este centro de produção considerando que há confirmação dessa
Demanda para os próximos três meses, a instabilidade da economia e por
conseqüência o mercado. Condições atuais de trabalho da Fundição:
1. Jornada diária = 8,0 horas / dia
2. Jornada mensal = 22 dias úteis
3. Eficiência para o setor = 85%
Planejamento-Mestre da Produção 15
Julho Agosto
1 2 3 4 1 2 3 4
PMP 20 40 20 20 40
Análise da capacidade
de produção
Ø Podemos calcular a ocupação do setor de usinagem
multiplicando as quantidades previstas no PMP pelo perfil de
carga unitário do setor de usinagem para este produto.
1 2 3 4 5 6 7 8
0
5
10
15
20
25
30
35
40
H
or
as
1 2 3 4 5 6 7 8
Períodos
Usinagem
40
 h
40
 h
40
 h
10
 h
30
 h
20
 h
20
 h
Planejamento-Mestre da Produção 16
Análise da capacidade
de produção
Ø Fazendo o cálculo de ocupação para cada recurso
que nos interessa analisar, e confrontando-a com a
disponibilidade do recurso, podemos concluir se o
PMP que estamos planejando é viável, ou se
devemos alterar os planos de alguns produtos para
torná-lo viável.
Ø O uso dos perfis de carga unitários dos produtos para
calcular as necessidades de capacidade de produção é uma
forma rápida e simples de validação do PMP. Porém, ela não
leva em consideração duas questões importantes: o
tamanho dos lotes e os estoques disponíveis das partes
componentes.