Pré-visualização3 páginas
e aderências, porque as vezes agente demora a diagnosticar, principalmente em locais onde vc não tem manejo adequado,

Se vc conseguir coletar o sêmen (pq depende da dor), vc vai perceber que esse sêmen vai estar meio róseo (liquido sanguinolento) ou marrom, vc vai ver grumos de pus, consistência densa, no esfregaço vc vai observar neutrófilos e piócitos.
O pH está acido, então até vai ter SPTZ ali, mas vai ter vigor, motilidade, tudo diminuído.

Tratamento
O ideal é testar primeiro a tuberculose e brucelose.
Após, vou fazer uma cultura e antibiograma pra descobrir o agente e o antibiótico, porque o tratamento é longo, pelo menos 15 dias de antibiótico e o acesso de antibiótico ali é muito difícil, com isso se vc usar o antibiótico errado vc perde muito tempo com o animal.
Massagem na glândula, com isso vc ajuda a drenar ela. Existe uma forma de coleta de sêmen que é a massagem das ampolas, com isso o liquido vai drenando pra uretra.
Vc pode usar um antiinflamatório pra melhorar a condição do animal (flumexin meglumine), alem do antibiótico.
Repouso sexual.
Se estiver muito avançado, vc descarta o animal.

Prognostico
Quanto mais precoce eu diagnostico, melhor é o prognostico.

Próstata
Tem importância clinica pro cão. Nas outras espécies não se tem relato significativo de próstata.
Hiperplasia cística prostática
É um aumento do numero das células, acompanhado da formação de cistos.

A hiperplasia tem um punho hormonal, então normalmente está relacionado a um desequilíbrio hormonal desse macho levando a um aumento de volume, que é a hiperplasia da glândula.
Pode acometer cães até jovens, o problema é que evolui com a idade podendo chegar a neoplasia.
Recomendação no cão: castração e retirada de próstata, com isso vc tira o estimulo hormonal que estava desbalanceado e se tira a próstata pra evitar uma neoplasia.
Traz problemas de urinar, defecar, muitas vezes ele tem hematúria intermitente, hematura, pode apresentar disúria.

Quando vc palpa vc a percebe aumentada de volume, mas vc percebe ela com uma forma e consistência normal, homogênea (sem ser irregular), o que a difere da neoplasia. É visto isso na palpação digital e na imagem USG.

Tratamento
Castração com retirada da próstata.
Literatura fala em administração de estrógeno, mas a professora não recomenda.

Prognostico
Desfavorável, porque é o prognostico reprodutivo do animal, uma vez retirada a próstata e feita a castração o animal se recupera bem e tem prognostico bom.

Prostatite
Inflamação da próstata
Tem importância pro cão.
Não pode esquecer que cão também tem brucelose, com isso vc tem que pesquisar se o animal tem prostatise se tem a brucelose. Pode ser por via ascendente pela E. coli, mas não pode esquecer de testar para brucelose.

Sintomas
Tem sintomatologia sistêmica: tem vomito, febre, anorexia, e ai sintomas locais: disuria, tenesmo, constipação, piúria, hematúria, e a próstata vão estar aumentadas de volume, mas pode acontecer de ter aumento discreto de volume ai vc pode não identificar mesmo ele tendo.

Diagnostico
Cultura e antibiograma.
Vc vai coletar o sêmen desse animal, que é onde vc vai ter plasma seminal.
Caso vc não consiga coletar o sêmen, a sintomatologia facilita o diagnostico.

Tratamento
São tratamentos longos.
Como ele tem sintomatologia sistêmica, vc tem que fazer um suporte pra ele, como fluido, anti-emético, pra dar um conforto pra ele.

Prognostico
Depende do agente e da extensão da lesão

Tumor de próstata
É importante no cão, e normalmente associada a hiperplasia.
O principal é o adenocarcinoma prostático que é maligno e é metastático, por isso tiramos logo pra que a coisa não piore.

Sintomas
Dificuldade de micção e defecação, hematuria, aumento de volume, formato irregular da glândula, pode levar a caquexia do animal (diferente da hiperplasia que não vai levar a uma hiperplasia)

Diagnostico
Sintomas e exame USG
Próstata aumentada e sintomas compatíveis o diagnostico ai é cirúrgico.

Tratamento
Retirada do tumor.
Depois da retirada do tumor, vc faz a histopatologia.

Patologias de pênis

Pênis duplo ou diphallus
O animal tem 2 glandes, mas só uma delas é completa, a outra é uma bifurcação mas não tem função.
O animal não consegue realizar a copula, pois não consegue fazer a intromissão do pênis na vaca.
É uma alteração congênita
Recomendação é o descarte.

Pênis curto
Pode acometer eqüinos, ruminantes e suínos.
No suíno e ruminante vc verifica principalmente pela ausência do S peniano.
No eqüino vc vai verificar a exposição do pênis, porque a composição dele é músculo cavernoso. O eqüino consegue fazer cópula, e o touro dependendo do tamanho do pênis ele pode fazer a copula, mas vai ficar muito mais pra fora a deposição de sêmen.
É hereditário
É descarte da reprodução
Precisa de uma serie de diagnósticos diferenciais pra fechar.

Encurtamento do músculo retrator do pênis
Acometem suínos e ruminantes
Expõe pouco o pênis, e às vezes não expõe nada.
Vc vê um bololo atrás, que é diferencial pra pênis curto no períneo que vc não vê
Tem que diferenciar no caso dos idosos da calcificação do músculo retrator que é adquirido durante a idade. No animal com calcificação vc pode usar o sêmen do animal, porque é adquirido conforme a idade, vc usando um eletroejaculador vc consegue coletar o sêmen desse animal. Já no animal com encurtamento do músculo retrator do pênis não.

Desvio em espiral do pênis
Não consegue fazer a copula pq não faz a intromissão
Quando é jovem, às vezes essa espiral é discreto ai ele consegue fazer a copula. Mas quando ele é mais velho essa espiral é maior e ele não consegue mais fazer a cópula.
- bovinos na ejaculação
- ligeira torção em animais jovens
- patológico em animais adultos
- impede a copula
- manifestação intermitente
- não há tratamento
- retirar o animal da reprodução
Não é hereditário, mas vc deve descartar da reprodução porque os índices caem.

Desvio ventral de pênis
É uma fragilidade do ligamento dorsal do pênis
- Exposição do pênis com longa curvatura ventral
- Impede a copula, por isso vc deve retirar o animal da reprodução
- Tratamento cirúrgico não é eficiente
- Retirar animal da reprodução

Persistência do frênulo prepucial
É uma patologia freqüente. É a persistência de um feixe de tecido que prende a glande ao tecido.
Animal nasce com esse freio, quando chega à puberdade ele vai expor o pênis, no movimento de expor e retrair o pênis ele vai romper, mas tem animais que tem esse feixe muito espesso e não rompe com isso ele não consegue copular, porque o pênis está pra baixo e virado pra trás.
É uma patologia muito simples de tratamento, porem é hereditário, então não se deve fazer a reprodução desse animal.
- Feixe de tecido conjuntivo que une o prepúcio à parte ventral da glande
- causa desvio do pênis impedindo a protusão normal
- freqüente em cães e bovinos
- tratamento é a ressecção do ligamento
- devemos evitar o uso do reprodutor por ser hereditário

Patologias de uretra
Hipospadia
Epispadia: é uma abertura dorsal

Na hipospadia, a abertura ventral, podendo acontecer em qualquer porção do pênis.
É uma anomalia congênita porque não fechou adequadamente a uretra.
Problema dessa abertura inadequada: local de deposição do sêmen.
A hipospadia no bebe vai ter como conseqüência infecção urinaria pq ele usa fralda, então é mais freqüente uma contaminação ali causando uma infecção urinaria.
No animal vc tem um local inadequado da deposição do sêmen, conseqüentemente esse animal é infértil.
Não é hereditário, é consangüíneo, é congênito.
Vc fecha a abertura e castra o animal

Patologias de pênis

Ruptura da túnica albugínea
- ocorrência freqüente em bovinos.
Mas podem acometer eqüinos e cão junto com fratura de pênis (pra essas 2 espécies só ocorre junto com a fratura).
Em bovinos pode acontecer junto com fratura, com traumatismo que faz ruptura de túnica albugínea
É feio, mas tem tratamento, então vc não precisa descartar.
- junto com fratura de penis
- animais jovens por inexperiência
- acidentes durante a cópula
- porta de