Pré-visualização3 páginas
entrada para infecções secundárias
- abscessos que causam fimose
- lesão do ducto cavernoso com sangramento
- animal sente dor e não expõe o pênis
- evita a ereção
- prognostico é favorável. Tem solução, mas é trabalhoso, vc vai fazer sutura e depois todo dia vc vai fazer o touro expor o pênis, limpa o pênis e vc usa pomada que ajuda a deslizar a ferida e não fazer a aderência. Vai ter que entrar com antibiótico, antiinflamatório pra diminuir o edema do pênis e evitar problemas futuros.
Se houver trauma em eqüino e cão, vc tem que fazer a penectomia. Já em bovino só a sutura resolve.

Fratura de pênis
- Ocorrência freqüente em bovinos
- Junto com ruptura da túnica albugínea
- Formação de hematoma peniano
- Animais jovens por inexperiência
- Acidentes durante a cópula

- pomadas emolientes com antibióticos para prevenir aderência
- repouso sexual
- compressas para diminuir edema
- prognostico favorável em bovinos e desfavoráveis em cães e eqüinos.

Aderências
- secundárias a traumatismos e infecções.
- animal tenta copular e não expõe o pênis
- diagnostico diferencial pra pênis curto e encurtamento do músculo retrator do pênis.
- tratamento é cirúrgico, fazendo muito curativo pra que não aconteça nova aderência
- recidiva é freqüente
- usar antibióticos tópicos oleosos

Balanite
Inflamação do pênis que pode ser traumática ou infecciosa
Traumática pode ser: sobreuso do animal ou um acidente (Ex. ruptura de túnica)
A causa traumática é resolvida com repouso sexual
- animais jovens porque é traumático
Agentes infecciosos, vc tem muito por vírus, como: tritrichomonas foetus, campulobacter foetus, herpesvirus da IBR e exantema coital
Infecciosa: São mais “suaves” do que as traumáticas em termos de sintomatologia, vc vai ter um processo inflamatório mas vc não vai ver um pênis exposto o tempo inteiro por parafimose (que é exposição do pênis o tempo inteiro)
É uma DST, isso é um problema porque passa pra fêmea. Pra fêmea ela não consegue emprenhar. O prejuízo do quadro de balanite pq vai todo mundo ficar no prejuízo porque vai ter que fazer repouso desses animais. Vc lava pra evitar uma infecção secundária e espera. O animal não tem dor, a dor é muito discreta e não interfere na reprodução do animal, na traumática não ele sente muita dor.
- diagnostico visual e antibiograma

Tumores de pênis
Fibropapiloma
É igual ao vírus papiloma cutâneo, são aquelas verrugas.
É comum em bovino, mas ocorre em eqüinos também
Os papilomas podem estar espalhados em todo o pênis como podem estar localizados. Podem estar em forma de couve flor como podem estar mais planos.
- pode provocar fimose
- transmissão venéria através de solução de continuidade
- tratamento cirúrgico podendo haver recidiva
- vacina autógena. No resultado que a professora fez não foi boa.
- histopatologia

É difícil de tratar, é uma DST, pois pode transmitir para outros animais

Carcinoma
É um tumor de pênis que acomete mais eqüino
É um tumor que ulcera com facilidade e fica com um cheiro e aspecto muito ruim
Normalmente faz diagnostico diferencial pra habronemose
Faz a amputação de pênis
Causa parafimose. Vai ulcerando e as vezes vai caindo uns pedaços dele.
É doloroso.
Ocorre com muita freqüência em glande

Tumores
TVT(transmissible veneral tumor) ou tumor de sticker
- comum em cães
- base do pênis e loja prepucial
- acomete fêmea também
É uma DST, acomete muito pênis e focinho (pq o animal cheira)
O TVT tem tratamento, é demorado mas vc trata e consegue a recuperação do animal.
Tratamento é a vincristina

- transmissão por implantação de células intactas
- incubação de 5 a 7 semanas
- diagnostico simples
- tratamento cirúrgico é raro, radioterapia ou sulfato de vincristina (que é um antineoplásico)
- cura espontânea é raríssima
- animal continua copulando nos casos mais brandos

Patologias do prepúcio

Fimose
- freqüente em cães e Tb em eqüinos
- estreitamento congênito do anel prepulcial impedindo a exposição do pênis
Fimose é a não exposição do pênis
A parafimose ele expõe e não consegue retrair o pênis
- genético
- diagnostico simples
- secundaria (adquirida) por lesão no anel inguinal e fibrose da região
- tratamento cirúrgico e prognostico favorável.
Ex. aderências, encurtamento do músculo retrator do pênis, aumento de volume do pênis (não consegue passar pelo ósteo prepulcial)

Parafimose
Animal está com pênis exposto e não consegue voltar com o pênis pra dentro do prepúcio
Pode ocorrer uma parafimose secundaria a uma fimose. A parafimose é pior que a fimose porque a mucosa está sendo exposta e com isso está mais sujeito a lesões.
- Tratamento, prognóstico, tudo depende da causa primária. Se for uma coisa benigna que possa tratar como uma balonite traumática o prognóstico é bom, vc resolve a parafimose.
- Secundaria a fimose, castração, tranqüilizantes, paralisia do pênis,

Acrobustite
Normalmente acontece no touro com prepúcio comprido, pq a mucosa prepucial faz um prolapso com isso bate no capim, pedra, etc, e faz um processo inflamatório que é a acrobustite. Por isso que o prepúcio tem que estar na altura do jarrete, senão gera muito problema reprodutivo
- prepúcio penduloso e maior abertura do anel prepucial são fatores predisponentes
- prolapso da mucosa prepucial
- tratamento e prognostico dependem do grau da lesão

A resolução da acrobustite é cirúrgica, vc vai retirar o excesso, com postoplastia.
MT encontrado na raça Indu brasileiro porque ele tem muito problema com prepúcio comprido por isso que não se recomenda usar o animal na reprodução.