Instalações Elétricas - NBR 5410(2004) - Instalações Elétricas De Baixa Tensão - Comentada
448 pág.

Instalações Elétricas - NBR 5410(2004) - Instalações Elétricas De Baixa Tensão - Comentada

Disciplina:INSTALAÇÕES ELÉTRICAS744 materiais10.528 seguidores
Pré-visualização50 páginas
corpo humano
Código Classificação Características Aplicações e exemplos

BB1 Alta Condições secas

Circunstâncias nas quais
a pele está seca
(nenhuma umidade,
inclusive suor)

BB2 Normal Condições úmidas

Passagem da corrente
elétrica de uma mão à
outra ou de uma mão a
um pé, com a pele úmida
de suor, sendo a
superfície de contato
significativa

BB3 Baixa Condições molhadas

Passagem da corrente
elétrica entre as duas
mãos e os dois pés,
estando as pessoas com
os pés molhados ao
ponto de se poder
desprezar a resistência
da pele e dos pés

BB4 Muito baixa Condições imersas
Pessoas imersas na
água, por exemplo em
banheiras e piscinas

ABNT NBR 5410:2004

© ABNT 2004 ? Todos os direitos reservados 31

4.2.6.2.3 Contato das pessoas com o potencial da terra

Conforme tabela 20.

Tabela 20? Contato das pessoas com o potencial da terra

Código Classificação Características Aplicações e exemplos

BC1 Nulo Locais não-condutivos

Locais cujo piso e paredes sejam
isolantes e que não possuam nenhum
elemento condutivo

BC2 Raro

Em condições
habituais, as
pessoas não estão
em contato com
elementos
condutivos ou
postadas sobre
superfícies
condutivas

Locais cujo piso e paredes sejam
isolantes, com elementos condutivos em
pequena quantidade ou de pequenas
dimensões e de tal forma a
probabilidade de contato possa ser
desprezada

BC3 Freqüente

Pessoas em
contato com
elementos
condutivos ou
postadas sobre
superfícies
condutivas

Locais cujo piso e paredes sejam
condutivos ou que possuam elementos
condutivos em quantidade ou de
dimensões consideráveis

BC4 Contínuo

Pessoas em
contato
permanente com
paredes metálicas
e com pequena
possibilidade de
poder interromper
o contato

Locais como caldeiras ou vasos
metálicos, cujas dimensões sejam tais
que as pessoas que neles penetrem
estejam continuamente em contato com
as paredes. A redução da liberdade de
movimentos das pessoas pode, por um
lado, impedi-las de romper
voluntariamente o contato e, por outro,
aumentar os riscos de contato
involuntário

4.2.6.2.4 Condições de fuga das pessoas em emergências

Conforme tabela 21.

ABNT NBR 5410:2004

32 © ABNT 2004 ? Todos os direitos reservados

Tabela 21? Condições de fuga das pessoas em emergências

Código Classificação Características Aplicações e exemplos1)

BD1 Normal
Baixa densidade de
ocupação Percurso de fuga
breve

Edificações residenciais
com altura inferior a 50
m e edificações não-
residenciais com baixa
densidade de ocupação
e altura inferior a 28 m

BD2 Longa
Baixa densidade de
ocupação Percurso de fuga
longo

Edificações residenciais
com altura superior a
50 m e edificações não-
residenciais com baixa
densidade de ocupação
e altura superior a 28 m

BD3 Tumultuada Alta densidade de ocupaçãoPercurso de fuga breve

Locais de afluência de
público (teatros,
cinemas, lojas de
departamentos, escolas,
etc.); edificações não-
residenciais com alta
densidade de ocupação
e altura inferior a 28 m

BD4 Longa etumultuada
Alta densidade de ocupação
Percurso de fuga longo

Locais de afluência de
público de maior porte
(shopping centers,
grandes hotéis e
hospitais,
estabelecimento de
ensino ocupando
diversos pavimentos de
uma edificação, etc.);
edificações não-
residenciais com alta
densidade de ocupação
e altura superior a 28 m

NOTA As aplicações e exemplos destinam-se apenas a subsidiar a avaliação de situações
reais, fornecendo elementos mais qualitativos do que quantitativos. Os códigos locais de
segurança contra incêndio e pânico podem conter parâmetros mais estritos. Ver também ABNT
NBR 13570.

4.2.6.2.5 Natureza dos materiais processados ou armazenados

Conforme tabela 22.

ABNT NBR 5410:2004

© ABNT 2004 ? Todos os direitos reservados 33

Tabela 22? Natureza dos materiais processados ou armazenados

Código Classificação Características Aplicações e exemplos

BE1 Riscos desprezíveis ? ?

BE2 Riscos de incêndio

Presença de substâncias
combustíveis, como fibras
e líquidos com alto ponto
de fulgor

Locais de processamento
ou armazenagem de
papel , feno, palha,
aparas ou gravetos de
madeira, fibras de
algodão ou lã,
hidrocarbonetos, plásticos
granulados

BE3 Riscos de explosão

Presença de substâncias
inflamáveis, como líquidos
com baixo ponto de fulgor,
gases e vapores, pós
combustíveis sujeitos a
explosão e substâncias
explosivas

Locais de processamento
e armazenagem de pós
combustíveis (amido de
milho, açúcar, farinhas,
resinas fenólicas,
plásticos, enxofre,
alumínio, magnésio, etc.);
indústrias químicas e de
petróleo; usinas e
depósitos de gás; fábricas
e depósitos de explosivos

BE4 Riscos de contaminação
Presença de alimentos,
produtos farmacêuticos e
análogos, sem proteção

Indústrias alimentícias,
grandes cozinhas. Certas
precauções podem ser
necessárias para evitar
que os produtos em
processamento sejam
contaminados, por
exemplo, por fragmentos
de lâmpadas

4.2.6.3 Construção das edificações

4.2.6.3.1 Materiais de construção

Conforme tabela 23.

Tabela 23? Materiais de construção

Código Classificação Características Aplicações e exemplos

CA1 Não-combustíveis ? ?

CA2 Combustíveis
Edificações construídas
predominantemente com
materiais combustíveis

Edificações de madeira e
similares

4.2.6.3.2 Estrutura das edificações

Conforme tabela 24.

ABNT NBR 5410:2004

34 © ABNT 2004 ? Todos os direitos reservados

Tabela 24? Estrutura das edificações

Código Classificação Características Aplicações e exemplos

CB1 Riscosdesprezíveis ? ?

CB2
Sujeitas a
propagação de
incêndio

Edificações cuja forma e
dimensões facilitem a
propagação de incêndio (por
exemplo, efeito chaminé)

Edificações de grande
altura ou edificações com
sistemas de ventilação
forçada

CB3 Sujeitas amovimentação

Riscos devidos, por exemplo,
a deslocamentos entre
partes distintas de uma
edificação ou entre esta e o
solo; acomodação do terreno
ou das fundações

Edificações de grande
comprimento ou
construídas sobre
terrenos não estabilizados

CB4 Flexíveis ouinstáveis

Estruturas frágeis ou sujeitas
a movimentos (por exemplo,
oscilação)

Tendas, estruturas
infláveis, divisórias
removíveis, forros falsos

NOTA Para uma classificação mais específica do componente, que vá além daquelas indicadas nas tabelas 1 a 24,
consultar as IEC 60721-3-3 e IEC 60721-3-4.

4.2.7 Compatibilidade

4.2.7.1 Devem ser tomadas medidas apropriadas quando quaisquer características dos componentes da
instalação forem suscetíveis de produzir efeitos prejudiciais em outros componentes, em outros serviços ou
ao bom funcionamento da fonte de alimentação. Essas características dizem respeito, por exemplo, a:

? sobretensões transitórias;

? variações rápidas de potência;

? correntes de partida;

? correntes harmônicas;

? componentes contínuas;

? oscilações de alta freqüência;

? correntes de fuga.

4.2.7.2 Todos os componentes da instalação elétrica devem atender às exigências de compatibilidade
eletromagnética e ser conforme o que as normas aplicáveis prescrevem, neste particular. Isso não dispensa,
porém, a observância de medidas destinadas a reduzir os efeitos das sobretensões induzidas e das
perturbações eletromagnéticas em geral, como indicado em 5.4.

4.2.8 Manutenção

Devem-se estimar a freqüência e a qualidade da manutenção com que a instalação pode contar, ao longo de
sua vida útil. Esse dado deve ser levado em conta na aplicação das prescrições das seções 5, 6, 7 e 8, de
forma que:

? as verificações periódicas, os ensaios, a manutenção e os reparos necessários possam ser
realizados de forma fácil e segura;

C

C

C

C

C

C

C

ABNT NBR 5410:2004

© ABNT 2004 ? Todos os direitos reservados 35

? a efetividade das medidas de proteção fique garantida;

? a confiabilidade dos componentes, sob o ponto de vista do correto funcionamento da instalação, seja
compatível com a vida útil prevista desta.

5 Proteção para garantir segurança

5.1 Proteção contra choques elétricos

5.1.1 Introdução

5.1.1.1 Princípio fundamental

O princípio que fundamenta as medidas de proteção contra choques especificadas nesta Norma pode ser
assim resumido:

? partes vivas perigosas