Fisiopat 30.03.11
13 pág.

Fisiopat 30.03.11

Pré-visualização4 páginas
que vai fazer: fluidoterapia, antiinflamatório, antibioticoterapia de amplo espectro (não dá pra esperar o resultado pra fazer, vc entra com um antibiótico de amplo espectro) . vc tem que entrar logo com o tratamento, se vc tratar vc salva. 
O que vc não pode é esperar. 
Faço tratamentos preventivos, ex. não espero ela ter uma metrite, eu já entro com o antibiótico (banamine e flumexine) e dimetilsulfóxido (DMSO, dimesol no soro IV)
Num primeiro momento não mexer no útero porque a parede está friável e sensível.
Síndrome mastite-mastite agalaxia (MMA)
	Acomete porcas no pós-parto.
É importante no esquema de produção de suínos, porque é um agente bobo, que já está no TGI. 
Isso está relacionado a estresse, principalmente estresse de manejo. Ex. troca o tratador, tira as companheiras do lado dela, ambiente sujo, diminuiu ração drasticamente, tudo que mude radicalmente o manejo pode levar a uma diminuição brusca de imunidade e ela vai fazer uma metrite.
Em decorrência dessa metrite faz septicemia, ela vai fazer uma mastite com conseqüente agalaxia (ausência de leite, ela pára de produzir leite). A porca morre de septicemia e os filhotes morrem de fome.
Vc trata o animal, porem é um custo enorme (porque se vc interferiu no manejo de uma, vc interferiu no manejo de todas), tanto pra tratar a porca quanto amamentar os filhotes.
Isso nas suinoculturas nacionais não acontece, pois os profissionais não deixam acontecer.
Metrite: septicemia, mamite, agalaxia
Fatores predisponentes: rotatividade na maternidade
			Higiene deficiente
			Modificações de manejo e alimentação 
Piometrite (ou piometra)
Acomete mais comuns cadelas e vacas, mas as outras espécies também podem apresentar porem com menos freqüência.
A origem é sempre hormonal, é geralmente um distúrbio hormonal.
Na vaca: 
Normalmente relacionada ao hiperestrogenismo que causa aumento de muco (mucometro), o comportamento dessa fêmea é de cio o tempo todo (ninfomania). O excesso de montas (independente do touro) pode levar a uma contaminação da mucometra levando a piometrite.
O quadro de piometrite em animais de grande porte é diferente da cadela com piometrite. 
A cadela tem aumento da secreção, se for fechada vc não vê. Apatia, dor abdominal, diminuição de apetite, e se vc não tratar ela, morre.
A vaca sobrevive com piometra, trabalha todo dia com o pus escorrendo pelas pernas, convive com aquilo normalmente. A clínica é totalmente diferente, vc tem quadros diferentes, o animal pode não estar muito bem, mas ele vive com aquilo.
Não tem como tratar, porque a parede uterina (mucosa) está totalmente destruída. O que vc poderia fazer é a retirada do útero e discarte da reprodução.
Cadela
Não necessariamente faz septicemia, mas ela morre disso. 
O distúrbio hormonal da cadela é pela progesterona.
Fase progesteronica (P4) da cadela é de 60 dias.
Cadela no cio, cobriu, e entrou na fase progesteronica, só que esse cão contaminou ela durante essa copula, como a fase progesteronica dela é muito longa, ela fica imunossuprimida esse tempo todo. Então aquele agente infeccioso não encontra muita resistência, fazendo uma piometra.
E se a cadela não tiver cruzado ou for nulípara (que nunca cruzaram), o que acontece?
Em algumas fêmeas essa fase progesteronica longa pode levar a um quadro de hiperplasia endometrial, um estímulo constante naquele endométrio fazendo com que haja produção aumentada da progesterona. Não é que aumentou a progesterona dela, o estimulo continuo dela pode levar a uma hiperplasia endometrial. Isso vai gerar presença de muco, vai gerar uma mucometra.
O que fazer numa cadela com piometrite: histerectomia
Existem alguns tratamentos conservativos, com antibioticoterapia sistêmica com prostaglandina pra fazer a retirada do CL.
Vc tem que saber se o animal tem clinica pra isso pra poder fazer isso 
Outra coisa: a Prostaglandina tem efeitos colaterais como: coma e morte. Então aplicar a prostaglandina na cadela é em clinica, monitorada.
 
Metrite contagiosa eqüina
- etiologia: Taylorella equigenitallis (presente no clitóris (fossa clitoriana) e fossa uretral do macho)
- sinais: edema e hiperemia da cérvix
	Secreção vaginal mucopurulenta
	Infertilidade temporária (2 a 3 semanas)
	Congestão endometrial
	Descamação completa do endométrio
Doença sexual transmissível: não há lesões no garanhão
O macho na hora que passar o pênis sobre o clitóris, ele se contamina, fica um portador assintomático e transmite pra outra que ele for cobrir.
Por isso vc tem que higienizar a fossa uretral do macho.
Não existe no Brasil.