Exemplo de Trabalho COMPLETO (Posto Verde)
30 pág.

Exemplo de Trabalho COMPLETO (Posto Verde)

Disciplina:PRINCIPIOS DE MARKETING53 materiais3.139 seguidores
Pré-visualização6 páginas
uma loja de conveniência de tão alto nível e com uma proposta tão diferenciada.
Estrelas: Apesar de sermos denominados como um “posto de gasolina”, vendemos apenas biocombustíveis: bioetanol e biodiesel. Esses estão crescendo e há a expectativa de que eles se tornem “vacas leiteiras”, pois com o desenvolvimento de novos mercados e o aumento das vendas pode-se prever também uma redução dos custos, transformando estes produtos em “vacas leiteiras”.
Criança Problema: Os postos de reciclagem foram implementados apenas dois meses atrás. Apesar de eles terem potencial de atrair consumidores, organizações e até mesmo escolas, os postos reciclagem, em si, ainda não se fortaleceram o suficiente para manter uma clientela e uma lucratividade de longo prazo.

MATRIZ DE ATRATIVIDADE DO SETOR/FORÇA COMERCIAL DA GENERAL ELECTRIC

Acima, pode-se observar a matriz de atratividade do setor/força comercial da General Electric. No momento a atratividade do mercado é alta, porém nossa força competitiva é média. A tendência é que a atratividade do mercado se mantenha elevada. O que precisamos mudar para que haja mais interesse tanto de investidores quanto do mercado é a nossa participação. Exatamente por isso, estamos investindo R$ 10 milhões de reais em Pesquisa e Desenvolvimento nos próximos três anos e temos projeção para investir de 200% a 400% desse valor até 2018. Somente com novas tecnologias mais efetivas, especializadas e limpas poderemos nos destacar em um mercado tão consolidado por empresas de grande porte. Há também negociações com Fundos de Private Equity para captar recursos ainda mais significativos em troca de uma parte da sociedade.
O círculo em vermelho representa aonde acreditamos que estamos situados. Por enquanto, nossa estratégia é de manter a participação.

AS CINCO FORÇAS DE PORTER

Acima, pode-se observar as cinco forças criadas por Michael Porter. Para analisá-las de acordo com o cenário do mercado em que nos encontramos, classificaremos cada uma das cinco forças com um grau de atratividade de 1-3.
Obs: sendo “3” a mais atrativa/positiva para o Posto Verde

Poder de Barganha dos Fornecedores (1)
No momento, o nosso poder de barganha perante os fornecedores ainda é muito baixo. Não estamos entre os maiores clientes de nossos fornecedores. Exatamente por isso, o nosso volume de compra não é significativo o suficiente para que possamos pedir reduções no preço. Estamos sujeitos ao preço que o fornecedor estabelecer. Contudo, a perspectiva é de que com o crescimento da empresa e, consequentemente, o aumento das compras com fornecedores, nosso poder de barganha aumente significativamente.
Poder de Barganha dos Clientes (2)
Por lidarmos majoritariamente com pessoas físicas (caminhões e outros meios de transporte comerciais ainda não são clientes) a barganha é menos impactante. Há uma maior necessidade de barganha em trocas entre pessoas jurídicas. Mesmo que não haja uma barganha direta, é necessário que nossos preços não estejam demasiadamente acima dos concorrentes para que se houver uma comparação eles não optem por abastecer em outro posto.
Ameaça de Novos Entrantes (3)
Por estarmos em um mercado consolidado cuja entrada requere investimentos gigantescos, poderá haver novos entrantes, mas não serão muitos e as chances deles sobreviverem por mais de cinco anos são mínimas. Como estamos sendo pioneiros em um novo sub-mercado que denominamos de “postos de gasolina verdes”, algum concorrente que tente entrar estará chegando tarde para fazer algo similar, tendo assim menos chances de ter sucesso. Também, localizamos um ponto estratégico, a Zona Sul, já que as pesquisas demonstraram que nessa região há mais poder de compra de biocombustíveis e os outros produtos oferecidos pelo posto e também uma maior educação e conscientização ambiental, fazendo com que os moradores desta região estejam mais dispostos a pagarem por produtos “verdes”. Outra vantagem de nosso ponto é que sua localização está em um ponto onde o fluxo de carros é intenso, o que significa: mais motorista precisando de um posto e um terreno menos caro, pois a demanda por um local tão barulhento é menor. Os preços para iniciar um posto em outros pontos da Zona Sul como Leblon, Ipanema e Lagoa chegam a ser quase que o triplo. No momento, os únicos postos disponíveis à venda na Zona Sul são os da Bartolomeu Mitre e da Vieira Souto; logo os mais caros. Ou seja, o investimento será tão alto que dificilmente o empreendedor conseguirá recuperar o capital investido.
Ameaça de Produtos Substitutos (1)
Produtos substitutos são uma enorme ameaça. Se empresas maiores como a Petrobras decidirem investir fortemente em biocombustível, será extremamente difícil competir com eles. Nossa estratégia é acelerar nosso crescimento nos próximos cinco anos, período em que a maioria dos postos de gasolina ainda estará focada na gasolina comum. Quanto mais conseguirmos crescer, mais chances teremos de no mercado de biocombustíveis e postos de gasolina. Também, há a ameaça de pesquisadores fora de nossa empresa descobrirem um novo combustível que seja superior ao biocombustível que utilizamos. Se nossos combustíveis, que são nossos principais produtos, não forem os mais procurados pelo mercado, nossa empresa correrá sérios riscos.

Rivalidade entre Concorrentes (2)
Os concorrentes no mercado de postos de gasolina tendem a ter grande porte e o número é limitado, por isso é um mercado consolidado. É um mercado cuja fidelidade dos clientes é relevante, mas não é predominante. Por exemplo, um cliente que abastece freqüente na Texaco poderia um dia abastecer na Shell sem maiores problemas. Nosso objetivo é criar um “oceano azul” de postos verdes. É óbvio que temos uma parcela pequena do mercado total e competir com empresas bilionárias é bastante difícil, mas acreditamos que com uma forte campanha de marketing poderemos com o tempo criar clientes “verdes” que abasteçam a grande maioria das vezes em postos que trabalham somente com energias mais limpas. Na nossa visão é preferível dominar um mercado que seja novo e pequeno do que ter uma participação irrelevante em um mercado gigantesco.

ANÁLISE SOBRE AS CINCO FORÇAS:
Na análise das cinco forças de Porter, tentamos retratar a realidade com a maior precisão possível. Em duas das forças classificamos a atratividade como “1”, ou seja, “não muito atrativa”. Contudo, acreditamos que somente com certa quantia de sinceridade e transparência poderemos ter sucesso. Os obstáculos existem e não podemos maquiá-los. Sim, haverá dificuldades; todavia, acreditamos que com a nossa equipe altamente qualificada é possível superá-los. Com estudos e estratégias bem elaboradas poderemos superar as adversidades e somente assim tirar proveito das oportunidades e do enorme potencial de crescimento que este mercado possibilita.

MATRIZ DE ANSOFF

Acima, pode-se observar a Matriz de Ansoff. No momento, nosso foco principal é na penetração de mercado e o secundário é o desenvolvimento de produtos. Para que possamos nos destacar e crescer no mercado de combustíveis, é necessário que sejamos uma referência em bicombustíveis e que nossos produtos sejam superiores aos dos concorrentes. Para isso, é imprescindível a criação de novos produtos ou a melhoria dos atuais. Contudo, isso é uma estratégia de médio a longo prazo. Agora, o que mais precisamos é consolidar nossa marca e aumentar nossa receita para que nós possamos nos tornar uma empresa lucrativa e saudável financeiramente. Nossa expectativa é que em 10 anos nossa receita seja 5 vezes superior do que a atual. Entretanto, isso só ocorrerá se nós estudarmos bem o mercado e optarmos pela forma de crescimento mais adequada. A experiência que estamos adquirindo nesses primeiros anos é crucial para que possamos colher os frutos no futuro. Todas as tendências e projeções nos favorecem, porém só poderemos usufruir delas se nossa empresa estiver sólida e preparada.
	Como mencionado previamente, nosso plano de expansão inclui o desenvolvimento de novos mercados, mas isso