A Familia e Seu Ciclo Vital

Disciplina:TÓPICOS ESPECIAIS EM FISIOTERAPIA500 materiais3.341 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Clique para editar o estilo do título mestre
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
*
*
*

A FAMÍLIA E SEU CICLO VITAL
FISIOTERAPIA PREVENTIVA E SAÚDE DA COMUNIDADE II
2009
MS. ROANE CAETANO DE FARIA

*
*
*

*
*
*

A FAMÍLIA E SUAS NECESSIDADES BÁSICAS
A família é entendida como uma unidade epidemiológica, social e administrativa de trabalho.
As necessidades básicas da família estão relacionadas com o meio ambiente, a vida e a reprodução, alimentação, vestuário, habitação, educação, transporte, segurança, profissionalização, visão do mundo e saúde.
A consciência coletiva da família e da sociedade deve ser despertada para a relação tamanho da família/condições de vida para que crianças cresçam num ambiente sadio e com chance de ter educação e profissionalização para exercer alguma atividade especializada.

*
*
*

CUIDANDO DO BEBÊ

*
*
*

CUIDANDO DO BEBÊ
A vida das crianças é profundamente influenciada por seu ambiente social, cultural, psicológico e físico.

*
*
*

QUADRO COMPARATIVO ENTRE OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DE SAÚDE INFANTIL NOS PAÍSES DESENVOLVIDOS E EM DESENVOLVIMENTO
PAÍSES EM
DESENVOLVIMENTO
SANEAMENTO
POBREZA
ASSISTÊNCIA MÉDICA
ALTA TAXA DE NATALIDADE
DESNUTRIÇÃO
INFECÇÃO
DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM

*
*
*

*
*
*

*
*
*

*
*
*

*
*
*

QUADRO COMPARATIVO ENTRE OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DE SAÚDE INFANTIL NOS PAÍSES DESENVOLVIDOS E EM DESENVOLVIMENTO
PAÍSES
DESENVOLVIDOS
AUSÊNCIA DE COESÃO FAMILIAR
DESIGUALDADE DE ACESSO
CONSUMO EXCESSIVO
ABUSO DE DROGAS
REDUÇÃO DA MORBIMORTALIDADE POR ACIDENTE
DISTÚRBIOS DO NEURODESENVOLVIMENTO
TRANSTORNOS COMPORTAMENTAIS
DOENÇAS CRÔNICAS

*
*
*

*
*
*

*
*
*

Clique para editar o estilo do título mestre
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
*
*
*

A FAMÍLIA E SEU CICLO VITAL
SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

*
*
*

CUIDANDO DO BEBÊ
A VIDA DE UMA CRIANÇA NOS DOIS PRIMEIROS ANOS DE VIDA É DETERMINADA PELO AMBIENTE DOMÉSTICO.
A VIDA DA CRIANÇA PEQUENA É DETERMINADA PELA ESCOLA E AMIGOS.
O ADOLESCENTE É INFLUENCIADO PELOS AMIGOS E PELO MUNDO.

*
*
*

*
*
*

CUIDANDO DO BEBÊ
O grande número de pais que trocam de parceiros e o aumento de famílias reconstruídas significam que as crianças têm de lidar com uma gama de relações novas e complexas com pais e irmãos.
Isto pode acarretar dificuldades emocionais, comportamentais, motoras e sociais.

*
*
*

CUIDANDO DO BEBÊ
A POBREZA É UM DETERMINANTE FUNDAMENTAL DA SAÚDE E DO BEM-ESTAR DAS CRIANÇAS.

*
*
*

E A CRIANÇA CRESCE...
LACTENTE: neonato: < 4 semanas
 lactente: < 1 ano
SEGUNDO ANO: entre 1 e 2 anos
PRÉ-ESCOLA: entre 1 e 4 anos
ESCOLAR: entre 5 e 9 anos
ADOLESCENTES: entre 10 e 19 anos.

*
*
*

*
*
*

A OMS E O UNICEF ESTABELECERAM, EM 1989, OS 10 PASSOS PARA O SUCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO, QUE SÃO:
Toda unidade de saúde deve ter uma norma escrita sobre aleitamento, devendo ser transmitida a toda equipe de saúde;
Toda a equipe deve ser treinada e capacitada para utilizar essa norma;
Todas as gestantes devem ser informadas sobre as vantagens do aleitamento materno e como efetuá-lo;
Deve-se ajudar as mães a iniciar o aleitamento logo na primeira meia hora após o nascimento;
É importante ensinar as mães a amamentar e a manter a lactação;
Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento diferente do leite materno, a não ser por ordens médicas;

*
*
*

*
*
*

A OMS E O UNICEF ESTABELECERAM, EM 1989, OS 10 PASSOS PARA O SUCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO, QUE SÃO:
Exigir o alojamento conjunto sempre que possível;
Amamentar sob o regime de livre demanda;
Evitar bicos artificiais e chupetas;
Encorajar grupos de apoio ao aleitamento.

*
*
*

A OMS E O UNICEF ESTABELECERAM, EM 1989, OS 10 PASSOS PARA O SUCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO, QUE SÃO:
OFEREÇA O PEITO ASSIM QUE PUDER, SE POSSÍVEL NA SALA DE PARTO.

*
*
*

A AMAMENTAÇÃO PRECOCE:
FACILITA A SAÍDA DA PLACENTA;

EVITA HEMORRAGIAS;

ESTABELECE O VÍNCULO MÃE/FILHO.

*
*
*

*
*
*

*
*
*

CERTIDÃO DE NASCIMENTO
ATENÇÃO! É direito do recém-nascido ser registrado o quanto antes. A Certidão de Nascimento é um documento oficial obrigatório para se obterem os direitos de cidadania.

*
*
*

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
PAIS CASADOS:
Declaração de Nascido Vivo fornecida pelo hospital;
Certidão de casamento;
Duas testemunhas maiores de 21 anos de idade;
É necessário a presença do pai ou da mãe da criança.

*
*
*

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
PAIS NÃO CASADOS:
Declaração de Nascido Vivo fornecida pelo hospital;
Duas testemunhas maiores de 21 anos;
A filiação paterna somente poderá ser registrada se houver autorização escrita do pai ou se ele for o declarante;
Na certidão constará somente o nome da mãe, no caso de apenas ela ser a declarante e não ter a autorização do pai.

*
*
*

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
E se a criança não nascer em hospital?

São necessárias também duas testemunhas que assistiram ao parto ou possam confirmar a gravidez.

*
*
*

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
E se os pais tiverem menos de 16 anos?

É necessária a presença dos avós ou um responsável maior de 21 anos.

*
*
*

O QUE UM BEBÊ NECESSITA?
AMOR
CARINHO
TRANQUILIDADE
LEITE MATERNO
HIGIENE
VACINAS
AQUECIMENTO
ESTIMULAÇÃO
CONTROLE
PEDIÁTRICO
ATENÇÃO: NÃO SE ESQUEÇA DO TESTE DO PEZINHO!

*
*
*

TESTE DO PEZINHO

HIPOTIROIDISMO
HIPERPLASIA ADRENAL
FENILCETONÚRIA
AMINOACIDOPATIAS
FIBROSE CÍSTICA
GALACTOSEMIA

*
*
*

*
*
*

*
*
*

PREVALÊNCIA
Para cada 20.000 nascidos vivos:
1 fenilcetonúria;
6 hipotireoidismo;
2 anemia falciforme;
5 fibrose cística.

Clique para editar o estilo do título mestre
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
*
*
*

HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO

 Falta total ou parcial de hormônios;

 Geralmente não é de causa hereditária;

 Tratamento.

*
*
*

FIBROSE CÍSTICA
Mucoviscidose;
Autossômica
 Recessiva;

*
*
*

HEMOGLOBINOPATIAS

Problema na formação da Hb;
Anemia falciforme.

*
*
*

ANEMIA FALCIFORME
Hb diferente = Hb S;

Hb S, forma de foice após a liberação do O2.

*
*
*

*
*
*

*
*
*

ANEMIA FALCIFORME

População negra e seus descendentes;
Também em brancos;
Autossômica recessiva.

*
*
*

QUANDO EFETUAR A COLETA DO SANGUE?
Tempo ideal = 48 hs;

Sempre = alta hospitalar;

Alta < 48 horas.

*
*
*

LOCAL DE PUNÇÃO PARA A COLETA DO SANGUE

*
*
*

MATERIAL UTILIZADO PARA A COLETA DO SANGUE

*
*
*

MATERIAL FORNECIDO PELA
FEPE - SRTN

*
*
*

TESTE DO PEZINHO
TÉCNICA DE COLETA
I - PREENCHIMENTO DA FICHA

*
*
*

*
*
*

*
*
*

TÉCNICA INCORRETA

*
*
*

MÁS COLETAS
SUPER SATURADA
HEMÓLISE

*
*
*

AMOSTRAS CONTAMINADAS
SANGUE INSUFICIENTE
SANGUE EM EXCESSO
 HEMÓLISE

*
*
*

RESSECAMENTO
AMOSTRA ÚMIDA
INCOMPLETA
ADEQUADA

*
*
*

HISTÓRICO da FENILCETONÚRIA
Inicialmente estudada por Fölling;
Jervis em 1947, inabilidade de converter fenilalanina em tirosina;
Em 1953, Bickel et al., observaram que uma dieta pobre em fenilalanina, pode prevenir o retardo mental;
No Brasil, programa foi iniciado em São Paulo, no ano de 1976 pelo médico Benjamin Schmit.

*
*
*

METABOLISMO DA FENILALANINA
Fenilcetonúrico tem dificuldade para metabolizar a fenilalanina, este aminoácido acaba acumulando-se no sangue e em todo o corpo.
Como a fenilalanina não se transforma, acaba ocorrendo falta de tirosina e de neurotransmissores. O excesso de fenilalanina e a falta de tirosina e neurotransmissores podem causar deficiência mental.

*
*
*

HERANÇA AUTOSSÔMICA RECESSIVA
Fonte: www.pkup.com.br

*
*
*

Um dos pais é FENILCETONÚRICO (tem os dois genes alterados) e o outro é PORTADOR (não tem a doença, mas carrega um gene alterado): a cada gestação o bebê terá 50% de chance de nascer FENILCETONÚRICO e 50% de chance de nascer PORTADOR (sem fenilcetonúria, mas carregando um gene alterado).

Fonte: www.pkup.com.br

*
*
*

Um dos pais é FENILCETONÚRICO (tem os dois genes alterados) e o outro é NORMAL (não tem a doença e não carrega gene alterado): todos os filhos nascerão PORTADORES (sem fenilcetonúria, mas carregando um gene alterado).

Fonte: www.pkup.com.br

*
*
*

Pai e mãe são FENILCETONÚRICOS