Pré-visualização7 páginas
Interlagos:

Adailton Araujo da Silva

Professora: Sonia Maria Perroud Da Silveira Forest

São Paulo (SP)
2012

Interlagos

Atividades
Estruturadas

Trabalho de psicologia desenvolvimento e aprendizagem

São Paulo
2012

Aula1

Debate em fórum sobre o caso de “Victor o menino selvagem de Aveyron”
Com base nas três questões básicas: impactos da hereditariedade e do ambiente; pessoas são ativas ou passivas; e, desenvolvimento é contínuo ou ocorre por etapas.

O menino selvagem
No ano de 1798 numa floresta francesa, um garoto foi encontrado por caçadores, esse garoto era selvagem, e tentou fugir dos homens que o perseguiam, mesmo assim o garoto foi capturado e levado para Paris, que logo oi estudado por vários psiquiatras da época que os consideravam um simples idiota sem alguma chance e domesticação, ao contrario de um jovem medico que decidiu cuidar do garoto, e que era possível educar uma criança naquelas condições, sem ter quaisquer meio e cotato com o ser humano em um isolamento total.
Esse médico decidiu pedir a guarda do garoto para então por em pratica seu plano de educação com a ajuda de sua governanta. O menino passou a se chamar Victor, nome dado pela governanta. Toda vez que Victor fazia alguma coisa de errado ele era punido pelo doutor, sendo trancado em um quarto escuro e ficava lá por um tempo até refletir o que se tinha feito de errado, se o garoto acertasse os exercícios do medico ele era premiado com um copo d’água.
Ao passar do tempo, Victor já tinha aprendido bastante coisa com o doutor, e decidiu subir em uma árvore.
O medico achou que o menino tinha fugido por causa dos castigos, e viu que era inútil tentar fazer áquea criança progredir, já que ele tinha dificuldade na fala e ate mesmo no andar.
O medico ensinava o garoto em sala sitia e ate criou uns desenhos e pediu para eu o menino colocasse os objetos nos seus respectivos desenhos.
Isso era algo genético mesmo porque Victor já estava se comportando como uma pessoa civilizada.
Depois desses acontecimentos o doutor decide levar o garoto a floresta em que vivia e ele já não conseguia mais subir nas arvore porque mudaram seus hábitos, ele andava curvado não sentia muito frio, se contentava com nozes do chão, e aquele não era mais o seu estilo de vida, por mudar totalmente seu comportamento.

Bom esse filme relata em uma educação para a sociedade humana, que é possível desde cedo ter um bom desempenho de vida e ser educado em todos os sentidos. Esse filme pode ser visto por psicólogos, psicoterapeutas e estudantes da área afins, com intuito de educação.

Aula 2
Debate em fórum sobre como Freud, Erikson e Piaget se posicionar em relação á duas questões básicas: 1) impactos da hereditariedade e do ambiente; e, 2) pessoas são ativas ou passivas.

Freud , Erikson e Piaget
Impactos da hereditariedade e do ambiente pessoas são ativas ou passivas
De acordo com Freud, o homem tem um monte de repressão que o leva a sofrer de doença mental, falou do Édipo complexo onde o rapaz cumpre o seu pai como um rival para o seu relacionamento com sua mãe.
A Electra complexo onde a menina vínculo com sua mãe estabelece uma relação inveja do pênis é ausente e um ser tão pobre que ela nunca poderia desenvolver um forte superego e estão condenadas a viver campo de homens que representam simbolicamente o progenitor que não poderiam conquistar.
De acordo com Piaget e Erikson:
Erikson descreve a evolução da identidade, individualidade, conhecimento pessoal e as mesmas, e por problemas em torno dele.
Piaget teoria descrita por esquemas, que é o que pode ser reproduzido mais amplamente em uma ação, uma atividade operacional que se repete o indivíduo com o conhecimento passa por diferentes etapas para alcançar o nível adulto.
Para Freud, A mãe não necessariamente a própria mãe do bebe suficientemente boa é a que faz uma adaptação ativa as necessidades do mesmo, uma adaptação ativa que gradativamente diminui, de acordo com a crescente capacidade do bebe de suportar as falhas na adaptação e de tolerar os resultados das frustrações. Segundo Freud a personalidade desenvolve-se através de estágios, em cada fase uma parte do corpo fica mais sensível necessitando de estimulo. Tendo a saúde mental de cada haver com esse processo com que se desenvolve ao atingir e atravessar esses estágios e fixar-nos diferentes órgãos responsáveis pela energia desta satisfação.
A suas fases
Fase oral: boca – (0 - 1 ano+-)
A satisfação da criança é a boca. Exemplo: a amamentação.
Energia libidinal – maturação (0 - 2 anos +-)
Fixação, excesso ou ausência de satisfação da libido, e isso é levado para vida adulta, essas características comportamentais, o que resulta em uma fixação da fase oral. Exemplos: falar demasiadamente, roer as unhas, mascar muitos chicletes, fumar e beber tudo em excesso.
Zona anal (2 a 3 anos +-)
O prazer no ânus, na movimentação dos esfíncteres, ou seja, o abrir e fechar do ânus.
E o resultado da fixação no ânus na fase adulta é excesso de ordem, excesso de relaxamento, excesso de ser mão aberta ou uma pessoa sovina.
Zona fálica – (4 - 6 anos +-)
Phalos = órgão sexual masculino ou zona de prazer (genitálias).
Nessa fase desenvolve-se o complexo de Édipo, onde o menino apaixona-se pela mãe, e vê o pai como rival, e a o inicio do desenvolvimento do gênero (masculino e feminino).
Zona de latência (7- 12 anos +-)
Nela não some a vontade, mas fica guardada e não é mais uma necessidade, fica mais calma. A necessidade da criança fica adormecida, na fixação dos órgãos
 Fase genital (a partir dos 12 anos)
A energia libidinal se fixa nos órgãos sexuais (genitálias).
A libido está centrada no prazer dos órgãos genitais (sexualidade). O objetivo da fase é a reprodução.
E os mecanismos de defesa
Ego – livrar-se de ansiedade.
Regressão: comportamento que assume, de uma fase anterior para se defender. E quando o ego entra em confusão, ele tenta sair da situação de conflito e age com seus mecanismos de defesa.
Deslocamento: Você joga a sua ansiedade em algo inocente, exemplo: você teve um dia péssimo, e chega a casa e desconta no seu filho.
Compensação – direta: é quando você age diretamente no problema.
Compensação- indireta: é quando você compensa uma coisa com outra, que não é o seu problema real.
Racionalização: Quando você tenta justificar culturalmente um ato visto como anti-social.

Para Piaget, este momento inicial do desenvolvimento caracteriza-se por sensações e mobilidade. Aproximadamente do 0 aos 2 anos a atividade intelectual da criança é atureza sensorial motora: período sensório motor. Acredita-se que a criança não representa mentalmente os objetos. As ações é direta sobre eles, essas atividades serão o fundamento das atividades intelectual futura. A estimulação ambiental interferirá na passagem de um estagio para o outro. Neste período também já ocorre inicio do amadurecimento dos precursores da linguagem, por isso é importante estimular sempre o bebe em todas as áreas do desenvolvimento. Para Piaget a construção do conhecimento e a inteligência é uma forma de adaptação superior do ser humano, que se desenvolve ao longo de sua sobrevivência. E que todos se desenvolvem por um processo de aprendizagem para Piaget a aprendizagem pode ser construída através do tempo, para ele todo ser humano tem a capacidade de aprender.
Período sensório – motor (0 a 02 anos)
A criança conhece o mundo através dos sentidos (paladar, visão, tato, audição e olfato) e do movimento.
E do 2º mês ao 02 anos a criança passa por mais cinco fases que vai do comportamento reflexivo, á de sinais de representação interna, chamado de combinações mentais.

Período pré- operatório (02 a 07 anos)
Dos 02 aos 04 anos, aumenta a representação verbal, mas a fala ainda é para dentro somente para ela, fala da forma como quer que a entendam.
Aos 03 anos tem a atenção sobre algo, por vez. Não consegue argumentar.
Dos 04 aos 07 anos a comunicação verbal se torna menos voltada para si, e mais social. Não tem noção objetiva da realidade e nem é capaz de perceber as contradições. Não consegue