Instalações Elétricas - SENAI -  SC
118 pág.

Instalações Elétricas - SENAI - SC


DisciplinaInstalações Elétricas4.030 materiais32.539 seguidores
Pré-visualização25 páginas
8.3 Quadro De Distribuição E Proteção...................................................................75 
8.4 Fator de Demanda.............................................................................................76 
9 Tomadas De Corrente ..............................................................................................77 
10 Iluminação Elétrica .................................................................................................78 
10.1 Lâmpada Incandescente .................................................................................78 
11 Dispositivo De Controle De Circuitos Elétricos.......................................................82 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
6 
11.1 Interruptores ....................................................................................................82 
11.2 Controles De Iluminação .................................................................................85 
11.3 Contatores .......................................................................................................87 
12 Motores Elétricos ....................................................................................................92 
13 Paráraio ..................................................................................................................98 
13.1 Formação Dos Raios .......................................................................................98 
14 Trabalho De Instalação Elétrica............................................................................102 
15 Anexos..................................................................................................................103 
16 Símbolos Gráficos Para Instalações Elétricas Prediais \u2013 NBR 5444 \u2013 ABNT......110 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
7 
11 AA PPRROODDUUÇÇÃÃOO DDEE EENNEERRGGIIAA EELLÉÉTTRRIICCAA 
 
 
A geração industrial de energia elétrica pode ser usada por meio do uso da e-
nergia potencial da água (geração hidroelétrica) ou utilizando energia potencial dos 
combustíveis (geração termoelétrica). 
 
No Brasil, cerca de 90% da energia gerada, é através de hidroelétricas. 
 
11..11 UUssiinnaa HHiiddrrooeellééttrriiccaa 
As usinas hidroelétricas utilizam a força das quedas de água para colocarem em mo-
vimento as suas turbinas, movimentando assim os geradores e conseqüentemente 
gerando eletricidade. Devem se localizar próximos de rios e em lugares montanhosos, 
o custo desse tipo de usina é apenas de manutenção em geral e instalação da mes-
ma. 
 
11..22 UUssiinnaa TTeerrmmooeellééttrriiccaa 
As usinas termoelétricas utilizam a energia térmica para acionar os seus geradores, 
são compostas basicamente de turbinas acionadas pela queima de algum tipo de 
combustível, (carvão, petróleo, etc...). Devem se localizar próximo dos locais de pro-
dução do combustível em regiões planas de fácil acesso, o custo desse tipo de usina é 
maior do que a anterior, pois além do custo de manutenção em geral existe o custo da 
aquisição do combustível. 
 
11..33 UUssiinnaa NNuucclleeaarr 
As usinas nucleares utilizam a energia nuclear para acionar os seus geradores, pos-
suem reatores nucleares onde é depositado o material radioatívo, que libera a energia 
utilizada para movimentar as turbinas, que por sua vez movimentam os geradores, 
produzido energia elétrica. 
 
Pode se localizar em qualquer lugar, pois o material radioativo demora a ser 
substituído, (centenas de anos), seu custo principal é com manutenção geral, a segu-
rança é um ponto que deve ser tratado com cuidado, pois o material radioativo é muito 
poluente causando vários problemas ao meio ambiente caso haja um vazamento. 
 
11..44 UUssiinnaa AAlltteerrnnaattiivvaa 
 
Entre as usinas alternativas podemos destacar as usinas eólicas, utilizam a força 
dos ventos para movimentar seus geradores e as usinas solares, utilizam a energia 
solar para movimentar seus geradores. 
 
Sua produção de energia é pouca seu custo é alto e sua localização deve ser 
especial, ou seja, lugares onde não falte vento (usina eólica), lugares onde não falte 
sol (usina solar). 
 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
8 
22 AA TTRRAANNSSMMIISSSSÃÃOO DDEE EELLEETTRRIICCIIDDAADDEE 
 
 
A transmissão de eletricidade significa o transporte da energia elétrica gerada 
até os centros consumidores. 
 
Para que seja economicamente viável a tensão gerada nos geradores trifásicos 
de corrente alternada normalmente de 13,8kv deve ser elevada a valores padroniza-
dos em função da potência a ser transmitida e da distância dos centros consumidores. 
 
As tensões mais usuais em corrente alternada para linhas de transmissão são 
de: 69kv, 138kv, 230kv, 400kv, 500kv. 
 
A partir de 500kv, somente um estudo econômico vai decidir se deve ser utiliza-
da corrente alternada ou corrente contínua. Como é o caso da linha de transmissão de 
Itaipu com 600kv em corrente contínua. Neste caso, a instalação necessita de uma 
subestação retificadora, ou seja, transformar a tensão alternada em contínua e próxi-
mo aos centros consumidores, uma subestação inversora para transformar a tensão 
contínua em alternada, outra vez, antes de distribuir aos centros consumidores. 
 
O objetivo principal da transmissão em corrente contínua será o da diminuição 
das perdas por efeito corona, que é resultante da ionização do ar em torno dos condu-
tores, com tensões alternadas muito elevadas. 
 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
9 
33 DDIISSTTRRIIBBUUIIÇÇÃÃOO DDEE EENNEERRGGIIAA EELLÉÉTTRRIICCAA 
 
 
A distribuição de eletricidade é à parte do sistema elétrico já dentro dos sistemas 
de utilização (cidades, bairros, indústrias). 
 
A distribuição começa subestação abaixadora onde a tensão de linha de trans-
missão é abaixada para valores padronizados nas redes de distribuição primária 
(11kv, 13,2kv, 15kv, 34,5kv, etc...). 
 
A parte final de um sistema elétrico é a subestação abaixadora para a baixa tensão, ou 
seja, na tensão de utilização (380/220, 220/110, etc...). 
 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
10 
44 CCOONNCCEEIITTOO DDEE EELLEETTRROOTTÉÉCCNNIICCAA 
 
 
Tabela 1 \u2013 Grandezas elétricas 
 
Grandeza Símbolo Unidade de medida Símbolo 
 
Corrente I Ampère A 
Tensão U ou E Volt V 
Resistência R Ohm \u2126 
Potência P Watt W 
 
44..11 TTeennssããoo EEllééttrriiccaa 
 
Força que impulsiona os elétrons em um circuito fechado e também chamado de 
DDP (diferença de potencial), pois é conseqüência de um desequilíbrio entre partícu-
las atômicas de cargas negativas ou positivas. 
 
A tensão elétrica é CC (corrente contínua) quando permanece constante sem 
variar no tempo. Sua unidade é o Volt (V) e a grandeza é representada pela letra U ou 
E. 
 
 
Figura 1 - Representação da corrente contínua 
 
A tensão elétrica é CA (corrente alternada) quando varia em intensidade ou pola-
ridade no tempo. 
 
 
Figura 2 - Representação Da Corrente Alternada 
 
SENAI/SC 
Instalações Elétricas 
11 
44..22 CCoorrrreennttee 
 
É o fluxo orientado dos elétrons num circuito fechado. A corrente é chamada 
contínua (CC) quando gerada por uma tensão contínua (pilhas, baterias) e é alternada 
quando gerada por uma tensão alternada (gerador, rede comercial). Sua unidade é o 
ampère (A) a grandeza é representada pela letra I. 
 
O valor eficaz de uma corrente ou tensão alternada é equivalente a uma tensão 
ou corrente contínua positiva que produz a mesma perda de potência média em uma 
carga resistiva. 
 
Para a forma de onda senoidal (rede) temos: 
 
 Vef = 
 
 
A freqüência (f) de uma