Aula 14 - A célula cancerosa
13 pág.

Aula 14 - A célula cancerosa

Disciplina:Biologia Geral I129 materiais1.448 seguidores
Pré-visualização4 páginas
câncer

de colo de útero. Esta vacina é preventiva, devendo ser aplicada em

mulheres que ainda não se contaminaram com o HPV.

Terapia molecular: estudam-se mecanismos de normalização da

produção e da ativação da proteína p53, a fim de corrigir erros no DNA

celular e, na impossibilidade disso, induzir a célula à apoptose. Também

estão sendo pesquisados os inibidores da telomerase, a enzima que impede

que os telômeros da célula tumoral encurtem (Aula 12), o que é um sinal

de envelhecimento celular.

Antiangiogênese: à medida que o tumor cresce, estimula a

formação de novos vasos sangüíneos. A inibição desse processo leva

as células tumorais à morte por falta de nutrientes, pois bloqueariam a

produção de vasos sangüíneos, essenciais para levar o sangue com os

nutrientes ao tumor. Drogas com esse efeito já estão sendo utilizadas no

tratamento de tumores sólidos.

R E S U M O

No tumor benigno, as células permanecem juntas formando uma massa única; ali se

pode obter a cura completa através de remoção cirúrgica. Um tumor só é considerado

um câncer se for maligno, ou seja, são células que adquiriram a capacidade de invadir

e colonizar tecidos vizinhos – processo denominado metástase.

Muitos tipos de câncer são originados de uma única célula que sofreu mutação;

contudo, a progênie dessa célula necessita de mutações futuras, requerendo

numerosas mutações adicionais para iniciar um câncer.

O fenômeno de progressão de um tumor requer muitos anos, demonstrando o

processo de evolução por mutação e seleção natural através das células somáticas.

As principais alterações das células cancerosas incluem diminuição da expressão

de proteínas adesivas da matriz extracelular (MEC), como a fibronectina e a

Biologia Celular II | A célula cancerosa

14 C E D E R J

A
U

LA

1
4

M

Ó
D

U
LO

 3

C E D E R J 15

laminina; aumento na expressão de proteínas da MEC antiadesivas como tenascina

e trombospondina; diminuição da expressão de caderinas; síntese de colagenase,

que degrada o colágeno e liberação de fatores angiogênicos.

As modalidades terapêuticas mais utilizadas atualmente são: cirurgia,

quimioterapia, radioterapia e terapia biológica.

A imunoterapia, os alvos moleculares da terapia do câncer e estudos de

antiangiogênese são técnicas em estudo para tratamento do câncer no futuro.

SITES RECOMENDADOS

http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=469

http://www.orientacoesmedicas.com.br/oqueepapanicolau.asp