ok diagnostico 19.04 av2
14 pág.

ok diagnostico 19.04 av2

Disciplina:Diagnóstico Patológico Por Análise De Imagem11 materiais32 seguidores
Pré-visualização4 páginas
anestesiar o cão? O que agente pede de básico?
Hemograma e bioquímica pelo menos. Aqui muitas vezes vamos filtrar de onde vem, porque é nessa bioquímica que eu posso avaliar de repente uma uréia alta, creatinina alta, ALT e AST, GGT, e tentar já ai avaliar meu paciente.
Um animal velho, cardiopata, ai vc pede um raio-x de tórax, um eletrocardiograma.
Temos que fazer ao máximo o que puder pela a segurança do paciente e até a nossa também.

Em algumas situações que estão na literatura, algumas são importantes e outras não:
- Perfuração gastrointestinal
É citada na literatura como uma possível complicação. Mas isso é raríssimo de acontecer, é quase impossível. A não ser que vc pegue uma ulcera muito profunda e vai biopsiando até o fundo e ai chega a perfurar. Mas se vc tiver cuidado e bom senso vc não vai fazer essa perfuração.

Tudo que vcs façam, até cirurgicamente como tirar ovário, fazer o histopatológico que é uma coisa que dá muita segurança na clínica.
Se vc perfurou, vc pede a peça (o animal) para ver.

Bradicardia por distensão gástrica
Durante o procedimento vc pode fazer bradicardia por distensão gástrica (isso aqui é importante pra gente aqui)
O que acontece: quando vc faz endoscopia de estomago, o animal está em jejum, estomago vazio. Pra eu poder ver, tenho que inflar. O que acontece quando agente come muito? Dificuldade de respirar, porque distensão gástrica comprime o diafragma. Isso ocorre porque vc faz a distensão e bradicardia por retorno venoso diminuído. A mesma coisa ocorre quando vc dilata o estomago do animal. Vc vai promover isso. Por isso é importante sempre estar falando com o anestesista e alertar a ele o momento da inflação.

Se estou trabalhando com um cão grande, o problema não é nem tão grande, porque a dilatação é lenta, demora, igual a cavalo, geralmente não tenho problema, mas agora num animal pequeno, raças pequenas, filhotes, o estomago infla muito rápido e nessa hora vc pode ter problema, o retorno venoso fica diminuído, tem bradicardia, ai vc tem que parar, tirar o ar, restabelecer o batimento cardíaco dele. Se for necessário, medicar.
Ficar ligado nisso em animais pequenos!

Quando vc mexe em esôfago vc pode ter problema por causa dos vasos que passam ali. A distensão de esôfago e manipulação de corpo estranho em esôfago vc pode ter um problema ai por conta de manipulação de vaso.

Hemorragia de mucosa
É natural acontecer porque vou biopsiar. Uns animais vão ter mais e outros menos.
Não vou pegar um animal com anemia para fazer uma endoscopia e biopsia, mas se o animal tiver com exames normais isso é rotina.
Quando faz a biopsia o sangramento dura em torno de 15 segundos ali e rapidinho para.

Contaminação
Em termos de literatura vc praticamente não tem. A contaminação entre um indivíduo e outro vc com uma simples limpeza com água, detergente, mata quase todo mundo, então a contaminação é muito baixa quando vc tem um mínimo de higiene com seu equipamento.
Em medicina humana a ANVISA obriga quem trabalha com endoscopia que use um liquido (brutaraldeido) para fazer a esterilização desse equipamento entre um individuo e outro, porque tem HIV, etc. serie de vírus que possa passar.
Em veterinária só fazemos isso se formos passar de um sistema pro outro!
Ex. de manha faço uma colonoscopia e a tarde faço uma broncoscopia.
De espécie pra espécie também faço. Pra coletar material pra microbiologia também faço.
Mas na rotina o que é feito só a lavagem mesmo (que é o básico).

Objetivo
O objetivo do exame vai ser (quando falo de gastrointestinal) é coletar o material, a biopsia vai ser super importante pra gente. Então quanto mais fragmento eu tiver, quanto melhor for a minha biopsia, melhor vai ser o meu exame. Pois é isso que vai confirmar a minha suspeita ou excluí-la.
Armazeno em formol a 10% e depois coloração normal de HE.

Importante: toda vez que for trabalhar com coleta de material que estivermos fazendo alguma coisa, ficarmos atentos no formol que estamos usando, porque o formol muito concentrado e queima a biopsia, ou está muito pouco concentrado e a biopsia apodrece.
O ideal é que vc mesmo prepare seu formol. Proporção do material: 1:10

Cuidado também com o frasco de biopsia. Onde vc coloca a biopsia, etc.

O grande problema da endoscopia em relação à biopsia:
Tamanho. Embora a endoscopia seja boa, a biopsia é muito pequena, então às vezes, principalmente em casos de neoplasias, a biopsia pode ser pequena e não chegar ao diagnóstico.
Por isso que temos que ter bom senso.
Ex. se eu avalio meu animal clinicamente ele está péssimo, hemograma alterado, emagrecimento progressivo, ultrassom alterado com aumento de linfonodos, eu vou na endoscopia o estomago dele tem uma massa enorme sangrando, feia, e eu biopsiar e der inflamação, está errado. Porque a clinica me diz que a evolução é outra.

Vamos trabalhar avaliando o resultado e principalmente o paciente. O que ele mostra de sinal clinico é o que vai importar pra gente.

Cuidado: a biopsia pode quebrar ou ser roubada, misturada tudo num frasco só, etc.

Por isso temos que tomar cuidado: clinico, endoscopista, patologista.
Trabalhar na endoscopia com um bom patologista é fundamental, porque a biopsia tem 2mm, então se o patologista não souber trabalhar com essa amostra não adianta, tem que ser um cara bom. Além de ele ter a técnica boa, ele tem que saber o que está vendo.
Mas quem envia a amostra é o clinico, então podemos indicar um bom patologista e o clinico enviar para outro.

Outro cuidado: profissional inexperiente (tanto clinico quanto endoscopista quanto patologista).

Outro cuidado: no piloro, se bater muito fica edemaciado, mas não é uma patologia, foi porque vc mesmo bateu com o endoscópio diversas vezes ali e acabou edemaciando.

Reavaliar sempre que necessário.

Parvovirose: imagem clássica: delgado com sangramento na mucosa toda, porque o vírus destrói a vilosidade toda, e é uma destruição homogênea, um sangramento homogêneo na mucosa toda.

Preparação do paciente:
Jejum: 12 horas. Esse jejum vai se prestar também para a anestesia.
Pra esse animal fazer esse exame ele tem que ser submetido a um pré-operatório. Pelo menos bioquímica e hemograma completo.
Geralmente o paciente não vem com esse exame, então vc liga pro clinico e pergunta, orienta que como é feito anestesia geral é preciso esses exames.
Quando vc suspeitar algum problema de motilidade, edema de piloro, que vc precisa de um jejum maior, a literatura manda vc fazer um jejum de 24 horas. Mas pela pratica isso não funciona, pois nenhum proprietário deixa o animal sem comer 24 horas. 12 horas é o máximo e de preferência da noite pro dia.
Tempo de espera: se vc suspeita de algum problema de motilidade que agente fez contraste, contrastou o paciente, não fazer endoscopia antes de 48 horas, porque ele recebeu muito bário, porque vai ficar impregnado na mucosa, não vamos conseguir ver nada e esse bário vai entupir o canal, sujar a lente, e vai ter que refazer o exame.
Então contrastou, espera. Se não quer esperar não contrasta. Vou ver o que é melhor naquele momento, contrastar ou fazer a endoscopia.
Temos que saber se o animal tem condições pra anestesia (pelos exames citados acima).
Posso trabalhar com anestesia inalatória.
Tenho que anestesiar o animal, de preferência que ele esteja entubado, etc., pois pode fazer bradicardia, pode fazer parada respiratória, então o animal tem que estar entubado.
Pra digestório alto: sempre em decúbito lateral esquerdo. Por que: o duodeno fica pra cima, e com isso posso passar por ele. O meu objetivo do exame de digestório alto é avaliar esôfago, estomago e delgado. Então quando eu passo pro delgado eu tenho que passar pelo piloro e se meu piloro está contra a mesa (pra baixo) o endoscópio vai bater na mesa e não vai deixar ele passar. Então quando eu deixo ele pra cima vc consegue passar com mais facilidade.
Cuidado: exceção: colocação de sonda gástrica é a única situação que vamos colocar ele ao contrario, em decúbito lateral direito, para que a curvatura maior fique pra cima (lado esquerdo),