Aula _ 03

Disciplina:Fundamentos da Economia4.617 materiais52.364 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Clique para editar o estilo do subtítulo mestre
*
*
*
Clique para editar o estilo do título mestre

FUNDAMENTOS DE ECONOMIA
PROFº CARLOS ALBERTO VERONESE SERRÃO
AULA 3: ECONOMIA E DIREITO
CAP.3 = PAG. 29 ATÉ 35

*
*
*

 3.1 Introdução
Conceitos da teoria econômica são relacionados ou dependentes do quadro de normas jurídicas do país;
Novas questões econômicas atuam para modificar o arcabouço jurídico.
 O aumento do papel regulador do governo na economia, atualmente, visa garantir a defesa da concorrência e os direitos dos consumidores.

*
*
*

 3.2 O Direito e a teoria dos mercados (microeconomia): defesa do consumidor e da concorrência
foco econômico: comportamento dos produtores e consumidores.
 foco jurídico: agentes das relações de consumo.
1.	Consumidor = Código de Defesa do Consumidor
	(Lei 8.078/90)
2.	Fornecedor/Empresa = Direito Comercial >>Código Comercial (Lei 556/1850) e Código Civil (Lei 10.406/2002)

*
*
*

estudo do estabelecimento comercial e do empresário
análise econômica: o papel do empresário na organização dos fatores de produção;

Jurídica: Direito Empresarial: pessoa jurídica x pessoa física.

*
*
*

O princípio da mão invisível
Cada indivíduo, ao atuar na busca apenas de seu bem-estar particular, realiza o que é mais conveniente pra o conjunto da sociedade;
Em mercados competitivos, não concentrados em poucas empresas dominantes, o sistema de preços permite que se extraia a máxima quantidade de bens e serviços úteis do conjunto de recursos disponíveis na sociedade, conduzindo a economia a uma eficiente alocação dos recursos.

*
*
*

 imperfeições do mercado
EXTERNALIDADES: (economias externas) : a produção ou o consumo de um bem acarreta efeitos positivos ou negativos sobre outros indivíduos ou empresas (Leis Antipoluição, etc..);

INFORMAÇÃO IMPERFEITAS: (falhas de informação):os agentes econômicos não têm informação completa (assimetria de informações), Exigências de data de validade, composição, etc...;

PODER DE MONOPÓLIO: Produtor(es) aumenta unilateralmente os preços, ou reduz a quantidade ofertada, diminui a qualidade ou variedade de produtos ou serviços, com finalidade de aumentar os lucros (leis de defesa da concorrência).
	

*
*
*

surgimento: NOS EUA,
do controle de monopólios/oligopólios
1ºlei Sherman contra trusts, 1890;

2º Clayton Act, 1914(quais condutas seriam ilícitas);

3º lei Celler-Kefauver, 1950(proibição fusões se reduzissem a concorrência);

*
*
*

no Brasil...
Anos 60, legislação em defesa da concorrência, pouco eficaz, opção pelos controles de preços;
Constituição Federal de 1988(arts: 173 e 174);
Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC) (Lei 8884/94), ógãos encarregados da defesa:
			SDE + SEAE + CADE

*
*
*

Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (Lei 8884/94)
SDE : Secretaria de Direito Econômico, do Ministério da Justiça: monitoramento e acompanhamento das práticas de mercado;
SEAE: Secretaria de Acompanhamento Econômico, do Ministério da Fazenda :encarregada de acompanhar os preços da economia, subsidiar decisões em matéria de reajustes e revisões de tarifas públicas, bem como apreciar atos de concentração entre empresas e reprimir condutas anticoncorrenciais.

*
*
*

Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE
É um órgão judicante, com jurisdição em todo o território nacional, criado pela Lei 4.137/62 e transformado em Autarquia vinculada ao Ministério da Justiça pela Lei 8.884 de 11 de junho de 1994;
 Ele tem a finalidade de orientar, fiscalizar, prevenir e apurar abusos de poder econômico, exercendo papel tutelador da prevenção e da repressão a tais abusos.

*
*
*

ATUAÇÕES DOS ÓRGÃOS:
controle das estruturas de mercado: diz respeito aos atos que resultem em qualquer forma de concentração econômica, seja por fusões ou por incorporações de empresas, pela constituição de sociedade para exercer o controle de empresas, ou grupos de empresas;
 controle de condutas: consiste na apuração de práticas anticoncorrencias de empresas que detêm poder de mercado.
 ação governamental: coibição e repressão dos abusos no mercado.

*
*
*

 3.3 Arcabouço jurídico das políticas macroeconômicas
políticas monetária, de crédito, cambial e de comércio exterior são de competência da União: Art 48 da CRFB/88
política fiscal é de competência da União, Estados e Municípios: Arts 145 a 162 da CRFB/88
DESTAQUE ESPECIAL :papel da despesa do governo: aumento da demanda agregada.

*
*
*

processo de globalização
Processo de globalização: integração econômica global sobre bases econômicas e jurídicas;
No Brasil: abertura comercial, a partir dos anos 1990; privatizações e fim dos controles de preços;
Muitas transações realizadas dentro do aparelho estatal passam a ser realizadas por meio dos mecanismos de mercado;
Necessidade de criar órgãos especiais de regulação, surgem as: AGÊNCIAS REGULADORAS

*
*
*

PRINCIPAIS AGÊNCIAS REGULADORAS:
ANAEEL
ANATEL
ANP
ANS
SUSEP
ANAC

*
*
*

 3.4 O Estado promovendo o bem-estar da sociedade
Ação do Estado: voltada para o bem-estar da população.
John Locke: direitos naturais sob controle do governo parlamentar, cuja finalidade seria promover e ampliar direitos do homem à vida, à liberdade e à prosperidade.
(1632 — 1704) foi um filósofo inglês e ideólogo do liberalismo, sendo considerado o principal representante do empirismo britânico e um dos principais teóricos do contrato social.

*
*
*

Artigo 170 da Constiuição de 1988:

“A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios:

I. soberania nacional;
II. propriedade privada;
III. função social da propriedade;
IV. livre concorrência;
V. defesa do consumidor;
VI. defesa do meio ambiente;
VII. redução das desigualdades regionais e sociais;
VIII. busca do pleno emprego;
IX. tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e administração no País.

*
*
*

Parágrafo único
É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente da autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei”.

Há ligação entre Economia e Direito também na análise:

dos princípios gerais da atividade econômica;
dá política urbana, agrícola e fundiária;
do Sistema Financeiro Nacional;
das políticas monetária, de crédito, cambial e de comércio exterior;

Os governos também criam normas jurídicas que protejam o meio ambiente,

As normas jurídicas buscam regularizar as atividades econômicas buscando tornar os mercados mais eficientes e melhor qualidade de vida para a população como um todo.

*
*
*

Da intervenção do Estado na Economia
Intervenção Direta: Artº 173 CRFB/88
	“Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração da atividade econômica pelo Estado só será permitida quando necessários aos imperativos da segurança nacional ou a relevante interesse coletivos, conforme definidos em lei.”
Intervenção Indireta: Artº 174 CRFB/88
	“Como agente normativo e regulador da atividade econômica, o Estado exercerá, na forma da lei, as funções de fiscalização, incentivo e planejamento, sendo esse determinante para o setor público e indicativo para o setor privado.”

*
*
*

AS NORMAS JURÍDICAS BUSCAM:
REGULAR AS ATIVIDADES ECONÔMICAS NO SENTIDO DE TORNAR OS MERCADOS MAIS EFICIENTES (FUNÇÃO ALOCATIVA) E BUSCAR MELHOR QUALIDADE DE VIDA PARA A POPULAÇÃO COMO UM TODO (FUNÇÃO DISTRIBUTIVA)

*
*
*

A ECONOMIA:

O objetivo da legislação sob a ótica da economia seria o de fomentar o máximo de eficiência;

Boas leis ajudam a sociedade a economizar custos de transação e a ser mais eficiente;

A economia também pode ajudar o direito a ser mais eficiente, ou seja , a aplicação da lei pode ser vista como um empreendimento econômico em que o benefício é mais justiça;

*
*
*

TCU critica falta de autonomia de agência reguladora

DE BRASÍLIA 27/08/2011 - 12h00 | da Folha.com

As agências reguladoras