ok diagnostico 26.04.11
8 pág.

ok diagnostico 26.04.11

Disciplina:Diagnóstico Patológico Por Análise De Imagem11 materiais32 seguidores
Pré-visualização3 páginas
O remédio é esperar. Não é indicado cirurgia.
Outra coisa no esôfago: se vc pensou em perfuração, não dá bário, dá iodo.

Dilatação tem prognostico bom quando vc tem comprometimento do proprietário. Mas o grande lance da cicatriz é não deixar que ela aconteça.

Megaesôfago
	2ª lesao que agente pode encontrar que é de motilidade.
	O diagnostico de megaesôfago é radiológico. O esôfago dilata todo, vc não tem dilatação parcial do esôfago, se é megaesôfago ele tem que estar todo dilatado.
	O grande lance do megaesôfago é não confundir com outras obstruções adquiridas. Então se vc tem persistência de 4º arco aórtico, estenose, corpo estranho, neoplasia que vc promove uma dilatação anterior a essa obstrução vc não pode confundir com megaesôfago.
	1ª coisa: fazer radiografia. Não precisa fazer a endoscopia nesse caso, porque o diagnostico é radiológico.

	Lembrar que nem sempre paciente com megaesôfago é filhote. Pode ter uma alteração congênita como pode ser adquirida. Então se vc receber um pastor velho de 7 anos com queixa principal de engasgar, regurgita 1x por semana, isso pode ser megaesôfago, então vamos pesquisar.
Se apresentar sintoma respiratório junto, é mais característico ainda, de broncoaspiração.
Sempre pensar na clinica do paciente. Nem sempre a regurgitação do paciente é logo após a alimentação, pode ser 1 semana depois da alimentação, pois se ele está com um esôfago muito distendido, pra ele regurgitar tem que estar cheio pra ele começar a regurgitar, não tem movimento ativo, é tudo passivo, o megaesôfago não tem motilidade, é hipomotilidade. Vc acaba tendo inflamação do esôfago porque ele não tolera alimento ali.

A endoscopia do megaesôfago, o principal função dele é vc avaliar como está a mucosa, pois o diagnostico é radiográfico. Agente acaba fazendo pra avaliar a mucosa e muitas vezes pra colocar sonda gástrica porque o animal não consegue mais se alimentar.

Lembrar que qualquer desordem funcional de motilidade, a endoscopia não é o melhor exame a ser feito em cão e gato porque na anestesia o animal perde a motilidade. Então se eu tiver um megaesôfago muito no inicio eu não consigo avaliar se aquele esôfago tem motilidade ou não.

Inflamação
	É uma lesão que agente dá pouca importância, porque geralmente não recebemos pedido pra avaliação de esofagite. Mas é importante, principalmente porque ela é o degrau anterior da estenose. Então agente tem que levar em consideração quando o animal faz esofagite.
	Qualquer situação de refluxo, vomito persistente, parvovirose, gastrenterite hemorrágica, corpo estranho, qualquer disfunção que interfira em torno de cárdia, levar em consideração essas etiologias e pensar na esofagite, porque ela pode ser grave e pode gerar a estenose que não é uma coisa simples.
	Então se vc tirou um corpo estranho do esôfago e vc achou que ali está muito inflamado, ou vc pega um animal que está vomitando há 15 dias porque tem parvovirose, lembrar que o esôfago dele está destruído, então acabou o tratamento da parvo, vc continua um pouco o tratamento com o esôfago, faz um sulcralfato, uma ranitidina, cuida do esôfago depois que vcs curarem qualquer um desses problemas, porque o esôfago continua doente.
Essa esofagite vai levar provavelmente a estenose.
	Prestar atenção quando for atender no consultório, se o proprietário vem com um caso de queixa crônica qualquer (ex. doença hepática, renal, metabólica, gastrintestinal) e te questiona porque o animal voltou a vomitar, reparar se isso não é uma esofagite secundaria a emese crônica. Nessa hora, fazer as perguntas básicas pra diferenciar regurgitação de vomito. Tem que diferenciar se o animal voltou a vomitar ou se ele teve uma esofagite. Quanto mais inflamado, mais refluxo dá.
	A esofagite dói, o animal tem dificuldade de se alimentar, tem salivação intensa, então tem umas características particulares de doença esofágica que agente consegue perceber e descartar o vômito e pensar em tratar a esofagite.
	
	Em termos de morfologia, a avaliação de mucosa, agente aqui, é a melhor maneira de diagnosticar. É importante agente perceber a importância que tem a inflamação esofágica.
Lembrar que se o animal está vomitando muito, lembrar que o esôfago dele fica ruim depois, então sempre administrar um medicamento profilático, ou pra tratar o que acabou causando uma esofagite secundária, que pode evoluir para uma estenose.

Aspergilose
	Pode acontecer em esôfago, é raro, mas pode acontecer.
	A mucosa fica mais espessada

Depois que agente retira corpo estranho, se o animal volta a regurgitar agente faz uma avaliação no paciente.

Ketamina e xilasina faz uma abertura no cárdia.

Perfuração por esofagite
	Vc tem ulcera esofágica com perfuração, e isso não tem cura.

O exame de endoscopia alta é: esôfago, estômago e delgado. Então se eu vejo um esôfago todo inflamado, pode ser que esse animal tenha uma ulcera gástrica severa, uma neoplasia gástrica severa, e ai agente vai continuar estomago a dentro.