ok 01.03.11 diagnostico
13 pág.

ok 01.03.11 diagnostico

Disciplina:Diagnóstico Patológico Por Análise De Imagem11 materiais32 seguidores
Pré-visualização4 páginas
do inverno e entrando da primavera, isso é normal. Então eu posso encontrar os 2 ovários polifoliculares nessa fase, depois ela vai regularizar isso.
Se for patológico tem que tratar com hormônio pra que isso regrida e vc sincroniza ela.

Degeneração macrocística
Não é freqüente. Ovário vai degenerando formando vários cistos no seu interior. Não é ovário policístico! Égua não tem cisto folicular. O cisto folicular é um quadro que não é degenerativo, e nesse caso da degeneração macrocística é um quadro degenerativo, não vemos mais o parênquima ovariano.

Tumores
É muito comum.
Tumores de células teca-granulosa
É um tumor benigno, normalmente unilateral, é um tumor que acomete as células teca e granulosa. Ele é caracterizado por áreas císticas intercaladas com áreas parenquimatosas. Se vc pegar uma fatia desse tumor, vai ver áreas císticas e áreas de parênquima. Vê áreas císticas e parenquimatosas.
A imagem dele é muito característica, mas vc nunca faz um diagnóstico fechado de tumor, só que faz o diagnostico definitivo de tumor é o histopatologista. Então vc sugere uma histopatologia, uma biopsia pra confirmar o diagnóstico.
Uma coisa que ajuda muito a fechar o diagnóstico é que esse tumor é um tumor produtor de hormônio, então ele muda o comportamento da fêmea. Porque: é um tumor de células teca-granulosa, e a teca granulosa produz estrógeno, e em 95% dos casos o tumor é produtor de estrógeno, muito estrógeno, tanto que a fêmea que tem um tumor desse, apresentam ninfomania. O que é ninfomania: ela fica no cio direto. Então esse comportamento associado a imagem agente fecha rápido, mas temos que pedir uma biopsia para confirmar o diagnostico (ou parotomia onde vc manda o órgão para histopatologia).
Em 3% dos casos o tumor é produtor de andrógeno, ai a fêmea vai apresentar o que agente chama de virilismo. O virilismo é a fêmea com comportamento de macho. Ai vc vê a égua montando em outra égua. Sempre que égua monta em outra égua é tumor ou é cariótipo errado. A égua fica igual macho, fica como um rufião.
	Em 2% das éguas ele pode produzir progesterona e ai a fêmea fica em anestro direto (não cicla).

Diagnostico USG e manejo da gestação gemelar

Em equinos, a gestação gemelar é altamente indesejável, porque o tipo de placenta da égua não suporta uma dupla gestação. Então 90% dos casos vc vai ter problema. Que tipo de problema:
- Na maioria das vezes ela aborta os 2 fetos com mais ou menos 7-9 meses de gestação
- Mumifica um feto e o outro nasce
- Um percentual baixíssimo nasce, e quando esse percentual nasce, são animais de CTI. Então se vc receber a ligação de receber de parto gemelar vc tem que correr pq eles nascem muito frágeis, vc tem que correr pra tentar alguma coisa. Então vc muitas vezes é obrigado a manejar essa gestação gemelar, que é tirar um dos embriões. Quanto mais precoce o diagnostico, menos traumático é.
Tem veterinário que é processado quando o proprietário deixa isso acontecer, porque vc pode perder os fetos, os fetos e a égua, etc.

O que vc vai fazer: vc vai identificar a presença de 2 vesículas embrionárias. Nesses 3 casos, a única solução que vc tem é eliminar essa gestação, porque vc não consegue separar um deles pra tirar.
Como vc faz pra tirar: Vc faz compressão manual. Só que pra isso, tem que ser um separado do outro, senão vc aperta os 2. Vc faz um ansiolítico, uma prostaglantina, e estimula um novo cio.

Hoje, com a transferência de embrião, se vc vê que a fêmea fez dupla ovulação, vc coleta o embrião dela e transfere pras receptoras, então vc ganha às vezes 2 produtos da mesma fêmea.

Mas se vc deixa passar muito tempo, vc tem que eliminar um dos indivíduos por compressão manual. A fêmea não sente nada, mas é desagradável pra quem faz. As vezes é preferível fazer uma lavagem pra retirar os 2 embriões.

Punção folicular guiada por exame USG (OPU)
(ovum pick up)

Punção folicular guiada por ultrasson
Pra fazer punção folicular agente tem que trabalhar com um transdutor transvaginal. Olhando bem ele tem um buraquinho que agente chama de canal de biopsia, que é onde vc introduz a agulha, passando a agulha que perfura o folículo aspirando o líquido folicular.
Procedimento muito feito em bovino, mais do que em eqüino. Porque agente depende disso pra conseguir os oócitos, então obrigatoriamente vc tem que ter um transdutor desses.

Sexagem fetal:
Existem 2 técnicas de sexagem fetal. Uma delas avalia o tubérculo genital e a outra avalia as gônadas.
	Tubérculo genital/gônadas

A técnica do tubérculo genital pode ser realizada de 55-70 dias de gestação. Mas pra fazer essa técnica do tubérculo genital, essa fêmea tem que estar entre 55-70 dias de gestação, sendo o melhor momento com 60 dias de gestação.

Como faz essa técnica:
Primeiro vc tem que localizar pra qual lado que está a cabeça do feto e qual lado está a cauda do feto. Vc tem que pegar ele com barriga pra cima pra vc, não pode pegar de lado e não pode pegar de costas. É trabalhoso, porque vc tem que ir mexendo e estimulando a mudança de posição dele, se ele não estiver desse jeito.
Uma vez que vc pegou ele de frente com barriga pra cima, vc sabe onde está a cabeça e onde está a cauda, vc vai localizar as 2 tuberosidades do osso coxal, é como se fosse 2 bolas hiperecóicas. Ai vc vai procurar o tubérculo que também é uma bolinha hiperecóica.
Se vc encontrar o tubérculo pra frente (mais próxima a região da cabeça) é macho, porque o tubérculo dá origem ao pênis.
Se vc encontrar o tubérculo mais pra trás, próximo a cauda, é fêmea, porque vai dar origem ao clitóris.
O exame em si é muito simples, o que complica é chegar à posição.

Na vaca e no bezerro é muito fácil de fazer. Então essa é a técnica mais usada pra bovino com índice altíssimo de acerto.
Em compensação o potro, é mais complicado, vc tem que fazer ele parar para vc ver, ele é muito agitado, antigamente gravava o exame. É uma técnica que por muito tempo as pessoas deixaram de fazer, porque é muito trabalhosa e ele não sossegava.

Começou-se a fazer em eqüino, principalmente em eqüino, a avaliação das gônadas. Pode fazer com o bovino também, mas não tem muito sentido esperar o dobro (110 dias) de tempo para fazer o exame.

Avaliação pelas gônadas
Vc vai ter que encontrar as gônadas do feto: se for um macho, vc vai encontrar uma gônada que vai apresentar uma risca, uma linha que é identificada como mediastino testicular. A gônada hipoecóica, uma linha um pouco mais homogênea (não chega a ser hiperecóica).
Se for uma fêmea, vc vai identificar a cortical e a medular, as 2 hipoecóicas. A inversão da medular e cortical só acontece mais tardiamente, então com a avaliação com 110 a 120 dias (110-120 dias) vc vai encontrar assim, medular por dentro e cortical por fora.