A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
RESUMÃO PARTE 1 - AGROECOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 3

AULA 1 
Agroeocologia 
Definição: ciência que se baseia na aplicação da ecologia para o estudo, o desenho e o manejo 
de sistemas de alimentos sustentáveis (gliessman, 2006). 
Princípios básicos: complexidade, diversidade e adaptação → resiliencia, reciclagem, 
sustentabilidade e produtividade. 
proposta de sistema agroecológico: manutenção de agroecossistemas complexos nos quais as 
interações ecológicas e os sinergismos entre seus componentes biológicos promovem os 
mecanismos para que os próprios sistemas subsidiem a fertilidade do solo, sua produtividade e a 
sanidade dos cultivos. 
Ciência → refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método cientifico, bem 
como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tais pesquisas. 
Ecologia → ciência que estuda as interações entre os organismos e seu ambiente, ou seja, é o 
estudo cientifico da distribuição e abundancia dos seres vivos e das interações que determinam a 
sua distribuição. 
Sistema → conjunto de elementos que se interligam de modo a formar um todo organizado. 
Elementos do sistema de alimentos: sistema agrícola, sistema de transporte, sistema industrial, 
sistema cultura/cientifico/tecnológico/social, sistema de consumo, sistema financeiro. 
❖ Sistema agrícola (dentro está o sistema agrário): 
- Agrocecossistema: comunidade de plantas e animais interagindo com seu ambiente físico e 
químico que foi modificado para produzir alimentos, fibras, combustíveis e outros produtos para 
o consumo e utilização humana (altiere 2010). Sistema agrícola entendido como ecossistema 
(glissman 2007); 
Sistema social, sistemas de cultivo, sistemas de produção → interação. 
- Ecossistema → é um sistema funcional, delimitado arbitrariamente, onde se dão relações 
complementares entre os organismos vivos e seu ambiente. É constituído de organismos vivos, 
que interagem no ambiente, de fatores bióticos, e de componentes físicos e químicos não vivos 
do ambiente, como solo, luz, umidade, temperatura etc., que constituem os fatores abióticos. As 
relações entre ambos formam a estrutura do sistema e os processos dinâmicos de que participam 
constituem a função do sistema (feiden 2005). 
Intricadas relações dentro e entre organismos, populações, comunidades e ambiente. 
Ambiente: solo, temperatura, umidade, nutriente etc. 
Comunidade: população/organismos: animais, plantas interligados e dependentes. 
Características de um ecossistema natural: 
✓ Diversidade 
✓ Equilíbrio. Resulta de: adaptação às condições abióticas, interação entre espécies, 
processos dinâmicos no ecossistema. 
✓ Ciclagem: todos os níveis tróficos estão dentro do sistema; sem perdas por processos 
físicos. “sistema fechado” 
✓ Resiliente. Resulta de: plantas adaptadas, biodiversidade, banco de sementes, proteção 
do solo. 
✓ Sustentável. O uso dos recursos naturais para a satisfação de necessidades presentes não 
pode comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras. É praticamente 
impossível se não for vinculada a um período de tempo. Necessidades de quem? 
 
❖ Sistema de consumo: 
Sistema de comércio atacadista, sistema de comércio varejista, sistema de preparo, consumidor, 
sistema de destinação de resíduos. 
Sistema de destinação de resíduos: orgânicos (contaminados e não contaminados → reciclagem) 
e minerais (nutrientes → reciclagem; elementos traço e xenobióticos). 
Sistema de alimentos→ meta-sistema interligado de agroecossistemas, seus sistemas de suporte 
econômico, social, cultural e tecnológico, e os sistemas de distribuição e consumo de alimentos. 
-- 
O sistema agroecológico visa: fortalecer a imunidade do sistema; 
equilibrar sistemas regulatórios (nutrientes, água, energia, populações etc.,conservação e 
regeneração do solo. 
“Para alimentar a crescente população da terra, a agricultura tem que ser sustentável e altamente 
produtiva. Esse duplo desafio significa que nós não podemos simplesmente abandonar as 
práticas convencionais de agricultura e de uma só vez retornar para sistemas agrícolas 
tradicionais ou indígenas. Embora a agricultura tradicional possa fornecer importantes modelos 
e práticas para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável, ela não pode produzir a 
quantidade de alimentos para suprir as necessidades de centros urbanos distantes e mercados 
globais. Pois o seu foco é atender a demanda local de pequena escala. O que é necessário, 
portanto, é uma nova aproximação para a agricultura e para o desenvolvimento agrícola baseado 
em aspectos de conservação de recursos da agricultura tradicional, local e de pequena escala, 
enquanto ao mesmo tempo utiliza métodos e conhecimentos ecológicos modernos” 
“De qualquer forma, a agroecologia não se propõe como uma panaceia para resolver todos os 
problemas gerados pelas ações antrópicas de nossos modelos de produção e de consumo, nem 
espera ser a solução para as mazelas causadas pelas estruturas econômicas globalizadas e 
oligopolizadas, senão que busca, simplesmente, orientar estratégias de desenvolvimento rural 
mais sustentáveis e de transição para estilos de agriculturas mais sustentáveis, como uma 
contribuição para a vida das atuais e das futuras gerações neste planeta de recursos limitados. 
Defende-se que, a partir dos princípios da A, existe um potencial técnico-cientifico já conhecido 
que é capaz de impulsionar uma mudança substancial no meio rural e na agricultura e, portanto, 
pode servir como base para reorientar ações de ensino, de pesquisa e de assessoria ou assistência 
técnica e extensão rural, numa perspectiva que assegura uma maior sustentabilidade sócio-
ambiental e econômica para os diferentes agroecossistemas” 
 
 
AULA 2 
Agroecologia e o Método Científico 
“O tema agroecologia tem merecido crescente reconhecimento nos últimos anos, tanto nos 
meios em que atuam os movimentos sociais, principalmente as organizações não-
governamentais (ONGs), como também mais recentemente, no meio acadêmico. Às vezes, 
como proposta de novo paradigma, outras de forma simplista e equivocada como novo formato 
tecnológico para a produção na agricultura. Os autores clássicos que tratam do tema, como 
Altieri (1999), Guzmán et al. (2000) ou Gliessman (2000), conferem à agroecologia o status de 
disciplina científica com potencial para sustentar uma ação transformadora não só na produção 
agrícola mas, principalmente, no desenho de uma sociedade mais sustentável.” 
Paradigma: uma referencia inicial como base de modelo para estudos e pesquisas; 
Um conjunto de convicções que coordena as atividades cientificas por determinado período. 
 
❖ Ciência normal: coordenada por convicções aceitas por todos seus atores. 
❖ Crise: incoerência nas convicções. 
❖ Novo paradigma (pré-ciencia): batalha intelectual entre seguidores do antigo e do novo 
paradigma. Ex: a terra gira em torno do sol vs.o sol gira em torno da terra. Um 
paradigma não convive com outro. 
Ciência: conhecimento, saber. Refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos. Em 
sentido estrito, refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método cientifico bem 
como ao corpo organizado de conhecimento seguido através de tais pesquisas. 
 
Divulgação: revistas cientificas. Número de publicações na área da agroecologia foi de 1k a 
16k/ano entre 1998 e 2016. 
Ciencia 
normal
Crise
Mudan
ça de 
visão 
do 
mundo
Conceitos 
alternativos
Novo paradigma 
(pré-ciência)
Revolução Científica 
 
Método Científico 
➢ Método cientifico: 
Fundamentos: 
→ Pitágoras e mais tarde Plato – o universo é organizado e pode ser entendido através da razão; 
“Este espanto perante a ordem é a primeira inspiração da ciencia. Quando um cientista enuncia 
uma lei ou uma teoria, ele está contando como se processa a ordem, está oferencendo um 
modelo da ordem. Agora ele poderá prever como a natureza se comporta no futuro. É isto que 
significa testar uma teoria: ver se, no futuro, ela se comporta