ok clin equi 09.05.11
15 pág.

ok clin equi 09.05.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária De Equídeos12 materiais173 seguidores
Pré-visualização5 páginas
severa, nesses casos ele também vai ficar com pulso cheio, mas ai vc vai ter como diagnostico diferencial.

O animal com laminite, ele anda colocando os membros anteriores, anda apoiando no talão dos membros anteriores, isso é bem característico no andar dele.

Laminite crônica
Na laminite crônica, ela vai ter os sinais um pouco modificados. Teoricamente há necessidade da agente fazer uma diferenciação entre a laminite aguda e a laminite crônica.
A laminite crônica, alguns autores falam que após 48 horas de sinais contínuos de dor, vc diz que é laminite crônica. Outros falam que a laminite crônica é a partir do momento em que vc observa a rotação da 3ª falange porque essa rotação pode acontecer em 48 horas ou até mais de 48 horas. O professor não gosta de tempo pra dizer o que é crônico e o que é agudo.
A laminite crônica é a partir do momento em que vc verifica a rotação da 3ª falange.
A partir do momento que vc verifica a rotação dessa 3ª falange e essa rotação se estabiliza (porque essa rotação pode começar e ir se agravando no decorrer dos dias).

Sinais da laminite crônica
	- Deformação do casco com crescimento da pinça (que é a parte anterior) fazendo com que ele fique com formato de sapato chinês. Ele fica assim porque como o cavalo tem dor, ele vai continuar apoiando nos talões, e com isso ele não vai ter desgaste das pinças, e as pinças vão crescer pra cima.
Isso que o pessoal fala muito vc só vai perceber nos casos graves e nos períodos tardios, porque pra ficar assim demora muito tempo.
- O cavalo pode ter uma laminite com rotação, mas vc consegue com o tratamento impedir que essa rotação progrida. Então muitas vezes o animal vai ter uma rotação, mas não vai ter seqüelas graves.

	- Anéis de crescimento. São os anéis que se formam ao redor da parede do casco, desenvolve na parede do casco um suco bem fino chamado anel de crescimento, isso é indicativo de que em algum momento da vida dele ele teve uma interrupção no crescimento, isso é bem indicativo de laminite.

- Na fase aguda que pode passar pra fase crônica: abaulamento da região da coroa, justamente pelo deslocamento da 3ª falange. Quando tem abaulamento vc já tem rotação, então pela definição não comporta isso na fase aguda.

	- Na sola agente vai ter perfuração do casco por rotação ocorre na fase crônica.
	- Dor, pulso cheio, rotação.

Diagnostico: não é radiográfico, porque na fase aguda, se vc não tem rotação da 3ª falange vc não consegue estabelecer o diagnostico radiográfico. O diagnostico é clinico e radiográfico. A clinica é soberana, mesmo que ele ainda não tenha rotação de 3ª falange, vc não vai esperar o animal ter a rotação pra poder diagnosticar.

8. Diagnostico diferencial
Tudo que causa claudicação vc pode tentar estabelecer um diagnostico dif.
As situações mais comuns são as pododermatites sépticas, miopatias, contusões, abscessos podais.

No abscesso podal, apesar dele se locomovendo ter uma aparência bem parecida com a laminite, o pulso vai estar cheio, o casco vai estar quente, no abscesso podal o animal geralmente quando fica em descanso ele levanta a pata, já na laminite não. E geralmente dá num membro só.

Nas miopatias vc vai fazer uma palpação da musculatura pra ver se ele está com sensibilidade muscular
OBS: existem alguns autores que associam a ocorrência de miopatias com laminites, mas isso não tem muita correlação.

9. Prognóstico
O prognóstico vai ocorrer em função dos graus de rotação que esse cavalo teve.
Quanto menor a rotação melhor o prognóstico.
O prognostico sempre é reservado. O animal com laminite eu nunca vou dar um prognóstico favorável nem que a evolução dele durante o tratamento seja boa, eu vou sempre falar no mínimo reservado.
Agora, o prognostico desse animal voltar a ter atividade física, isso vai variar em função dos graus de rotação

Prognostico bom: Até o 5,5º ele vai poder voltar a uma atividade física, às vezes com algumas limitações, mas num nível aceitável.
Prognostico vai diminuindo: de 5,5º até 11,5º o prognostico vai piorando progressivamente.
Prognostico desfavorável: De 11,5º em diante o prognostico é desfavorável, ou seja, ele vai ter uma limitação severa, impedindo até mesmo que ele seja usado para reprodução, porque ele vai ter que saltar em cima da fêmea, ou a fêmea vai ter que suportar o aumento de peso durante a gestação, etc.

Diagnóstico
É clínico e radiográfico, sendo que radiograficamente vc vai fazer uma exposição lateral, vc vai colocar o cavalo de lado botar um chassi e fazer uma radiografia latero-medial. Vc vai observar se há paralelismo ou não na 3ª falange.
Pra vc pronunciar a 3ª falange do casco vc pode pegar um arame cola dorsal ao casco ai vc vai ver se esse arame está paralelo à parede da 3ª falange.

É bom fazer raio-x pelo menos num período de 48 horas pra vc fazer o acompanhamento da evolução do quadro, se está piorando ou não, se está estabilizado, etc.

Tratamento
Sofre uma evolução o tempo todo, mas o tem se descoberto é que tudo que preconizou e continua sendo usado, não se sabe até que ponto tem resultado efetivo no tratamento da laminite.

O que é efetivo: Gelo. Tem que fazer gelo, e mesmo assim, vc só vai ter efeito benéfico se conseguir pegar o quadro no estagio inicial. A partir do momento que está deflagrado, o gelo não tem uma reação muito efetiva. Mas vc consegue salvar vários animais com laminite.

	O problema é que mesmo agente fazendo tudo certinho não consegue. Porque agente vai ver que muitos casos de laminite agente não consegue determinar a causa primaria, e se vc só trata sintomaticamente sem tratar a causa primaria, vc não consegue reverter o quadro. Agente não trata a causa primaria, com isso agente não consegue tratar 100% a laminite.

Padrão de tratamento
Primeiro de tudo é abordar a laminite como uma situação emergencial. O animal não vai morrer no 1º dia de laminite, mas as alterações e os danos que podem se instituir nesse período de 12 horas ou menos são tão severos que podem fazer a diferença depois entre a vida e a morte do animal, dele ficar sadio ou indicado pra eutanásia. ]
Quando vc tem noticia de um cavalo e há suspeita do quadro ser de laminite (que não haja histórico de contusão, etc.), mesmo que vc não possa ir de imediato, institua um tratamento. Isso porque se o animal está claudicando vc pode indicar fazer:
- Antiinflamatório, e se vc tiver uma suspeita mais evidente, faz um:
- Vasodilatador, não deixar o animal te esperando pra começar a tratar.
-> O ideal é que vc vá de imediato, porque as alterações que podem ocorrer nesse pequeno período podem depois fazer diferença no tratamento e no prognostico que o animal vai ter.

Objetivo do tratamento (são 6)
O 1º objetivo seria remover a causa ou o problema primário
- Então se o animal tem uma pneumonia, vc tem que tratar a pneumonia concomitante com o tratamento da laminite, vc tem que iniciar o tratamento da pneumonia.
- Se esse animal tem uma retenção placentária, vc tem que tratar essa retenção, que é uma das causas mais graves de laminite. Normalmente quando vc tem retenção placentária o animal manifesta laminite nas 4 patas e ela é bem refrataria ao tratamento, porque as vezes vc consegue eliminar uma parte dos anexos fetais, mas outras ficam presas, então vc tem aquele estimulo residente lá.
- Se vc tem um quadro de cólica vc vai ter que tratar a endotoxemia.

= No caso de uma infecção com pneumonia vc usa antibiótico, secretolíticos, fluidoterapia.

= Se vc está tratando uma retenção placentária vc vai fazer uma lavagem uterina, uso de ocitocina, uso de antibióticos (vc pode fazer sistêmico e vc pode fazer a infusão intra-uterina).

= Se vc tem uma cólica e vc suspeita de quadro de endotoxemia, além do tratamento da cólica vc pode fazer um agente anti-toxêmico (nesse caso aqui agente usa pra combater essa endotoxemia que é justamente pela absorção dessas endotoxinas seria o flumexin meglumine (banamine), na dose anti-endotoxemia, que é 0,25-0,30mg/kg, já a dose normal seria de 1,1mg/kg). Ou seja, pra um cavalo adulto vc vai