ok clin equi 16.05.11
21 pág.

ok clin equi 16.05.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária De Equídeos12 materiais171 seguidores
Pré-visualização6 páginas
de 3ª pálpebra, e tem opistótomo porque no final eles ficam em opistótomo pra fazer paralisia.

Tratamento da penicilina G potássica (IV q 6h) e anti-toxina tetânica, que vai entrar como preventivo, mas o ideal é que esses animais sejam vacinados periodicamente.

Botulismo
- Clostridium botulinum => neurotoxina produzida em carcaças, silagem mal conservada e matéria vegetal em decomposição.
	- Neurotoxina = impede a condução do impulso nervoso perifericamente (acetil-colina não é liberada e resulta em diminuição continua do tônus e da atividade muscular).
- Formas de contaminação:
	- No pasto => toxina pré-formada.
	- Toxicoinfecção botulínica => ingestão do esporo (toxina produzida no trato digestivo)
	- Botulismo de feridas => esporos da vegetação nas feridas.
- Tratamento: Profilático
	- 30.000 UI potros / 75.000 UI adultos – antitoxina polivalente.
	- Parassimpatomiméticos (incial) = neostigmina 0,02 mg/kg sc.

Temos que ver se tem histórico de botulismo na região, na propriedade, agente prestar atenção em feridas. Feridas de canela, boleto, quartela, procurar não deixar fazer casca, manter feridas sempre limpas, a água oxigenada é bom pra fazer essa limpeza, mas cuidado com a água oxigenada que estimula a produção de tecido de granulação exuberante da pele.
Vc pode ter inoculação dessas bactérias, que faz a casca e encontra um ambiente de anaerobiose e o botulismo se desenvolve.

Tratamento: tem uma antitoxina polivalente. E a neostigmina seria a indicação.
Problema: boi morrer e enterravam os ossos. Ai o tatu vai e desenterra esses ossos, com isso os tatus iam roendo os ossos. História da professora que nunca viu um cavalo com botulismo. Ela já viu boi, galinha, mas nunca cavalo.

Ossos e articulações

Sempre importante agente pensar na base. Então um potro bem criado ele vai se transformar num adulto bem formado.

Maturidade óssea = entre o 2º e o 3º ano de vida quando ocorre a calcificação das linhas de crescimento (regiões hipofisárias) dos ossos
Pico de crescimento = mais ou menos 12 meses (80%)
Inicio do treinamento = maturidade óssea

A maturidade óssea vai acontecer entre o 2º e o 3º ano de vida, onde temos a calcificação das linhas de crescimento. O pico de crescimento no eqüino gira em torno do 1º ano de vida, ele tem mais ou menos 80% do seu crescimento.

O inicio do treinamento agente deve prestar atenção para a maturidade óssea.
Quanto mais precoce for o inicio do treinamento, maior é a probabilidade da gente desenvolver distúrbios ortopédicos de desenvolvimento. O ideal é que agente comece o treinamento a partir da maturidade óssea.

	Algumas raças são mais precoces que outras. Existem estudos em que já está comprovado isso.

	Temos que lembrar que a maturidade óssea vai começar sempre de baixo pra cima. Então vai fechar sempre de baixo pra cima, quem vai fechar primeiro é na parte interfalângica, que vai fechando e a maturidade vai acontecendo de baixo pra cima.

Então eu penso, se radiografo, faço exame no joelho do cavalo, e se eu já tenho maturidade de carpos e metacarpos, eu já posso começar um treinamento com eles.

Osteíte e osteoperiostite
	- Processo se inicia no periósteo
Osteomielite
	- Processo se inicia na cavidade medular
		- Hematógena
		- Pós-traumática (Actinomyces)

Osteíte e osteoperiostite: vamos lembrar que o processo vai se iniciar mais superficial, então lá no periósteo.

As osteomielites já temos o processo se iniciando na cavidade medular, pode ser por via hematógena ou pós-traumática (ex. fratura, etc.) quando tem contaminação, um dos agentes contaminantes é o actinomyces.

Distúrbios ortopédicos do desenvolvimento

Podem ser unilaterais ou bilaterais.

- Deformidades angulares (uni/bilateral)
	- Valgus
	- Varus
- Deformidades flexurais (uni/bilateral)
	- Contratura da articulação metacarpo-falangeana
	- Contratura

- O perfil etiológico das DOD é complexo e multifatorial e seus fatores freqüentemente descritos são:
	- Predisposição genética;
	- Rápida velocidade de crescimento;
	- Nutrição;
	- Biomecânica e conformação;
	- Trauma
	- Alterações metabólicas

	Esses distúrbios do desenvolvimento, ou seja, os distúrbios ortopédicos do desenvolvimento são complexos e agente tem vários fatores que vão influenciar o surgimento desses problemas.
Existe:
- Pré-disposição genética (filho de torto, tortinho é);
- A rápida velocidade de crescimento. Agente observa algumas raças que crescem muito rápido, ex. campolina. Todos são tortos, com sérios problemas de desenvolvimento;
 - Nutrição;
- Biomecânica e a conformação (existe uma pré-disposição genética ou atuação das forcas irregulares por conta da sua conformação individual)
- Traumas
- Alterações metabólicas (animais que não recebem alimentação equilibrada, não têm capacidade de absorção normal, e suas ações metabólicas acabam ficando alterada)

Deformidades angulares

- Congênito ou adquirido
- maior freqüência nos membros anteriores, mas podemos encontrar nos membros posteriores também.
- causas = forcas compressivas desequilibradas agindo na cartilagem de crescimento de conjugação (cartilagem metafisária) nos ossos longos podem provocar parada do crescimento longitudinal.

As deformidades angulares podem ser congênitas ou adquiridas, a maior freqüência é nos membros anteriores, mas agente pode encontrar nos posteriores também, mas a freqüência é maior nos anteriores.
Eu tenho as forcas compressivas desequilibradas agindo sob a cartilagem de crescimento, de conjugação.
Eu posso ter uma parada de crescimento longitudinal.
Se eu tenho uma compressão lateral, vou ter um crescimento maior da zona medial, e se eu tenho uma compressão medial eu vou ter um crescimento maior lateral. Isso vai fazer com que eu tenha uma alteração nessa conformação, ou para fora, se a força de compressão for lateral, ou para dentro se a força de compressão for medial.

Deformidades angulares
- Mau posicionamento intra-uterino
- Deficiências nutricionais => Ca:P; vitaminas D e A; Rações ricas em grãos.
- Claudicação de membro contralateral
- Traumatismo

Quando é congênita, isso esta relacionado muitas vezes ao mau posicionamento intra-uterino, ou compressão, ex. potro que se desenvolve um pouco mais e o útero é pequeno e o potro fica muito comprimido. Então o que agente observa: que na maioria das vezes, os casos congênitos que estão relacionados a essa condição são aqueles casos em que nascem com aquela alteração e com 10 dias estão normais.

As deficiências nutricionais, principalmente o desequilíbrio de cálcio e fósforo (2:1). Deficiência de vitamina D (ex. deixa o cavalo no coxo pra não tomar sol e não queimar o pêlo, agente acaba tendo esse tipo de problema). Rações muito rica em grãos em que agente tem uma quantidade muito alta de cálcio, ai cai nos desequilíbrios de Ca:P.

Claudicação de membro contralateral. Quando o animal está claudicando de um lado, ele joga a força no membro contralateral. Qualquer alteração que ele tenha numa conformação, pode pesar mais pra um lado ou pra outro e ai ele pode acabar desenvolvendo. Tem também os traumatismos.

Deformidades angulares
- Sinais:
	- Desvio medial ou lateral
		- Varo = desvio medial
		- Valgo = desvio lateral
		- Principais articulações = carpianas e tarsianas
- Tratamento:
	- Manejo nutricional e correção dos desequilíbrios
	- Imobilização do membro (PVC/gesso)
	- Cirurgia (+ graves): compressão; transecção periosteal; osteotomia.

Sinais:
	Vou ter um desvio medial ou lateral. O desvio medial agente chama de varus ou varu. O desvio lateral agente chama de valgos ou valgo.

Principais articulações: carpianas e tarcianas, mas lembrando que agente pode ter também lá em baixo no boleto.

Tratamento:
	Manejo nutricional, correção de desequilíbrios.
	Dependendo da gravidade, pode fazer uma imobilização com gesso. Às vezes o tubo de PVC pode ser moldado. Temos que prestar muita atenção, porque vc vai partir um cano no meio, vc tem que enfaixar a pata porque o tubo de PVC não pode machucar esse animal, então vc tem que fazer com muito cuidado, senão vc acaba piorando