258_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

258_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.031 materiais36.111 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
244
248
268
288
308
328
348
368
500
1050
1000
900
800
700
600
400
PSEUDOADIABÁTICA
ADIABÁTICA ( oK )
ISÓBARA (mb)
-40 -30 -20 -10 0 10 20 30 oC
IS
O
TE
R
M
A 
( o
C
 )
0,1
0,4
1 4 10 15 25
R
A
ZÃ
O
 D
E M
ISTU
R
A SATU
RA
N
TE ( g/K
g)
Fig. VI.4 - Esquema do emagrama, ou diagrama de Refsdal (MIN. DA AERONÁUTICA,
1969).
Diferenciando a volume específico constante a equação de estado do ar seco, obtém-se:
[\u2202 p/\u2202 T]
 V
 = R/vMa = [\u2202 A/\u2202 v] T (VI.11.3)
ou ainda,
[\u2202 A]
 T
 = (R/Ma)[ \u2202 (ln v)] T.
Integrando-a, encontra-se:
A = (R/Ma) ln v + \u192(T), (VI.11.4)
em que \u192(T) é uma função arbitrária da temperatura. A coordenada A é uma função da massa
específica (v), inconveniente sob o ponto de vista da Meteorologia. Para eliminar ln v em VI.11.4
aplicam-se logaritmos à equação de estado do ar seco, o seja, 
ln v = ln (R/Ma)+ ln T \u2013 ln p,
Substituindo esse resultado em VI.11.4, tem-se:
A = \u2013 (R/Ma) ln p + (R/Ma){ln (R/Ma) + ln T} + \u192(T). (VI.11.5)
Como a função \u192(T) pode ser escolhida arbitrariamente, é interessante toma-la do modo mais