A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Introdução à disciplina história do direito brasileiro

Pré-visualização | Página 1 de 4

*
PROF.: WILLIAMS MELLO
PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA HISTÓRIA DO DIREITO BRASILEIRO
Ementa, objetivos, conteúdos (unidades) e procedimentos de avaliação. 
*
EMENTA DA DISCIPLINA
·   Síntese do Direito no Brasil no período anterior à independência.
·   O direito no Brasil Imperial.
·   O direito na República Velha.
·   O direito na Era Vargas;
·   O direito brasileiro no pós-Guerra em um contexto de ascensão e decadência democrática.
·   A ordem jurídica na ditadura militar: da radicalização à distensão do regime de força.
·   O direito brasileiro no contexto da reconstrução democrática.
*
OBJETIVO GERAL
Compreender o pensamento jurídico e o ordenamento brasileiro vigentes, como produtos de progressivas construções no tempo, tendo como referência o encontro de visões de mundo que se constroem a partir das realidades política, social, mental, cultural e econômica das sociedades que, em cada tempo, colaboraram para sua produção.
*
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
· Analisar instituições jurídicas e estruturas judiciais aplicadas no Brasil a partir do período colonial até sua independência, de forma a apontar suas influências na formação de uma tradição do pensamento jurídico brasileiro; 
·   Pesquisar, a partir da visão de mundo da sociedade da época, as instituições jurídicas e sociais do Brasil Imperial que, assumidas da tradição colonial, importadas de outras sociedades, ou mesmo construídas no período - a partir das peculiaridades locais -, contribuíram para a construção do pensamento jurídico-político brasileiro;  
·   Investigar as instituições e estruturas jurídicas construídas no período republicano, a partir de estruturas jurídicas, políticas e sociais herdadas do Brasil Colônia e do Brasil Imperial, ou mesmo importadas de tradições estrangeiras, identificando um quadro de permanências e rupturas no decorrer do tempo histórico, que acabam por ajudar a compreender o perfil atual do pensamento e da dogmática jurídica do Brasil contemporâneo; 
·   Permitir que o aluno visualize as transformações, rupturas e permanências dos institutos do direito brasileiro no decorrer da história, utilizando-se como parâmetro o direito vigente;
·   Colaborar no processo de auto-reconhecimento pelo discente como um sujeito histórico, potencial transformador da realidade sociopolítica e jurídica do mundo em que vive. 
·   Evidenciar como o direito se cristaliza como produto de seu tempo, demonstrando que sua legitimidade busca suas raízes mais profundas na tradição histórica e mental da sociedade que o produz.
*
CONTEÚDOS (UNIDADES)
Unidade 1 - Síntese do direito no Brasil no período anterior à independência: Estudo dos aspectos relevantes das instituições jurídicas e estruturas judiciais aplicados no Brasil a partir do período colonial até sua independência, analisados sob a perspectiva social, mental, econômica, política e cultural do período.    
Unidade 2 – O direito no Brasil Imperial: A gênese de um sistema jurídico brasileiro. O processo constituinte. A Constituição imperial como retrato contraditório da difícil conjugação entre liberalismo e escravagismo. O papel da Igreja no modelo imperial. A legislação material e processual penal. Os cursos jurídicos no Brasil. Os principais movimentos legislativos do período: o Código Comercial, a Lei de Terras e os projetos do Código Civil. A questão escravocrata e as legislações abolicionistas
Unidade 3 – O direito na República Velha A República e a Constituição liberal de 1891 (a nova estruturação dos poderes, o sistema eleitoral e os direitos e garantias tipicamente liberais), analisada sob os primas social, político, econômico e cultural do período. A ruptura Estado /Igreja.  O novo Código Penal sob a influência da abolição da escravatura. O primeiro Código Civil Brasileiro e a leitura mental e social de uma época. 
*
CONTEÚDOS (UNIDADES)
Unidade 4 - O direito na Era Vargas O corporativismo na emblemática e breve Constituição de 1934. O  trabalhismo, a CLT e a segunda geração de direitos fundamentais. A Constituição de 1937 (a “Polaca”). A centralização e o antifederalismo na base da ditadura varguista.  Os novos códigos penal e de processo penal sob a influência do hegemônico positivismo jurídico no período. 
 
Unidade 5 – O direito brasileiro entre o pós-Guerra e o Golpe Militar: ascensão e decadência do regime democrático A Constituição de 1946 e o breve período democratizante. A crise da Ordem Constitucional de 1946. Golpe Militar de 1964 e o Ato Institucional (nº1) como ato inaugural de uma ordem “metaconstitucional”. A Constituição de 1967 como base jurídica inicial do regime militar.
 
Unidade 6 - A ordem jurídica na ditadura militar: da radicalização à distensão do regime de força O recrudescimento do regime militar e seu crescente caráter antidemocrático. Os Atos Institucionais (AIs) nº 2, 3 e 4.  O AI-5 e a supressão de direitos fundamentais. As alterações substanciais da Constituição de 1967 pela Emenda Constitucional nº 1/69. A ditadura e suas consequências nos campos jurídico, social, político, cultural, mental e econômico. A paulatina distensão do regime. A Lei da Anistia e a Lei do Divórcio como estatutos paradigmáticos do período.
*
CONTEÚDOS (UNIDADES)
Unidade 7- O direito brasileiro no contexto da reconstrução democrática O movimento “Diretas-já”. A Constituinte e o choque ideológico. A Constituição de 1988 : a construção democrática e a progressiva ampliação e proteção aos direitos e garantias fundamentais.  O direito  sob novo enfoque: as legislações ambiental, do consumidor, civil, de proteção à criança e ao adolescente. Os novos direitos a partir das novas demandas.
*
PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
No Curso de Direito, a avaliação  se dá de forma continuada. Isto é, antes de cada aula o estudante deverá solucionar os casos concretos que se encontram na webaula da disciplina e postar suas respostas no ambiente on line.
      Após a revisão e autocorreção, o estudante deverá refazer a análise do caso concreto, no ambiente webaula, acrescentando citações doutrinárias e jurisprudenciais. O conjunto dos trabalhos práticos realizados ao longo do período valerão até 1,0 (um) ponto na AV1, AV2 e AV3.
      As AV1, AV2 E AV3 serão realizadas através de provas escritas, valendo, no mínimo, até 9,0 (oito) pontos, contendo questões objetivas e discursivas, sendo, ao menos uma das questões, um caso concreto para análise e resolução.
     
*
PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
A soma de todas as atividades ( provas escritas e resolução dos casos aula a aula) comporão o grau final de cada avaliação, não podendo ultrapassar o grau máximo de 10 (dez), sendo permitido atribuir valor decimal às avaliações. 
 
A AV1 contemplará o conteúdo da disciplina até a sua realização, incluindo o das atividades estruturadas, nas disciplinas que as contenham.
 
As AV2 e AV3 abrangerão todo o conteúdo da disciplina, incluindo o das atividades estruturadas.    
*
PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
Para a aprovação na disciplina o aluno deverá:
 
1.    Atingir resultado igual ou superior a 6,0, calculado a partir da média aritmética entre os graus das avaliações, sendo consideradas apenas as duas maiores notas obtidas dentre as três etapas de avaliação (AV1, AV2 e AV3). A média aritmética obtida será o grau final do aluno na disciplina.
2.    Obter grau igual ou superior a 4,0 em, pelo menos, duas das três avaliações.
3.    Frequentar, no mínimo, 75% das aulas ministradas.
*
PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA HISTÓRIA DO DIREITO BRASILEIRO
Síntese dos conteúdos das aulas.
*
SEMANA 1 – INTRODUÇÃO À DISCIPLINA HISTÓRIA DO DIREITO BRASILEIRO
Apresentação do plano de ensino da disciplina com ênfase na sua importância no processo de formação de uma sólida cultura sócio-histórico-jurídica dos futuros profissionais do Direito.
Desenvolvimento de considerações a respeito da “natureza” do conhecimento histórico e, mais especificamente, do conhecimento da História do Direito Brasileiro.
 Apresentação das principais características dos dois grandes sistemas do direito ocidental (o

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.