ok clin equi 25.04.11
12 pág.

ok clin equi 25.04.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária De Equídeos12 materiais173 seguidores
Pré-visualização4 páginas
vai haver um histórico de uma lesão previa, que o animal se acidentou, fez um corte, uma contusão, por que agente sabe que a habronemose é ocasionada pela larva da habronema, que vem de uma mosca, que o ciclo dele é: mosca pousa no lábio do animal, o animal ingere a larva que vai ate o estomago que é onde vai fazer o ciclo. É o ciclo errátil, pois ao invés de pousar na boca do animal e depositar a larva, ela pousa na ferida e deposita a larva na ferida, e a larva ali fica profunda e vai ocasionar um estimulo antigênico do animal. O estimulo antigênico que essa larva está provocando no animal, vai causar uma proliferação de tecido de granulação, de forma exacerbada, e é isso que caracteriza a habronemose, tecido de granulação em excesso.

A apresentação clinica tanto da pitiose quanto da habronemose em algumas vezes vai se confundir se vc só olhar, por isso que é aconselhável vc fazer uma biopsia dessas lesões, pra vc poder fazer o diagnostico diferencial, pois muitas vezes só a apresentação clinica não é favorável para o diagnostico.
Existem relatos de infecções mistas, tanto da habronemose quanto da pitiose. Mas um é causado por um fungo e a outra por um parasito gástrico (larva do habronema).

Tratamento da habronemose
Na habronemose, o tratamento consiste em 2 etapas:
	Uma é o tratamento sistêmico e a outra é o tratamento tópico, que agente pode inclusive inserir no tratamento da pitiose.
Sistêmico:
Vamos utilizar um parasiticida, um vermífugo. O que é mais indicado aqui é a invermectina. Então sistemicamente o tratamento da habronemose o que agente pode fazer: fazer uso da invermectina (sob a forma de pasta), invermectina pasta via oral, vc faz 1 aplicação a cada 10 dias, no total de 4 aplicações. Esse é o tratamento sistêmico para habronemose.
Paralelamente a isso vc vai tentar fazer o tratamento do tecido de granulação exuberante, que é característico nessa afecção.
	Tópico:
Esse controle do tecido de granulação exuberante, agente faz normalmente com algumas substancias:
- Sulfato de cobre
- Cloreto de zinco
- Albucrezil (que é o nome do produto comercial, que vende em farmácia humana)
- Corticóide
Só que o corticóide, no tecido de granulação simples, o professor não gosta de usar na habronemose, porque acaba que vc pode diminuir o eixo sanguíneo. Mas ele tem aplicação também, pode usar.

Isso é o tratamento tópico para tecido de granulação exuberante, então vc alem de vc matar a larva com a invermectina, vc vai tentar restringir o crescimento do tecido de granulação exuberante.

Pode acontecer de mesmo com a larva do habronema morta naquela região onde se proliferou o tecido de granulação, pode acontecer que mesmo com a larva morta, ela promova um estimulo antigênico que perpetue esse crescimento, por isso vc vai ter que combater com esse tratamento local.

Papilomatose viral
	Doença viral muito comum em eqüinos e em outras espécies.
Temos a apresentação fetal que já não é tão mais comum que é a papilomatose.
	É muito comum principalmente em animais jovens, que ainda não tem como sistema imune competente, formado. Então animais imunocomprometidos, animais jovens que ainda não tem o sistema imune formado, são mais suscetíveis a serem acometidos pela papilomatose viral eqüina.

	É uma doença que tem uma rápida disseminação pelo rebanho, mas é uma doença benigna, de curso limitante. Ou seja, vc vai observar que vai aparecer um potro com esses papilomas, rapidamente outros potros também vão apresentar papilomas, principalmente na região da boca e do focinho. Por que: são animais que tem hábitos de cheirar uns aos outros, com isso provoca essa disseminação.
	Vc vai ter um plantel, e os potros de 1 ano até 2 anos, geralmente 1,5 anos vão ser acometidos, nem muito jovens, são potros de 1 ano a 1,5 anos.
Do mesmo jeito que vem também desaparece, só que o proprietário fica incomodado porque são vários animais que são afetados, as vezes um papiloma daquele causa uma alteração e fica sangrando, ai o cara chama o veterinário para tratar, mas não existe tratamento efetivo, vc pode fazer tanto tratamento profilático com vacina ou então recolher um papiloma vírus e mandar para o laboratório e mandar fazer uma vacina especifica que serve também como forma de tratamento e profilaxia, mas não é tão usual e perfeito.
O que agente sabe é que realmente depois de um tempo há remissão dos papilomas e o animal continua o curso de vida dele normal.

O que vc pode fazer enquanto não há remissão desses papilomas é fazer terapias alternativas de valor até duvidoso, como a autolanoterapia, que teoricamente estimula o sistema imune do animal ocasionando uma resposta mais rápida. Existem também os imunoestimulantes, baypamoon que era um imunoestimulante que se vendia que tinha uma indicação pra esses casos ai, aumentava a resposta imune do animal e mais rapidamente os potros se viam livres do papiloma, mas não tem mais no mercado.

(foto)
Quando vc tem uma ferida, vc vai ter que ter reparação dessa ferida, essa reparação é o preenchimento daquele tecido que vc perdeu, por tecido conjuntivo.
O tecido conjuntivo inclusive vai aproximando os bordos da ferida, vai preenchendo aquela área, só que no cavalo há tendência a essa proliferação de tecido conjuntivo de forma desordenada e aumentando de forma indefinida. E enquanto esse tecido de granulação, essa carne esponjosa não tiver na altura da pele, se estiver ultrapassada vc não vai ter cicatrização, ou seja, vc não vai ter o recobrimento daquela ferida por pele. Isso é uma das dificuldades que vc tem na reparação cicatricial no cavalo. Apesar de rapidamente granula, um buraco que ele tinha por uma pancada, vai ser reparado, o problema vai ser que aquilo vai continuar crescendo, e se vc não modular aquilo vc não consegue fechar a ferida.
	Existem algumas situações que fossemos intervir só clinicamente, com medicamentos, no caso o sulfato de cobre ou algo assim, pra diminuir, agente até conseguiria, reduzir gradativamente, só que demoraria muito mais. Então dependendo da situação quando vc observa aquele crescimento vc pode fazer a retirada cirúrgica pra abreviar o tempo de recuperação.
Em algumas outras situações vc não tem outra opção, o queimadinho, por exemplo, ele desenvolveu tecido de granulação só por fora, porque ele cicatrizou tudo, mas cresceu um fibroma por debaixo da pele e ai depois ulcerou. Mas vamos supor que tudo aquilo fosse tecido de granulação exuberante, porque acontecem lesões com essa magnitude. Ou seja, por tratamento errôneo ou o próprio tratamento que vai aumentando. Mas vamos supor que o queimadinho tivesse só tecido de granulação e não fibroma, não tem como vc diminuir aquilo só com sulfato de cobre, vc vai ter que ter uma rescisão cirúrgica pra diminuir bem e ai sim vc vai combater o crescimento com outro tipo de tratamento, ai vc vai ver se vai crescer, se vai granular.
E existem alguns fatores que estão associados a essa granulação, como por exemplo, a própria habronemose, a larva do habronema é um estimulo antigênico muito forte. Porque sempre granula quando tem habronemose? Porque a larva dentro fica desencadeando um estimulo pro organismo, e ai a granulação é maior. Se vc tem uma infecção bacteriana, é um estimulo também pra granular , ou seja, vc pode ter uma ferida com tecido de granulação exuberante e não ter habronemose, basta que vc tenha condições que favoreçam essa granulação, como imunidade, infecção, fatores de higiene, habronemose, etc.

Habronemose ocular
Outra apresentação da habronemose é a habronemose ocular, que é comum. Pode ser subcutânea e pode ser também na região orbital, pegando ali na comissura. É comum, porque normalmente ali na comissura do olho do cavalo vc tem às vezes secreção as vezes por uma lesão no canal naso lacrimal e acumula secreção ali, e ai a mosca vai pousar ali, com isso a larva se instala e vai causar uma reação que é a habronemose ocular.

Miíase
	A habronemose é uma miíase também.
Mas isso é outra afecção comum também. O cavalo teve um hematoma peniano, quando ele tem um hematoma ou uma