A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Odontogênese e anomalias dentárias

Pré-visualização | Página 1 de 2

Carla Mendes 
 
Conceito de odontodogênese: Processo de 
desenvolvimento dos dentes da maxila e 
da mandíbula. 
- As etapas da odontogênese são as 
mesmas para o desenvolvimento de todos 
os dentes, mudando apenas a forma final 
deles (ex: incisivo ≠ molar). Por isso, é 
essencial conhecer cada uma dessas 
etapas para entender as alterações que 
ocorre em cada uma delas. 
Fases: 
1. Iniciação 
- Ocorre entre a 5° e 6° semana de vida 
intrauterina; 
- A proliferação é um fator indutor 
presente no estomodeu (cavidade oral 
primitiva); 
- O epitélio oral vai em direção ao 
ectomesenquima condensando as células, 
para assim formar a banda epitelial 
primária; 
 
- A banda epitelial primária pode dar 
origem a dois tipos de lâminas, a lâmina 
dentária e a lâmina vestibular; 
- A lâmina dentária está associada a 
proliferação das células formando o 
germe dentário, que prolifera em forma de 
ferradura; 
- Já a lâmina vestibular, está associada a 
degeneração das células, formando o 
fundo de saco do sulco vestibular (lábios, 
bochechas e futuros arcos dentários). 
 
- Se um paciente nasce com algum 
problema de ordem dentária, é necessário 
que o profissional consiga identificar em 
que etapa da odontogênese isso ocorreu. 
- Ao longo do comprimento observa-se 
diversas tumefações (que são os dentes 
decíduos), sendo 10 no arco superior e 10 
no arco inferior; 
- Lâmina primária: acontece entre a 6° e 7° 
semana de vida intrauterina até o 2° mês 
gestacional, onde ocorre a formação da 
dentição decídua; 
- Lâmina secundária: acontece entre o 4° 
mês de VIU até o 10° mês de idade, onde 
ocorre a formação dos dentes 
permanentes de substituição (incisivos, 
caninos e pré-molares); 
- Lâmina terciária: acontece entre o 4° 
mês de VIU até os 5 anos de idade, onde 
ocorre a formação dos molares 
permanentes. Esses dentes não 
substituem nenhum dente decíduo, 
Carla Mendes 
 
portanto independente dos dentes 
decíduos eles irão erupcionar. 
- Formação ≠ erupção: 
 
 
 
*Essas cronologias podem sofrer 
alterações, não necessariamente estando 
interligadas a patologias. 
- As meninas possuem uma troca de 
dentes até 6 meses antes dos meninos; 
- Geralmente os dentes inferiores 
erupcionam antes dos superiores. Se 
acontecer dos superiores erupcionarem 
primeiro não tem problema, porém é 
necessário investigar se foi uma condição 
normal ou alguma patologia. 
- É na fase de iniciação que se encontra a 
fase de botão que acontece na 8° semana 
de VIU, ela possui uma atividade mitótica 
diferenciada, nela acontece o início da 
formação dos botões (10 esférulas) e a 
formação dos primeiros ICI decíduos; 
 
- O epitélio oral invagina em direção ao 
ectomesenquima, condensando essa 
região e dando o aspecto de botão; 
- As esférulas determinam a quantidade 
de dentes que um indivíduo terá, sendo 10 
em cima e 10 embaixo, portanto qualquer 
falha nesse processo acarretará em uma 
quantidade maior¹ de dentes (maior 
produção de esférulas), uma quantidade 
menor² ou mesmo ausência³ de dentes 
(produção de esférulas menor do que o 
adequado). 
- ¹Dentes supranumerários: 
- Etiologia desconhecida; 
- É uma hiperatividade da lâmina dentária, 
podendo estar relacionado a 
hereditariedade e a traumas; 
- Os dentes supranumerários podem 
causar problemas, como: erupção 
ectópica (o paciente possui um número 
maior de dentes, porém a maxila e a 
mandíbula continuam do mesmo 
tamanho, dessa forma não tem espaço 
suficiente pra erupção dos elementos), 
mal posicionamento dentário, formação 
de cistos e etc. 
Carla Mendes 
 
 
- ²Hipodontia: 
- É a anomalia dentária mais comum e 
caracteriza-se pela ausência do 
desenvolvimento de um ou mais dentes, 
podendo ser chamada também de 
agenesia dentária; 
- A partir de 6 elementos ausentes passa a 
ser chamada de oligodontia; 
- A origem pode ser ligada a fatores 
ambientais, genéticos ou associada a 
síndromes; 
- Os dentes mais afetados são os últimos 
de cada grupo, sendo esses os incisivos 
laterais e os segundos pré-molares. 
 
- ³Anodontia: 
- Caracteriza-se pela ausência de dentes; 
- Em algumas situações pode estar 
associada a displasia ectodérmica; 
- É resultante de distúrbios nos primeiros 
períodos do ciclo vital dos dentes; 
- Sua etiologia está ligada a uma falha no 
processo que origina a lâmina dentária e 
os brotos dentais, dessa forma, o processo 
de iniciação não ocorre devido à não 
multiplicação das células do ectoderma. 
2. Proliferação 
- Possui uma intensa proliferação das 
células epiteliais, fazendo com que tenha 
um crescimento desigual; 
- Nesta fase ocorre a formação do folículo 
dental e da papila (células 
ectomesenquimais), onde juntos dão 
origem ao órgão dental; 
- Órgão do esmalte: há uma proliferação 
interna do epitélio, formando o esmalte; 
- Papila dentária: é formada pelo 
mesênquima encerrado pelo órgão do 
esmalte, formando a dentina e a polpa; 
- Folículo dentário: envolve a papila 
dentária e o órgão dentário, formando o 
cemento, o ligamento periodontal e o osso 
alveolar. 
 
- Qualquer falha nesse processo 
acarretará em mudança no tamanho e 
proporção dos germes em 
desenvolvimento. 
- Odontomas: 
- Possui etiologia desconhecida, podendo 
estar relacionado a infecções locais, 
hereditariedade, traumas, etc; 
- É um tumor odontogênico misto, 
diferenciado e funcional a ponto de 
formar esmalte e dentina; 
Carla Mendes 
 
- Possui uma proliferação anormal das 
células do germe dentário, acarretando 
em um brotamento contínuo do germe do 
decíduo ou do permanente; 
- Muitas vezes o odontoma dificulta a 
erupção de alguns dentes, acarretando 
em perda de espaço, perda precoce do 
dente decíduo, etc; 
- Seu tratamento é cirúrgico. 
 
 
- Geminação: 
- É a tentativa de divisão de um germe 
dentário, resultando na formação 
incompleta de 2 dentes; 
- Não há mudança no número de dentes; 
- Pode ocorrer tanto na dentição decídua 
quanto na dentição permanente, sendo 
mais comum na decídua; 
- Pode ser confundido com fusão, o que dá 
o diagnóstico final é o exame radiográfico; 
- Radiograficamente apresenta-se com 
raiz única, uma coroa com a superfície 
incisal mais ampla, cavidade pulpar em 
formato de Y e apenas um canal radicular; 
- O tratamento é estético e funcional 
(oclusão), com isso, pode ser feito a 
diminuição da distância mésio-distal, com 
cuidado para não atingir a câmara pulpar, 
caso atinja é preciso fazer uma 
endodontia, dessa forma faz-se 
necessário a confecção de pino ou coroa, 
ou mesmo exodontia a depender do caso. 
 
 
 
- Fusão: 
- É a união embriológica de 2 germes 
dentários; 
Carla Mendes 
 
- Caracteriza-se por um elemento 
dentário com forma e tamanho alterados 
e canais individualizados (2 coroas e 2 
canais); 
- É mais comum na dentição decídua e na 
região anterior; 
- Pode ou não ocasionar diminuição no 
número de dentes; 
- Quando se tem o número correto de 
dentes geralmente é uma geminação, no 
caso da fusão se tem 1 dente a menos, 
caso tenha o número correto de dentes, 
está interligado fusão + dente 
supranumerário; 
- A fusão pode ser completa com raiz e 
coroa ou incompleta; 
- Pode-se utilizar a técnica de Clark para 
dissociação dos canais. 
 
 
- Dentes fusionados estão suscetíveis a 
formação de cárie devido à dificuldade de 
higienização e a facilidade do acúmulo de 
biofilme dental na região. 
3. Morfo e histodiferenciação: 
- O processo de histo-morfodiferenciação 
começa com a fase de campânula, tendo 
como característica o crescimento do 
órgão do esmalte em aspecto de sino (por 
isso o nome câmpanula) e a redução da 
proliferação celular, em contrapartida as 
células vão ficando cada vez mais 
especializadas, tendo assim uma maior 
diferenciação das células epiteliais, dando 
origem cada uma a um tecido necessário; 
- Tem um crescimento exagerado das 
bordas do capuz; 
- Na fase de campânula, o embrião tem 
cerca de 70mm; 
- Retículo estrelado: possui uma 
consistência almofadada