AULA 2012-OBESIDADE CANINA

AULA 2012-OBESIDADE CANINA


DisciplinaNutrição em Veterinária54 materiais223 seguidores
Pré-visualização1 página
OBESIDADE CANINA
DEFINIÇÃO
\u201cTranstorno patológico de acúmulo excessivo de gordura, em consequência da alteração na ingestão de nutrientes ou distúrbio do gasto energético,ou ainda, ao desequilíbrio interno dos dois processos.\u201d 
GÊNESE MULTIFATORIAL
Determinantes poligênicos
Fatores neuroendócrinos
Ambientais
Sociais
RAÇAS
Petisco
\u25cf Forma de afeto
\u25cf Culpa
Ansiedade e solicitação de alimentos
Outras formas de gratificação
Monotonia alimentar?
Incentivo ou recompensa?
TIPOS DE OBESIDADE
HIPERPLÁSICA = número maior de adipócitos
HIPERTRÓFICA = adipócitos de tamanho aumentado
EFEITOS DELETÉRIOS
Distúrbios do aparelho locomotor
Hipertensão arterial
Prejuízos à resposta imunológica
Resistência insulínica
Dislipidemias
Maiores riscos com anestesia
Maior dificuldade ao acessoa cirúrgico
Necrose secundária ao traumatismo cirúrgico
Dermatopatias
Neoplasias
Distocia
Intolerância ao calor
DIAGNÓSTICO
Palpação de tórax e abdomen inferior
Inspeção visual
Forma de \u201campulheta\u201d X depósitos de gordura na base da cauda 
Cálculo da percentagem de gordura corporal 
1- Caquexia: Costelas, vertebras lombares e ossos da pelve visíveis.Ausência de gordura palpável.Curvatura abdominal e cintura bem marcadas.
2-Magro: Costelas facilmente palpáveis e cobertas com um mínimo de gordura. Curvatura abdominal evidente.
3-Peso ideal: Costelas palpáveis e sem excesso de gordura subcutânea. Cintura atrás das costelas
4- Excesso de Peso: Costelas palpáveis com pequeno excesso de gordura subcutãnea>Curvatura abdominal muito pouco marcada
5- Obeso: Costelas não palpáveis debaixo de grande quantidade de gordura subcutânea.Depósitos de gordura na região lombar e base do rabo. Cintura não visível.Curvatura abdominal ausente 
Passo 01: Medir a circunferência abdominal do cão ou gato. 
Para cães e gatos: Coloque seu cão ou gato em pé, apoiando as patas em uma superfície antiderrapante e plana. Passe a fita ao redor do abdomem do cão ou gato conforme figura ilustrativa. Tecnicamente podemos dizer que a fita deve passar pelo ponto central entre a última costela (vértebra torácica) e a asa do íleo (saliência óssea do coxal). Na prática é o ponto bem central do abdomem. 
Anote o valor da circunferência abdominal, pois ele servirá de referência para todo o tratamento
MEDIDAS MORFOMÉTRICAS
Circunferências X Longitudes anatômicas:
%Gordura Corporal cão macho = [ -1,4 (CL) + 0,77 (CP) + 4] / peso corporal
% Gordura Corporal cão fêmea = [ -1,7 (CL) + 0,93 (CP) + 5] / peso corporal 
CL = distância do calcâneo ao ligamento cruzado (cm)
CP= Circunferência pélvica (cm)
Peso corporal (Kg)
ÍNDICE DE MASSA CORPORAL
ÍNDICE DE MASSA CORPORAL
CÃES DE MÉDIO PORTE
 (10-25Kg) = 11,8 e 15 kg/m2
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
ASCITE
PRENHÊS
NEOPLASIA
HAC
HIPOTIREOIDISMO
TRATAMENTO
Diminuição da ingestão calórica e/ou aumento do gasto energético
Mudança do comportamento alimentar, modificações dietéticas e exercícios
DICAS
Dar-lhe atenção e carinho ao invés de comida
Mantê-lo fora da copa nas horas de refeições
Eliminar da dieta todos os alimentos que não sejam para animais
Manter regime alimentar estrito
Alimentação sempre nos mesmos horários 
 Outras dicas
\u25cf Local calmo para se alimentar
\u25cf Não forçar a alimentação
\u25cf Não mexer no alimento durante a alimentação
\u25cf Não oferecer brindes
\u25cf Não oferecer comemorações em forma de comida
ATIVIDADES FÍSICAS
SUCESSO NO TRATAMENTO
Motivação e cooperação do proprietário
Perda semanal de 1 a 2%
Peso meta: 15% de redução em 8-14 semanas
Tipo de alimento
Fornecer a quantidade de alimento calculada para o paciente dividida em pelo menos 3 refeições diárias 
REVISÕES QUINZENAIS: Por que?
 Manter proprietário estimulado a prosseguir com o tratamento
Identificar possíveis falhas de manejo e dificuldades
Identificar melhoras clínicas do paciente
Ajustar quantidade do alimento se o processo estiver lento