Fisioterapia Preventiva
104 pág.

Fisioterapia Preventiva


DisciplinaFisioterapia8.411 materiais24.268 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Fisioterapia Preventiva
Prof. Ms. Thiago Vilela Lemos
Atuação Preventiva em Saúde
\ufffd Relação entre Saúde e Doença;
\ufffd Saúde
\ufffd Prevenção
\ufffd Atuação Fisioterapêutica;
\ufffd Prevenção
\ufffd Avaliação
\ufffd Tratamento
\ufffd Reabilitação
Escala de Saúde e Doença
Saúde Ótima
Saúde Subótima Enfermidade 
Real
Enfermidade
Severa Morte
Hospedeiro
Pirâmide de Inter-relação
AgenteAmbiente
Níveis de Prevenção
\ufffd Nível Primário: período pré-
patogênese;
\ufffd Promoção da Saúde
\ufffd Proteção Específica
\ufffd Nível Secundário: diagnosticar 
precocemente e estabelecer a 
terapêutica;
\ufffd Nível Terceário: recolocação útil na 
sociedade (reabilitação);
Quadro de Prevenção
Duplicidade da Palavra
Reabilitação
Readaptação
Recuperação
Inter-relação Saúde-doença
Prevenção de Acidentes
\ufffd Promoção da Saúde: educação e 
conscientização;
\ufffd Proteção Específica: conjunto de 
ações para a devida eliminação dos 
fatores de Risco
Educação Básica e Específica
\ufffd População Adulta;
\ufffd Quanto menor a criança maior a 
necessidade de proteção;necessidade de proteção;
\ufffd Conhecer os fatores de risco de forma 
mais aprofundada sendo as medidas 
mais efetivas;
\ufffd Isolar a área e os elementos 
causadores;
Acidentes Domésticos
\ufffd Arma de Fogo;
\ufffd Fósforo, objetos pontiagudos, sacos 
plásticos longe de crianças;plásticos longe de crianças;
\ufffd Espaçamento entre as barras dos 
berços até seis cm;
\ufffd Medicamentos (vencimento, locais e 
crianças); 
Acidentes Domésticos
\ufffd Superfícies Escorregadias;
\ufffd Produtos de limpeza, inseticidas, subst. 
químicas devidamente quardados;
\ufffd Gás (teste do sabão);
\ufffd Panelas quentes e cozinha;
\ufffd Tapetes, quinas vivas, toalhas em 
mesas;
\ufffd Animais domésticos;
\ufffd Janelas e Sacadas;
Acidentes Domésticos
\ufffd Evite fumar em casa (locais inflamáveis)
\ufffd Desligar a chave geral em matutenções \ufffd Desligar a chave geral em matutenções 
elétricas;
\ufffd Evite locais mal iluminados possíveis de 
queda e batidas;
Acidentes Rurais
\ufffd EPI\u2019s e primeiros socorros;
\ufffd Lagos e rios desconhecidos;
Animais perigosos e peçonhentos;\ufffd Animais perigosos e peçonhentos;
\ufffd Em caso de tempestade cuidado com 
locais decampados, proteger-se em 
baixo de árvores;
\ufffd Agrotóxicos;
Queimaduras
\ufffd Causas: luz solar e incêndio, álcool e 
querosene, gases, líquidos em 
ebulição, corpos sólidos, químicos, ebulição, corpos sólidos, químicos, 
radioativos e eletricidade;
\ufffd Primeiros contato pós queimadura;
Queimaduras
\ufffd Procedimentos Básicos:
\ufffd Acalmar a pessoa;
\ufffd Mantê-la o mais imóvel possível;\ufffd Mantê-la o mais imóvel possível;
\ufffd Evitar o esfriamento abrupto da área;
\ufffd Em caso de fogo nas vestes, não retirá-
las, e sim cobrir com outro tecido;
\ufffd Não utilizar outros produtos como azeite, 
vaselina, pó de café, etc sobre a lesão; 
Choques Elétricos
\ufffd Quanto mais úmido maior a gravidade 
da lesão;
\ufffd Pode apresentar transtornos de 
consciência, agitação, desmaios, 
coma e parada cárdio-respiratória;
Choques Elétricos
\ufffd Procedimentos Básicos:
\ufffd Desligar a corrente elétrica;
\ufffd Não tocar na pessoa durante o choque;\ufffd Não tocar na pessoa durante o choque;
\ufffd Verificar se o piso está molhado e o tipo 
de calçado (isolante ou condutor);
\ufffd Em caso de paradas cárdio-respiratórias 
iniciar a respiração artificial e a 
massagem cardíaca;
Respiração Artificial e 
Massagem Cardíaca
Ferimentos
\ufffd Lesões Leves, Moderadas e Graves;
\ufffd Ação dos Agentes:
\ufffd Cortantes (facas)\ufffd Cortantes (facas)
\ufffd Contusos (atropelamentos)
\ufffd Lacerantes (mordida de animais)
\ufffd Decepantes (corte abrupto, ex. Machado)
\ufffd Perfurantes (pregos)
\ufffd Escoriações (arranhões)
Ferimentos
\ufffd Procedimentos Básicos:
\ufffd Lavar a área com água e sabão;\ufffd Lavar a área com água e sabão;
\ufffd Usar antiséptico, não sendo álcool ou iodo;
\ufffd Ferimentos leves deixar aberto, enquanto os 
abertos tampar com gase e não algodão;
\ufffd Trocar diariamento o curativo;
Hemorragias
\ufffd Internas e Externas;
\ufffd Sinais: perda de coloração e 
diminuição da temperatura, pulsação, diminuição da temperatura, pulsação, 
pressão arterial, aumento da FR, 
dispnéia, palidez geral, visão turva, 
transpiração, sede, fraqueza, perda de 
consciência, como e óbito;
Hemorragias
\ufffd Torniquete:
\ufffd Não aplicar diretamente sobre a pele; 
\ufffd Comprimir durante 15 a 20 min.; \ufffd Comprimir durante 15 a 20 min.; 
\ufffd Hemorragia Arterial, realizar o torniquete 
acima do local;
\ufffd Hemorragia Venosa, realizar o torniquete 
abaixo do local;
Torniquete
Envenenamento
\ufffd Substâncias Tóxicas: corrosivas, ácidos 
ou alcalinos, detergentes, combustíveis, ou alcalinos, detergentes, combustíveis, 
medicamentos, inseticidas, certos tipos 
de gases e plantas;
Afogamentos
\ufffd Lama e água;
\ufffd Decúbito dorsal, cabeça virada, \ufffd Decúbito dorsal, cabeça virada, 
joelhos fletidos e comprimir o 
abdômem, até que a água aspirada 
seja expelida; 
Contusões
\ufffd Lesões traumáticas sem perda da 
continuidade da pele;
\ufffd Realinhamento dos Segmentos \ufffd Realinhamento dos Segmentos 
(luxação);
\ufffd Imobilizar as articulações acima e 
abaixo;
\ufffd Orteses e bandagens;
Prevenção em Saúde Pública
Prof. Ms. Thiago Vilela Lemos
Noções Básicas de Higiene
\ufffd Associação Nacional de Vigilância 
Sanitária (Anvisa);
\ufffd Campanha Nacional da Importância da \ufffd Campanha Nacional da Importância da 
Lavagem das Mãos;
\ufffd Comissões de Controle a Infecção 
Hospitalar (CIH)
Lavagem das Mãos - Produtos
Lavagem das Mãos - Técnicas
\ufffd Técnicas
Doenças Infecto-contagiosas
\ufffd Cólera;
\ufffd Dengue;\ufffd Dengue;
\ufffd Verminoses;
\ufffd Gripes e resfriados;
Doenças Sexualmente 
Transmissíveis - DST
Saúde Materno-Infantil
\ufffd \u201cExcepcional\u201d
\ufffd Portadora de Necessidades Especiais\ufffd Portadora de Necessidades Especiais
\ufffd Mental
\ufffd Física
\ufffd Auditiva
\ufffd Múltipla
\ufffd Visual
Saúde do Idoso
Alterações Biológicas
\ufffd Diminuição da massa, força muscular e 
densidade óssea;
\ufffd Diminuição da agilidade, coordenação 
motora, equilíbrio, mobilidade articular, motora, equilíbrio, mobilidade articular, 
função hepática e renal;
\ufffd Rigidez articular, tendinosa e ligamentar;
\ufffd Redução termoreguladora, \u2193 neurônio, 
tamanho e distância entre eles e condução;
Tendência a Quedas
\ufffd As quedas podem ser definidas como
episódios de desequilíbrios que levam o
indivíduo ao chão, como uma insuficiência
súbita do controle postural que pode sersúbita do controle postural que pode ser
considerada uma síndrome, por ser um
problema que envolve aspectos biológicos,
psicológicos, sociais e funcionais. Junto à
instabilidade postural, as quedas estão
entre as grandes síndromes geriátricas e
são a principal causa de acidentes em
idosos (Bodachne, 1991)
Tendência a Quedas
\ufffd Fatores:
\ufffd Intrínsecos: fraqueza muscular, 
disfunção osteoarticular e neurológica, disfunção osteoarticular e neurológica, 
visão, imobilidade e medicamentos;
\ufffd Extrínsecos: pisos escorregadios, 
tapetes e tacos soltos, banquinhos, 
iluminação inadequada, escadas, objetos 
espalhados pelo chão.
Programa de Prevenção
\ufffd Programas Educativos;
\ufffd Prática regular de exercícios; 
\ufffd Mudança no ambiente;
\ufffd Orientação sobre os perigos das 
quedas;
Queda
Medo
Diminuição da
Movimentação Ativa
Ciclo de Tendência a Quedas
Queda
Fraqueza
Muscular
Diminuição da
Amplitude de Movimento
Instabilidade
Postural
Medo
Objetivos
\ufffd Eliminar/ minimizar as causas das 
quedas;
\ufffd Evitar quedas futuras;\ufffd Evitar quedas futuras;
\ufffd Restabelecer a segurança e a auto-
estima;
\ufffd Promover a reeducação funcional 
evitando o decúbito prolongado;
Exemplos de Programas
\ufffd Tratar a disfunção primária;
\ufffd Cinesioterapia (fortalecimento, 
propriocepção, Ex. Aeróbicos\u2026)propriocepção, Ex. Aeróbicos\u2026)
\ufffd Reeducação Funcional (T.O.);
\ufffd Hidroterapia;
\ufffd Treino de Marcha e equilíbrio;
\ufffd Exerc. de transferência de peso;
Atividade Física na 3ª Idade
\ufffd Benefícios (Mazzeo et al., 1998):
\ufffd Cardiovascular;
\ufffd Força e massa Muscular;
Redução do risco de osteoporose;\ufffd Redução do risco de osteoporose;
\ufffd Estabilidade Postural;
\ufffd Flexibilidade corporal e ADM;
\ufffd Efeitos psicológicos (auto-estima, 
confiança\u2026);
\ufffd Contato Social;
\ufffd Independência nas AVD;
Juliana
Juliana fez um comentário
Também tô precisando!
0 aprovações
Mariana
Mariana fez um comentário
Alguém tem para baixar o livro Fisioterapia Preventiva, de Paulo Deliberato (2002) em pdf?
3 aprovações
Carregar mais