ok 28.02.11 clin equi
8 pág.

ok 28.02.11 clin equi

Disciplina:Clínica Médica Veterinária De Equídeos12 materiais174 seguidores
Pré-visualização3 páginas
voltar o negócio pro lugar. Na maioria dos casos é cirúrgico.
Dói, vc acaba tendo comprometimento.

Sem surgimento de peritonite
Posso ter:
Meteorismo/timpanismo: relacionado ao tipo de alimento que produz muitos gases. Ex. cana de açúcar.
O acúmulo de gases faz compressão e conseqüentemente: dor.
Como vamos identificar isso: Auscultação, percussão clássica, estufamento dos flancos (fica parecido com um balão).

Espasmo: geralmente ocorre do intestino delgado chegando no ceco, na ampola íleo secal, um pouco ali, é uma região em que as vezes temos espasmos, na maioria das vezes esses espasmos se resolvem sozinhos, levam ao desconforto e não tem muito problema.
Mas esses espasmos podem levar ao desconforto abdominal. Dificilmente vamos ter espasmos permanentes, mas se tiver, lembrar do buscopam. Eu tenho que ter auscultado meu cavalo, tenho que ter certeza que ele não está parado pra ai fazer uma escopolamina que é um antiespasmótico.
Os espasmos normalmente não têm peritonite, e meteorismo não tem peritonite a não ser que eu tenha um caso gravíssimo, ou em caso de perfuração de flanco que estava inchado (que o peão bate uma caneta bic ali, canivete, fura pra sair, com isso eu vou acabar tendo uma peritonite).

Eu tenho que saber o que está causando a produção intensa de gases pra que consiga resolver o problema dele.

Estagnação da ingesta (ingesta parada)
Na quimiostase (alimento no intestino delgado), é a parada do quimo, que pode ser no duodeno ou pode ser no íleo, parou o conteúdo ali.
Na coprostase (alimento no intestino grosso), pode ser no ceco, pode ser na flexura pélvica do cólon ou no inicio do cólon menor, cólon transverso

Tenho a ingesta estagnada, parou, uma impactação.

No intestino delgado o que vai me chamar atenção: eu tenho uma obstrução, vou ter refluxo com maior facilidade. Quando que vc vai ter alteração: daqui a 3 dias por exemplo, ai a coisa já está complicada, ai vc já tem um refluxo muito intenso. Vc começa a retirar, a partir do momento em que vc retira todo o conteúdo do estômago e o funcionamento está normal e vc faz alguma coisa que facilite mais o transito, continua a passar, e ai vc resolve o problema.
Essas ingestas estagnadas em intestino delgado são mais fáceis do que as obstruções mecânicas.

As Coprostases: estão relacionados ao alimento, épocas do ano, capim muito seco, capim muito passado, geralmente é o vilão das impactações na coprostase. Relacionado a alimentação!
Ex. Os cavalos de fazenda, cavalos de pasto tem uma probabilidade maior principalmente nas épocas da seca, em que vc tem o capim passado, capim muito grande, ressecado, e ai eles acabam ficando mais predispostos a isso.

Coprostase
Tenho eventos de mais a menos de dor
Posso ter uma coprostase parcial ou total;
Se for parcial vou ter uma diminuição na quantidade de fezes, vc tem eventos de dor abdominal.

Quimostase
Posso ter um refluxo
E geralmente os eventos de dor são mais intensos, apesar de que eu tenho um quadro de repente um pouco melhor do que lá nas obstruções mecânicas.

Se eu comparar a quimostase com as obstruções mecânicas, no meu quadro da quimostase eu consigo tratar clinicamente, eu consigo resolver clinicamente.
As cólicas de intestino grosso são mais satisfatórias pro clinico.

Se eu tenho integridade dessa alça, por isso que eu tenho que saber a hora certa que vou abrir e não ter alteração ainda nessa alça e vou poder ordenhar.
Já faço um antibiótico, uma lavagem na hora mesmo.

Se eu pensar no cavalo de corrida é uma coisa, se eu pensar no cavalo comum é outra coisa. O cavalo de corrida ser operado a campo raramente ele vai recuperar, já o cavalo comum se recupera.

Essa estagnação, agente consegue resolver clinicamente. Claro que se eu não resolver clinicamente eu vou ter que colocar na mesa cirúrgica.

Obliterações

As obliterações são uma impactação teoricamente, pois tenho uma obliteração a medida que eu tenho um entupimento. Ou seja, eu vou ter um coprólito, obliteração é quando eu tenho alguma coisa que entope que empedra, um coprólito, por exemplo, um cálculo enorme, etc. que não é muito comum. Tem que ir pra cirurgia.

Sablose
É a ingestão de areia. Muitas vezes o cavalo passa a vida inteira sem maiores problemas.
Ex. cavalo que bebe água em rio, porque eles precisam patear a água pra levantar a terra/areia pra beber a água temperada.

Cavalo que são criados em ambientes mais arenosos, porque o cavalo pasta muito rasteiro, então eles comem o broto, então muitas vezes vem a areia junta e dá o tempero, e ao longo da sua vida ele acaba acumulando.
Muitas vezes passa despercebida, mas muitas vezes pode levar a esses quadros de cólicas intermitentes. Então quando ela se movimenta, quando vai pra algum lugar, ela pode acumular nas flexuras, podendo causar as cólicas intermitentes.
Às vezes o cavalo deita e vira de barriga pra cima pra aliviar, pra não pesar na parte ventral, roda um pouco, pra dar uma ajeitada na areia.

Como faz o Diagnóstico:
Tem uma característica fundamental, o que posso ver no diagnóstico:
Posso ter uma diarréia. Vou ter uma alteração, fezes pastosas, dependendo da abrasão, essa areia faz uma abrasão (dependendo da quantidade) nessa mucosa, e vai irritar, e vai machucar.
O que pode fazer com que eu desconfie além da cólica intermitente (que não necessariamente eu desconfio da sablose):
Ambiente. Vc vai chegar à propriedade e vai perceber onde ele vive. O que eu tenho que observar: vou observar presença de areia nas fezes.