ok clin equi 14.02.11
10 pág.

ok clin equi 14.02.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária de Equídeos20 materiais228 seguidores
Pré-visualização5 páginas
ela está fazendo na glândula e seu tamanho. Posso fazer aplicação tópica de repulsivo (aplicação de solução a base de iodo antes citado) e cirúrgico fazendo a extirpação total, então se eu tirei o calculo (abri pra tirar o calculo) eu já aproveito e tiro a fistula.
Ex de aplicação tópica de repulsivo: tem um calculo que estava obstruindo e fez uma fistula, esse calculo passou muito tempo e o organismo deu uma amolecida, vc vai lá e aperta ele e consegue dissolver, e ai vc consegue sem ter que fazer a cirurgia eliminar esse cálculo. Mas essa fístula continua, ai se vc não quer abrir, vc pode tentar a aplicação tópica. Esse repulsivo vai fazer com que haja uma destruição dessa mucosa da fistula, causa um processo inflamatório grande que ai sim, vc tendo destruição da mucosa vc consegue ter a cicatrização e ai fecha. Não significa que vai funcionar sempre, se não funcionar o repulsivo vc vai ter que abrir e fazer a retirada da mucosa, fazendo retirada da fistula cirúrgica.

Hiperplasia do palato duro (travagem)
Vou observar o palato ultrapassando a linha dos dentes incisivos. Vc observa a linha incisiva dos dentes incisivos e vc vê o palato passando um pouco e ai quanto maior for essa travagem, mais evidente vai ser a visualização disso.

Causas: trauma leve e constante. Ex. tenho um cavalo velho que come milho duro, constantemente ao longo da sua vida (ex. cavalo de carroceiro), esse traumatismo leve e constante acaba levando a essa hiperplasia. No inicio é um processo inflamatório dolorido, isso atrapalha o cavalo na sua apreensão de alimento.
Quando eu estou no inicio do processo, essa travagem vai atrapalhar a apreensão, ela não atrapalha a mastigação, a não ser que eu tenha um defeito (quando os incisivos não se encontram, e na mastigação ele acerta a travagem com os incisivos inferiores), mas normalmente o que acontece: isso vai atrapalhar o animal na apreensão, porque se esta muito grande ou dolorida, quando ele apreende o alimento bate naquilo e às vezes dói. E ele pode soltar o alimento dentro do coxo, então ele vai comer mais devagar, ele vai apreender o alimento mais devagar, depois que ele apreendeu o alimento ele vai mastigar normalmente.
Depois se não dói mais, fica aquela coisa dura, sem sensibilidade, ele vai apreender o alimento e não vai sentir nada, ele vai sentir sempre que ele tiver pegando um alimento muito duro, mesmo depois, aquilo vai incomodar, e vamos perceber um problema na apreensão.

Os cavalos que mordem madeira, engolidores de ar, cavalos que ficam presos muito tempo, esfregando o dente na madeira, isso tudo desgasta muito os incisivos superiores e com isso acaba tendo uma exposição maior
(intoxicação de cavalo por criolina: tratamento: antídoto é o carbonato de sódio, soro bicarbonatado)

Causas fisiológicas: quando está mudando os incisivos, o meu palato fica exposto. A partir do momento que o potro está com 2 anos e pouco, na época das mudas, as mudas ocorreram, os dentes definitivos estão crescendo, ele vai ter momentos em que ele tem travagem. Mas nesse momento ele pode ter problema de apreensão porque aquilo está exposto, se ele pegar alimento mais duro aquilo pode machucar.
Se ele vive no pasto e só come capim, dificilmente vai ter problema na apreensão porque capim é macio (a não ser as toras grossas de capim, alimentos grosseiros e mais duros, isso incomoda e acaba desencadeando um processo inflamatório ali no local, que passa logo, depois que o dente cresce que o dente cresce e cobre aquilo ali).

	Causas secundárias as lesões dorsais a cavidade oral: problemas dentários de pré-molares e molares, principalmente os molares. Qualquer lesão que eu tenha que desencadeie processos inflamatórios nessa parte posterior da cavidade oral, qualquer problema nos molares podem acumular na frente. Então posso ter conteúdo acumulado fazendo com que eu tenha um edema no palato. Muitas vezes não é nem do trauma que aconteceu, foi por um problema que teve lá trás. E quando eu resolvo esse problema, eu resolvo o problema da travagem.
	Acúmulos de fluidos que aconteçam por um processo inflamatório posterior, podem ir se acumulando e por conta disso vc ter aumento do palato.

Vou associar a travagem (pq estou vendo que meu palato está pra fora) e vou associar a mastigação. Porque se ele tem um problema lá trás e ele não esta conseguindo mastigar direito, tenho que abrir a boca toda do cavalo pra avaliar toda a boca.

Sinais: apreensão lenta e dolorosa, grãos podem cair da boca (apreendeu, doeu e deixou cair), emagrecimento progressivo.

Tratamento: eu descobri a causa. Dependendo da causa, se ele tem idade de muda, eu não trato, não faço nada. Se eu tenho um problema na região posterior (molares) eu tenho que resolver o problema dos molares e ai acaba o problema da travagem. Se eu tenho acumulo de fluidos que venham de processos posteriores, edema, que vc resolve esse problema e ele melhora. Se eu tenho uma hiperplasia que atrapalha o animal a apreender, ele tem um dente muito desgastado, eu ai posso fazer a retirada cirúrgica, eu retiro das 2 primeiras pregas, corto rente, sedamos o animal, conter, abre boca, pode fazer uma infusão com anestésico local, coloca o ferro quente (pra fazer a cauterização), vou com o bisturi, retiro as 2 pregas e queimo (cauterizo) , resolveu o problema. Normalmente o animal sai pastando com mais vontade, porque ele consegue apreender o alimento.
Em filhotes: evitar de dar alimentos mais grosseiros.

Condições dentárias
	Temos os incisivos, caninos nos machos, barras e os molares, pré molares e molares.
Temos 3 incisivos de um lado (dividimos a boca no meio e superior e inferior), os incisivos são os cantos, médios ou pinças (ou 1º, 2º, 3º). Geralmente o dente lobo é o 1º pré molar, que é um vestígio como nosso ciso, alguns cavalos não tem mais e outros tem um vestígio que pode ser grande ou pequeno, depende, normalmente ele está frouxo e não está aderido ao osso.
	A região da barra é a região onde passa a corda, onde segura, que é onde não tem dente pra nossa segurança.
A formula dentaria: dentes de leite: 24, dentes permanentes 40 ou 42 (se for macho ou fêmea). Isso é importante na travagem, pelo espaço fisiológico, por isso temos que saber 1º, 2º e 3º incisivo.
Os permanentes com 2,5 anos, 3,5 e 4,5. Nesse período vamos ter esses dentes se desenvolvendo, principalmente a partir dos 2,5 anos que é onde ocorre a muda das pinças dos 1os dentes justamente os que estão na frente do palato. A partir de 2,5-3,5 anos é o período em que agente tem uma maior probabilidade de observar o palato passando a mesa dentaria porque houve a muda, e ai até o dente ir se desgastando tem tempo.
O dente do cavalo não vai crescendo, ele vai gastando, como coelho, então eles tem uma raiz enorme de dentes definitivos que ao longo do tempo vai sendo desgastado, cavalo velho pode chegar a ter exposição da raiz. O dente vai sendo gasto até que ele já velho, ele já começa a ter exposição da região da raiz dentária.
Podemos observar uns sinais de idade que é o sulco de Galvani que vai aparecer a partir dos 10 anos de vida, com 15 anos ele está no meio e com 20 anos ele vai estar no final, porque ai vai ter desgaste maior e já não vou ter esmalte para observar.
Por volta dos 7 anos e 14 anos, agente tem a asa de andorinha, porque a arcada superior é mais larga do que a arcada inferior. Então qualquer alteração que eu tenha nessa formação eu vou ter uma alteração nesses dentes, por menor que seja, já existe uma alteração natural. A arcada superior é mais larga do que a inferior, o cavalo faz movimentação de triturar o alimento, então já existe um desgaste natural e eu vou naturalmente ter formação de pontas. Qualquer alteração que ele tenha nessa perfeição dele vai fazer com que eu tenha essas formações/alterações de uma forma de crescimento mais rápida.
A asa de andorinha vai se formar normalmente por volta dos 7 anos e por volta dos 14 anos, isso é influenciado pelo tipo de alimento que ele come. Ex. se ele fica solto no pasto e só come capim, essa asa de andorinha ou