ok clin equi 14.02.11
10 pág.

ok clin equi 14.02.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária de Equídeos18 materiais221 seguidores
Pré-visualização5 páginas
desgaste vai ser mais lento do que se ele for um cavalo de cocheira e come ração, alimentos mais duros que tem desgaste maior. Isso pode influenciar na identificação da idade, porque cavalos de cocheira vão aparentar pouco mais velhos pela leitura dos dentes que cavalos de campo.

É preciso fazer um exame externo primeiro, avaliar as articulações, e avaliar ele como um todo e a frente abre e vê os incisivos. Coloca o abre-boca, põe coloca a mão dentro e verifica odor, se tem algum odor diferente.
Anormalidades mais comuns antes dos 5 anos
- retração de capa dentaria: ou seja, o dente de leite não saiu, e o de trás fica tentando sair.
- incisivo sem espaço
- ma oclusão
- falta da erição desses dentes
- Incapacidade de romper e vir o dente
- processo inflamatório, lesões dos adultos.
- vai desgastando as ondas de oclusão e ai eu tenho um crescimento maior e um crescimento menor.
- fraturas, que predispõe a contaminações
- acúmulos de alimentos fazem com que tenha odor desagradável
- ulceras

A qualidade de vida do cavalo melhora muito quando agente trata dessa condição dentária.
Um dos fatores limitantes muitas vezes está relacionado ao preço.

Eu como clínica tenho que mostrar pro proprietário de uma boa condição dentária, de uma boa condição oral pra saúde do animal. Se eu tenho um atleta, esse atleta precisa se alimentar bem, precisa ter a mastigação boa e perfeita pra que ela consiga aproveitar todo o conteúdo daquele alimento que ele está recebendo.

	Dentro das condições dentárias:
- prognatismo superior e prognatismo inferior.
- dente de lobo
- epúlides
- pontas dentárias
- caries (não tão muito comuns no eqüino)
- tártaro: agente vai encontrar tártaro principalmente nos caninos, ou nos cantos das pinças, no 3º incisivo. Porque: essas concreções tendem a se acumular nessa região por causa da saída do orifício das glândulas salivares. O cavalo de campo normalmente não faz cálculo, mas os cavalos encocheirados que comem muita ração, concentrado, têm tendência maior a fazer esses tártaros, principalmente nos caninos.
	Dificilmente vc vai ver tártaro em cima, a não ser os cavalos que comem, que já tem um aprofundamento, velhos, com sujeira, vc acaba tendo uma concreção ali pq vai se acumulando ao longo do tempo. Mas em geral, vão aparecer no canino e no 3º incisivo.

Prognatismo
	Posso ter superior e chamar esse bicho de papagaio. Essas condições são limitantes, não registra cavalo com prognatismo. Quanto maior o grau de prognatismo, pior pra ele, maior vai ser a dificuldade de apreensão. Ai coloca um aparelho ortodôntico, tem cirurgias.
	Prognatismo inferior, vamos chamar ele de boca de macaco. Vulgarmente é chamado de boca de macaco.
O prognata não pode ser registrado. Interfere na capacidade de apreensão/ingestão de alimento. Quanto mais grave, menos registrado ele vai ser. Alguns tem como corrigir e outros não.

Dente do lobo
	É o primeiro pré molar, é um vestígio na maioria das vezes. Ele não está fixado à maxila (no osso). Ele pode ser mais comum na arcada dentária superior e bem menos comum inferior, então dificilmente agente vai encontrar inferior na mandíbula. Às vezes, dependendo da evolução vc pode ter quase que um orifício dentário, não chega a ser um orifício, por isso que quando vc faz a extração é tranqüilo de fazer.
	Maior problema dele: quando vc coloca o bridão, ou o freio, pega justamente em cima dele, e ele dá como se fossem choquinhos, incomoda pq vc tem uma inervação passando ali, muitas vezes isso dá a impressão que o cavalo está claudicando, porque dá aquele choque e quando dá o choque ele levanta a cabeça, e ai muitas vezes o povo acha que o cavalo está claudicando, e na verdade não está, é o dente do lobo que está ali incomodando.
	Na maioria das vezes, quanto mais evoluído for, maior a probabilidade de ter espaço no osso, e quando tem, ele tem um pequeno espaço ou está fracamente ligado a maxila. Na maioria das vezes não está ligado a maxila.
	O que eu tenho que fazer: a retirada, a extração, que é tranqüilo de fazer, mas eu tenho que sedar o cavalo, pode deitar ele ou fazer com ele em pé com um abre boca.
Posso utilizar um buticao ou uma cureta.

Epúlide
	É uma hiperplasia benigna, geralmente associada a um tártaro. Existem tártaros que chegam a crescer até mais do que o dente, ai eu tenho essa reação que agente chama de epúlide. Tártaro é comum no canino e no canto do 3º incisivo e em dentes muito velhos.
	
Pontas dentárias ou arestas dentárias
	É extremamente importante. O desgaste normalmente vai acontecer, então normalmente faz parte de uma verificação pelo menos a cada 6 meses se existe a formação de ponta dentária. Por que: o cavalo tritura o alimento, posso ter o crescimento na face medial ou na face lateral do dente, dependendo do que está mais largo. Geralmente superior faz ponta na face lateral e inferior faz ponta na face medial. Geralmente as pontas se formam na arcada superior lateralmente e na arcada inferior medialmente. E ai as das arcadas superior ferem mais facilmente as bochechas. Na arcada inferior cortam mais a língua.
	O que causa: tipo de alimentação, quanto mais duro o alimento, mais rápido elas vão se formar. E a movimentação mesmo que normal da arcada dentária, mesmo normal ela vai acabar acontecendo, e qualquer alteração que eu tenha, isso vai acontecer mais rápido.
	Tratamento: com uma groga, agente desbasta, agente groga aquele excesso de dente. (é tipo uma lixa).

	Essas pontas podem ser responsáveis por: fraturas, podem ser responsáveis por processos inflamatórios que podem levar a aquela travagem ou aquele edema no palato (dependendo do grau de ulcera que agente tem, da localização), pois problemas na parte dorsal fazem com que eu possa ter um edema no palato, então dependendo da intensidade dessas pontas e da lesão que elas causam vc pode ter essa formação, porque: se eu tenho uma ponta, as vezes eu desestabilizo esse dente e pode quebrar, vou fazer uma fratura e desencadear um abscesso, um processo inflamatório e conseqüentemente um aumento do palato.
	As pontas começam como pontinhas e com o tempo vão crescendo. Posso ter formação pra fora quanto pra dentro, pelo desgaste natural.
Depois que acaba pode passar uma solução de clorexidine.

Doença periodontal
	É menos comum. Na maioria das vezes está relacionada a traumatismos. Ex: quebrou o dente, começa a infiltrar acumular sujeira e ai vc acaba tendo a doença periodontal
	Tratamento: lavar com clorexidine ou fazer a retirada desse dente.
	Temos um problema com a extração do dente. No exterior, eles chegam a fazer implantes no cavalo, por que: o dente vai desgastando, se ele não encontra o outro, o contralateral, ele vai descer direto. Então um cavalo que não tenha um dente pra que haja o desgaste natural, ele precisa ser desbastado constantemente. Então vai ter que desbastar para que eu mantenha essa mesa dentaria alinhada constantemente.

Cáries ou pupites
	Acabam gerando também essas doenças periodontais. Temos halitose (dente podre), serra o dente, gasta o dente, destrói o esmalte ai vc acaba tendo esse dente se transformando até ficar pretinho.
	Mais freqüente nos animais idosos, então aqueles que recebem ração ao longo da sua vida, ai ficou velho, muitas vezes ele tem esses problemas dentários. A tendência é acontecer.
Cavalo tem dor de dente: uns sentem e outros não sentem tanto. O limiar de dor é muito individual, alguns sentem, outros não sentem tanto.
	Infecções Peri - apicais: quadros afetam os alvéolos. Podemos ter quadros de sinusite associados a essas infecções dentárias.
Tratamento: ortodôntico ou até mesmo a extração. Se o dente estiver perdido, extrai. Se for um foco de infecção, é preferível extrair, para não deixar o foco de infecção ali. Retira, e desbasta o outro dente, desbastando de tempos em tempos.

Alveoloperiositite:
Que pode acontecer uma osteomielite e desencadear uma sinusite. Essa sinusite muitas vezes pode ser policistular, e geralmente associada a sinusite agente tem odor fétido, desde uma infecção bacteriana que não tenha nada a ver com