266_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

266_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006

Disciplina:Climatologia1.730 materiais28.675 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva

Versão digital 2 – Recife, 2006

252

te, será usada a notação P(p , T , Td) para caracterizar termodinamicamente um ponto da atmos-
fera, esteja o ar úmido ou saturado. O primeiro nível de uma sondagem P(p1 , T1 , Td1), corres-
ponde ao par de pontos inferior [p1 , T1 e p1 , Td1) e identifica as condições termodinâmicas obser-
vadas à superfície, no instante do lançamento da radiossonda.

20

0

-60

-80

-40-20

400

500

600

700

800

900

1000
1050

0,4 1 2 5 10 20

-20-40 0

20

TTd

Fig. VI.8 - Parte das curvas p, T e p, Td, representativas de uma sondagem, traçadas
sobre um diagrama skew-T, log p.

13.2 - Determinação gráfica da razão de mistura.

A razão de mistura (r) do ar, de qualquer nível N(p , T , Td) da atmosfera, corresponde ao
valor da linha de razão de mistura saturante que passa no ponto p, Td. Isto advém da própria defi-
nição de temperatura do ponto de orvalho, obtida isobaricamente, apenas por resfriamento (sem
alterar o conteúdo de umidade do ar). Daqui se depreende que a proximidade das curvas p, T e p,
Td será tanto maior quando mais úmida estiver a camada que se considere. No caso de haver
saturação, os pontos p, T e p, Td coincidem.

13.3 - Determinação gráfica da umidade relativa.

A determinação gráfica da umidade relativa (U%) para um dado nível P(p , T , Td) da at-
mosfera, é feita da seguinte maneira:

- partindo-se do ponto P(p, Td), segue-se a linha de igual razão de mistura saturante (que
representa a razão de mistura real à temperatura T), até atingir a isóbara de 1000 mb;