TRANSCRICAO_DE_CLINICA_DE_PEQUENOS_II_DO_DIA_23-02-2011
16 pág.

TRANSCRICAO_DE_CLINICA_DE_PEQUENOS_II_DO_DIA_23-02-2011

Disciplina:Clínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte15 materiais49 seguidores
Pré-visualização7 páginas
mais ver é isso aqui, convulsão e megaesôfago, mas ver dentro do quadro neurológico. Convulsão, vamos que ter o cuidado com as drogas que interferem na dosagem do hormônio tireoidiano, vamos ver que o Fenobarbital é uma delas, mas os animais que tem hipotireoidismo, você vai atender um animal com quadro convulsivo, convulsão já num intervalo curto, você precisa entrar com um fenobarbiltal e você vai precisar dosar o hormônio tireoidiano desse animal, então é uma situação meio complicada, mais quando você detectar, o que chama a atenção, são os animais que você está fazendo todo o tratamento direitinho no controle da convulsão, está tendo que cada vez de aumentar mais a dose do medicamento e o animal está sempre apresentando crise num intervalo cada vez menor, então você dosa o hormônio ele esta extremamente baixo, aí você repõe o hormônio tireoidiano, aí você vê que as convulsões começam a espaçar ou até cessar, não é comum, dos sinais neuromusculares eles não são freqüentes, mais podem acontecer, e dentre eles esta o megaesôfago. Megaesôfago, Quando é que a gente vai suspeitar num hipotireoidismo de um animal com megaesôfago? Qual vai ser o perfil do paciente? Animal velho, animal que nunca apresentou megaesôfago, não é aquele filhotinho, que quando passa da alimentação solida começa a regurgitar, é aquele animal que nunca apresentou megaesôfago que numa determinada idade começa a regurgitar, uma das coisas que você vai verifica é que se ele não apresenta hipotireoidismo.
Sinais cardiovasculares, o hormônio tireoidiano é muito importante para a função do miocárdio, para a contratibilidade, ele tem uma ação inotrópica positiva, que faz contração, acelera os batimentos cardíacos, então quando ele está deficiente, em alguns paciente, não são todos, você vai tem uma contratibilidade miocárdica reduzida, manifestada com uma bradicardia, às vezes difícil de ter, paciente com 70, 80, você agita o animal e ele continua, 80, 70 bpm, é uma coisa que você vai suspeitar. No eletrocardiograma, uma redução da onda do QRS, uma inversão da onda T e uma bradicardia sinusal, então às vezes quando eu suspeito do meu paciente, eu sempre solicito uma avaliação cardiológica para ter mais dado, se ele tiver essas alterações, fico mais segura na ora do resultado hormonal. Essas alterações cardíacas, neuromusculares elas são reversíveis com a reposição do hormônio, então isso é muito importante, se você está suspeitando, se você tem um animal com convulsão animal, com bradicardia, por hipotireoidismo e você repõe o hormônio e o animal não melhora é que seu diagnostico está errado, volta e faz tudo de novo. O fenobarbital vai interferir com a dosagem do hormônio tireoidiano, então qualquer animal que tome fenobarbital ele apresenta valores baixos do hormônio tireoidiano, independente dele ter ou não hipotireoidismo, então temos que ter cuidado.
Outros sintomas que aparecem, sintoma reprodutivo, isso é muito observado, até de uma forma precoce nos animais que são adquiridos para a reprodução, que quando entram na fase reprodutiva e o proprietário não consegue fertilizar, que a cadela emprenhe, ele vai procurar um veterinário para determinar o que esta acontecendo e o hipotireoidismo é uma coisa que ele tem que pensar, agora, hoje em dia, a maioria dos animais são castrados ou se não são, se ele não entra no cio, ou se cruza e não emprenha o proprietário fica feliz, então ele não trás isso como queixa principal na maioria das vezes, a gente tem que buscar os dados: nas fêmeas, como esta o cio, o cio vem com freqüência, de 6 em 6 meses, as vezes eu vejo, as vezes eu não vejo, pode ser por anestro persistente, já cruzou, emprenhou, cruzou e não emprenhou, pode ser problema dela ou do macho, essa infertilidade aqui é para os dois, Galactorreia, isso sim é um sinal reprodutivo com maior freqüência, como queixa principal ou que você detecta com mais freqüência na sua anamnese, é aquela cadela que apresenta secreção láctea direto o tempo inteiro e em grande quantidade, sem estar prenha, sem estar em amamentação. Isso acontece porque o TRH, vamos entender o eixo, se tenho diminuição da produção do hormônio tireoidiano, por uma Tireoidite Linfocitica, O que vai acontecer com o TRH e o TSH? Se tenho diminuição da produção do hormônio tireoidiano. Como eles vão estar? Quem é que estimula a produção ou inibe a produção do TSH e do TRH? T4 livre. Se eu não tenho a produção disso aqui, ou está baixa, o hipotálamo ou a hipófise entende que é para estimular, então na doença tireoidiana a gente sempre vai ter aumento do TRH e do TSH. Por que a prolactina aumenta? Porque o TRH também estimula a produção de Prolactina, TRH aumentado vai aumentar a produção de prolactina, que é produzida na hipófise, essa cadela vai ter galactorreia, isso sim é um sinal, isso vai chamar a atenção para o hipotireoidismo, nos machos, diminuição da fertilidade e da libido, fertilidade, macho cruza e não emprenha, no espermograma diminuição do numero de espermatozóide viáveis, e na libido, mas só é observado em animais que são levados para a reprodução, ou se o proprietário compra um macho e uma fêmea e no que não emprenha o proprietário acha ótimo, tem que buscar isso, não é uma situação normal.
Outros sinais em outros sintomas, aqui o que vai chamar mais atenção é o oftálmico com essa doença aqui, KCS – kerato Conjuntivite Seca, os animais com hipotireoidismo podem cursar com Kerato Conjuntivite Seca, apresentam pelo mesmo motivo que leva a destruição da glândula tireóide, leva a destruição da glândula lacrimal, que é um infliltrado linfocitário também, então não é a deficiência do hormônio, você repor o hormônio não vai melhorar a KCS, tem que tratar com lacrimo mimético. Tem sinal dermatológico, sinal oftálmico. Não é deficiência do hormônio e a doença auto imune que esta acometendo a glândula tireóide, também esta acometendo a glândula lacrimal principal. Lipidose corneal, não é muito comum, é o deposito lipídico na córnea. E no gastrointestinal pode ter uma causa do SCBI – Super Crescimento Bacteriano Intestinal, é um diagnostico etiológico que a gente vai buscar. Vocês viram que não há nada especifico no Hipotireoidismo, e dependendo da literatura vocês vão encontrar muito mais sintomas, que não são tão marcantes, mas vocês podem encontrar também.
Importante: O Hipotireoidismo é um diagnostico clinico, que se complementa com o diagnostico laboratorial, então não adianta você ter só a dosagem do hormônio tireoidiano, se você não tem as alterações clinicas que possam ser compatíveis, você precisa ter certeza, clinico e alguma coisa laboratorial, antes do teste hormonal especifico, nenhum teste hormonal é 100% preciso. Medicamentos como glicocorticóides e fenobarbital vão interferir na produção do hormônio tireoidiano, então, se está fazendo uso de glicocorticóide, vou suspender, esperar 30 dias para dosar o hormônio, se está fazendo uso de fenobarbital eu não posso suspender, eu vou dosar, geralmente quando tem hipotireoidismo, está muito, muito abaixo e tem essa sintomatologia, mesmo com o fenobarbital, eu vou aumentando, entrando com o brometo junto a convulsão não para, aí você entra com o hormônio e a convulsão regulariza. Agora esse paciente que está convulsionado, que pode ser por hipotireoidismo ele vai começar manifestar alguns sinais também de hipotireoidismo, sinais dermatológicos, tinha uma historia antes das convulsões do animal ser mais letárgico, tem que buscar mais coisa no histórico do paciente.
Outra coisa que também interfere são as doenças não tireoidianas, vocês vão encontrar em algumas literaturas esse nome aqui, Eutiroideu Doente, que é um animal que não tem doença tireoidiano, ele tem outra doença, geralmente uma outra doença crônica, uma insuficiência renal, uma insuficiência cardíaca, uma nefrite, uma doença dermatológica crônica, e essa doença crônica ela reduz a produção do hormônio tireoidiano, ele não tem doença tireoidiano, o que acontece quando a gente está doente, não tem mais fome, só quer dormir,só quer ficar parado, o nosso