43 pág.

a ADM 5 - Noções de RH I

Disciplina:Administração de Recursos Humanos I2.958 materiais79.786 seguidores
Pré-visualização3 páginas
de RH
Missão da Organização

Objetivos Organizacionais

Planejamento de RH

 Expansão Ajustamento Mudança Enxugamento
 novas adequação inovação redução
 admissões ao mercado criatividade de pessoal

12
12
FUNÇÕES DO RH
13
SISTEMA DE RH: Subsitemas
Captação ou provisão (Planejamento de RH recrutamento e seleção)‏
Aplicação (Programa de integração dos novos membros na organização, Desenho de cargo, descrição e análise de cargos, avaliação de desempenho)‏
 Manutenção: (Remuneração, benefícios, higiene e segurança no trabalho, relações sindicais)‏
Desenvolvimento (T&D e DO)
Monitoramento (Banco de dados e auditoria)‏

14
14
OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO DE RH
15
Interesses pessoais versus
 Interesses organizacionais
 Quase sempre os interesses organizacionais e os interesses pessoais são antagônicos entre si:

São objetivos organizacionais: a redução de custos, maior produtividade, para uma maior participação no mercado, maior dedicação por parte do funcionário, etc.
São objetivos pessoais: melhor remuneração, segurança no emprego, melhores benefícios sociais, melhor qualidade de vida, etc
16
16
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
Uma das formas de minimizar os conflitos (pessoais x organização) é a de motivar os funcionários.

Segundo as modernas TEORIAS DA MOTIVAÇÃO, o que satisfaz e motiva os funcionários é a satisfação de suas necessidades internas.
17
17
CICLO MOTIVACIONAL
Começa com uma necessidade: É uma força dinâmica e persistente que provoca o comportamento
ETAPAS DO CICLO MOTIVACIONAL
necessidade → tensão → ação → satisfação → equilíbrio interno
A satisfação das necessidades é temporal e passageira, ou seja, a motivação humana é cíclica
18
18
Teorias motivacionais de:

Maslow, Clayton Alderfe, Skinner, Vroom, Herzberg:

 A diferença entre necessidade e motivação,

Teoria ERC

Teoria do Reforço Comportamental

Teoria da Expectância

Teoria dos Dois Fatores

19
19
Tipos de Necessidades
O desejo dos indivíduos de renovar e reciclar seu potencial; tornar-se cada vez mais o que cada um seria capaz de ser.
O sentimento das pessoas de sentirem-se valorizadas pelos que as rodeiam; sua auto-estima; o desejo de sentir-se importante, competente e valorizado.
A necessidade endógena de amar e ser amado, ter amizade, vínculos familiares, intimidade etc.
A contrapartida da insegurança natural das pessoas; estabilidade, proteção, livre do perigo; um abrigo; uma estrutura, uma ordem etc.
São necessidades físicas como; sexo, bebida, comida sono etc.
Primárias
Secundárias
 Os Fatores Motivadores, segundo Maslow
Estima

Social

Fisiológicas

Auto
Realização
Segurança
20
20
TEORIA ERC
Teórico: Clayton Alderfe
Concorda que a motivação do trabalhador pode ser medida seguindo uma hierarquia de necessidades, porém diferente de Maslow via que as pessoas subiam e desciam dentro da hierarquia e que existia apenas três fatores essenciais para a motivação:
Necessidade existencial: sobrevivência
Necessidade de relacionamento: relacionamentos interpessoais, sociabilidade.
Necessidade de crescimento: criação, sugestões, participação,
21
22
MECANISMOS OBSERVADOS
NA TEORIA ERC

 UMA NECESSIDADE INFERIOR PODE SER ATIVADA QUANDO UMA NECESSIDADE SUPERIOR NÃO PODE SER SATISFEITA.

MAIS DE UMA NECESSIDADE PODE SER FOCALIZADA DE UMA ÚNICA VEZ.
Teoria do reforço
Comportamental de Skinner
 O trabalhador que experimenta o sucesso após assumir uma atitude tende a repetir aquela atitude, na espera de um novo sucesso.

Um comportamento recompensado tende a ser repetido
23
23
O Modelo de Expectância de V. Vroom

 Segundo Vroom, o comportamento humano é sempre orientado para resultados: as pessoas fazem coisas esperando sempre outras em troca.

O esforço produz o desempenho e este, o resultado, ao qual as pessoas atribuem valores.

A motivação estaria assim representada: motivação = expectativa (de que o esforço produz o resultado) × valor atribuído ao resultado.
24
24
Teoria dos Dois Fatores de Herzberg
O desempenho das pessoas é afetado pelas condições de trabalho e pelo próprio trabalho.
Fatores higiênicos (ambiente físico, remuneração, e políticas, etc)‏
 (Refere-se as condições que rodeiam a pessoa que trabalha)‏
Fatores motivacionais (oportunidade de aprendizagem, possibilidade de realização, promoção, reconhecimento, etc)‏
 (Refere-se ao cargo em si)‏
25
25
CLIMA ORGANIZACIONAL
É A QUALIDADE OU PROPRIEDADE DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL QUE: É PERCEBIDA OU EXPERIMENTADA PELOS MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO E INFLUENCIA O SEU COMPORTAMENTO.
Favorável: proporciona satisfação das necessidades pessoais
Desfavorável: proporciona frustração das necessidades pessoais
26
26
Ações que o RH pode adotar para melhorar o Clima Organizacional
Implantar um processo participativo que possibilite aos empregados exporem o que sentem e proporem soluções para melhorar o clima organizacional

Negociação entre os subordinados e a direção da organização buscando conciliar as metas organizacionais com os interesses individuais;
27
27
28
TEORIAS DE LIDERANÇA

TEORIA DOS TRAÇOS: tradicional, liderança inata, herdada, nasce para ser líder. Consiste na avaliação e selecção de líderes com base nas suas características físicas, mentais, sociais e psicológicas.
TEORIA COMPORTAMENTAL: moderna, pode ser aprendida. Os comportamentos podem ser ensinados e desenvolvidos.
TEORIA LÍDER CAMINHO-META: orientada para tarefa, concentra atenção no desempenho do funcionário, cobrança, avaliação de desempenho, definição clara das responsabilidades, comportamento diretivo.
29
29
Na aula passada dentro das teorias da motivação falamos da liderança situacional como motivadora, ou seja a ação do líder vai depender do nível desenvolvimento dos membros da equipe, ou seja de acordo com as necessidades dos liderados, circunstância ou situação. Daí o nome liderança situacional. Falamos dos quatro estilos (autocratico, democrático, paternalista e o liberal. Dentro da Administração de RH é importante tratarmos de outras teorias de liderança, também cobrados pelo CESPE.
A teoria dos traços: É um teoria tradicional. Que refere a liderança como inata, herdada,ou seja, o líder ele nasce para ser lider. Teoria dos grandes homens, nascem para ser líder. Não aceita a teoria de que a liderança pode ser aprendida, como trata a teoria comportamental.
A teoria do líder caminho-meta: define os objetivos e o melhor caminho para atingí-lo – cpto diretivo.
O líder transformacional: visionário – muda o cpto do liderado através da sua visão, é empreendedor, carismático, atenção personalizada com os liderados, já o líder transacional – mais voltado para os resultaosaplica a a teoria comportamental, voltado para tarefa, fazer, uliliza as recompensas para motivar as pessoas.
29
TEORIA DO LÍDER TRANSFORMACIONAL: Visionário muda o comportamento do liderado através da sua visão, é empreendedor, carismático, atenção personalizada ao funcionário.

TEORIA DO LÍDER TRANSACIONAL voltado mais para o resultado, voltado para a tarefa, utiliza a recompensa para motivar pessoas.
30
30
Na aula passada dentro das teorias da motivação falamos da liderança situacional como motivadora, ou seja a ação do líder vai depender do nível desenvolvimento dos membros da equipe, ou seja de acordo com as necessidades dos liderados, circunstância ou situação. Daí o nome liderança situacional. Falamos dos quatro estilos (autocratico, democrático, paternalista e o liberal. Dentro da Administração de RH é importante tratarmos de outras teorias de liderança, também cobrados pelo CESPE.
A teoria dos traços: É um teoria tradicional. Que refere a liderança como inata, herdada,ou seja, o líder ele nasce para ser lider. Teoria dos grandes homens, nascem para ser líder. Não aceita a teoria de que a liderança pode ser aprendida, como trata a teoria comportamental.
A teoria do líder caminho-meta: define os objetivos e o melhor caminho para atingí-lo – cpto diretivo.
O líder transformacional: visionário – muda o cpto