ok clin peq 04.05.11
25 pág.

ok clin peq 04.05.11

Disciplina:Clínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte15 materiais49 seguidores
Pré-visualização7 páginas
clinicamente que ele tem uma desordem da queratinização. E ai clinicamente eu vou classificar, se essa desordem é uma desordem seca, oleosa ou se é uma dermatite seborréica.

Desordem seca
	É quando a escama é branquinha, ela está solta na pelagem do animal e ela cai com muita facilidade na mesa. Isso é uma dermatite seca.

Desordem oleosa
	Parece que passaram manteiga na pele do cachorro. Vc não tem descamação, vc tem aumento da oleosidade. O que cursa sempre junto com a desordem oleosa: o odor butílico, o odor de ranço.

Na verdade agente trabalha mais com as classificações intermediárias, agente pode ter:
Uma desordem da queratinização primariamente seca. Mas na maioria das vezes eu vou ter uma desordem da queratinização seca com um pequeno grau de oleosidade. Como eu sei: o pelo fica mais aglutinado, tem odor.

Eu posso ter desordem da queratinizaçao descamativa com oleosidade. A descamação fica amarela e aderida.

Posso ter somente uma descamação, por uma desordem da queratinização seca.

Os animais podem ter foliculite com desordem da queratinização. É mais um aspecto que vai estar presente que vai ser importante na terapêutica, vc tem que também entrar com medicação pra controlar.

Dermatite seborréica
	É quando associado a esse quadro, vc vai ter a proliferação microbiana na camada superficial. Essa dermatite seborréica pode ser por malassezia na maioria das vezes ou por bactérias.
	Pra ter dermatite seborreica tem que ter oleosidade.
	Geralmente a região fica eritrematosa alem de descamar. É o aspecto da dermatite por malassézia, é uma dermatite seborreica.

Classificação etiológica
	Toda vez que agente atender um animal com desordem da queratinização, eu vou botar sempre em mente: tem uma causa, 80% das desordens da queratinização são secundarias. Posso ter:
- Alimentar, secundária a um manejo principalmente alimentar, animais que tem uma alimentação deficiente de Omega 3 e 6 eles vão descamar.
- Causas parasitárias: tanto a sarna demodecica quanto a sarna sarcoptica pode ter também apresentação de desordem da queratinização.
- Fúngica: os dermatófitos são altamente descamativos.
- Endócrinas: tanto hipotireoidismo quanto hiperadreno cursam com a desordem da queratinização. A diferença é que o hipotireoidismo tende a ser uma desordem da queratinização mais oleosa e o hiperadreno mais seco.
- Doenças auto-imunes: são doenças bastantes descamativas.

Ex. gato: é raro gato com desordem da queratinização, o gato geralmente descama por conta da doença sistêmica. Não adianta dar o banho com o melhor xampu que só ia estressar mais o gato e não ia resolver o problema dele.

Vamos classificar clinicamente:
	Peguei o animal, olhei uma desordem da queratinização seca, ou agente usa o termo “seborréia seca”, as escamas estão soltas e não tem oleosidade.

	Atopia: o animal é alérgico. Então pelo processo inflamatório crônico da pele ela descama.

	Dermatite seborréica: podemos ver eritrema, e a escama não é da mesma cor, ela é mais amarelada, e se ela é mais amarelada é porque eu tenho um certo grau de oleosidade. Agente tem que saber classificar visualmente essa descamação e essa oleosidade porque é essa classificação que vai direcionar a terapêutica.

	Odor butílico, aumento da oleosidade, pele eritrematosa = dermatite seborréica. Pode ser uma malasseziase, porque é na região de prega.

Ex. animal com sarna demodécica localizada, anômala, era só na região de dorso, onde o único processo que ela demonstrava clinicamente era a formação de comedos, os comedos são os cravos. O cravo é uma disfunção seborréica, vc tem o acumulo de sebo na saída do folículo piloso.

Ex. sarna sarcoptica: apresentação em volta de orelha, apresentação descamativa no corpo todo, porque o sarcoptico vai fazendo essa alergia.

Tem animal que não apresenta foliculite nessas sarnas. Mas às vezes vc tem a lesão da doença bacteriana junto com a desordem seborréica, e ai vc tem que intervir terapeuticamente.

Apresentações primárias
Agora, existem as apresentações primárias, que são raras. Então ninguém vai pegar um animal num primeiro momento, classificar que ele tem uma desordem da queratinização e dizer que é primaria.
As desordens da queratinização primárias, tem padrão genético, tem padrão racial, tem raças que são mais acometidas. E por ser uma disfunção genética ela vai aparecer até o 2º ano de vida do animal, não vai aparecer no animal velho, porque ele nasceu com aquela disfunção.

O diagnóstico é histopatológico, não tem outra forma de fazer esse diagnostico.
Na verdade o que agente faz, agente vem por eliminação, descarta todas as causas secundárias, se não achou nenhuma ai agente vem pela historia suspeitando.

Algumas das desordens da queratinização primárias mais importantes:

- Seborréia idiopática primária: acomete principalmente os cães da raça spainel. Ex. Cocker spainel.
É uma disfunção seborréica descamativa com oleosidade que vc encontra principalmente na raça spainel. Essa raça é muito comum ter essa disfunção.

A dermatose é responsiva a vitamina A, clinicamente tem o mesmo aspecto, é o aspecto que acomete as mesmas raças spainels. Histologicamente são diferentes, e a terapêutica é diferente porque ela é responsiva a vitamina A, não é uma deficiência de vitamina A. Quando vc acrescenta vitamina A ela melhora, mas fazer com cuidado senão pode fazer a hipervitaminose A.

________ Sebácea: também é uma disfunção seborréica onde a glândula sebácea está envolvida, vc tem uma destruição auto-imune da glândula sebácea. É uma doença típica de akita, mas qualquer raça pode ter como, por exemplo, um poodle. A pele fica ressecada, ela complica com infecção secundária. O diagnostico é histopatológico, onde vc vai ter ausência das glândulas sebáceas porque elas vão sendo destruídas. A pele vai perdendo toda sua função porque ela não tem mais sebo, ela tende a inflamar, pois a barreira de proteção fica desfavorável, o pelo começa a cair. Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor.

Dermatose responsiva ao zinco: uma desordem da queratinização característica das raças nórdicas como Husky siberiano, amalute, samueda. A lesão se forma em junção muco-cutânea, são lesões crostosas em junção muco-cutânea, como peri labial, Peri ocular, Peri anal, Peri superficial . Vc faz o diagnostico histopatológico e vc identifica a doença e vc repõe o zinco e ele responde bem.

Hiperplasia da glândula da cauda: essa é a que agente vê com mais freqüência. No terço proximal da cauda dos machos, tanto gato quanto cão, existe uma quantidade maior de glândula sebácea, que é usado pra marcar território. Essas glândulas aumentam a sua função quando elas são estimuladas pela testosterona, então em alguns animais ou por alguma disfunção da testosterona ou por micro tumores testiculares essas glândulas passam a hipersecretar e vc passa a ter uma lesão localizada no terço superior da cauda, vc tem mais sebo ali, o pelo vai ficando mais oleoso, começa a cair e tem complicação de infecção secundária. Hoje em dia agente quase não vê mais em gato porque muitos dos gatos machos são castrados, mas tem visto muito em cães e quando vc faz ultrassom o cão tem tumor testicular.
Tratamento: castração.

	Acne felina: formação de comedos na região mentoniana do gato, porque aqui ele também tem um aumento de glândulas sebáceas pra marcar. Em alguns gatos por uma disfunção congênita eles fazem um acumulo maior de comedos nessa região.

Mais rara onde agente só pensa depois que agente descarta as secundárias.

Ex. Cocker spainel, vc pode pensar em desordem seborréias idiopáticas quanto a dermatose responsiva. Sempre complica com a malasseziase.

Desordens primárias da queratinização podem levar a malasseziase. Sempre acaba complicando porque vc tem uma oleosidade maior.

Descarta todas as causas, se não é causa endócrina, não é doença alérgica, vc biopsia, que ai vem o laudo.

Ex. gato com acne felina. Vemos um monte de cravos.

Tratamento
	Vc atendeu um animal com desordem da queratinização, independente da causa, mesmo que vc não saiba a causa num primeiro