ok clin peq 18.05.11
25 pág.

ok clin peq 18.05.11

Disciplina:Clínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte15 materiais49 seguidores
Pré-visualização7 páginas
cura. Na localizada é até uma tentativa boa, ao invés de dar o banho vc coloca a coleira de amitraz e pode ser que isso segure ou pode ser que não.

O que acontece:
Sintoma da intoxicação: animal fica extremamente prostrado, quase em estupor. Nessa situação vc tem que lavar imediatamente com água fria o produto que está sobre a pele e orientar a proprietária a levar ao veterinário.

Vc pode fazer o tratamento sintomático: administrar uma fluidoterapia pra aumentar a pressão do animal e o banho vc consegue reverter.

Antídoto: yohimbina. A atropina não é antídoto!

Se der reação ao amitraz, não colocar a coleira de amitraz pra controle!

Outros tratamentos (caso tenha reação ao amitraz):

Casos refratários:
Milbemicina 2mg/kg/dia 90 a 120 dias. (caro)
Invermectina: 0,4-0,6mg/kg diariamente por 90-120 dias. VO
Moxidectina: 0,5mg/kg/3d (efeitos colaterais)

A invermectina é a mais usada. 0,4-0,6mg diariamente por um período mínimo de 90 dias, podendo chegar até 120 dias.
Nem pensar em usar naqueles casos em que não pode usar a invermectina. Pros animais que não pode usar a invermectina, temos a opção de usar a moxidectina.

A moxidectina era moda há um tempo atrás, e os protocolos que encontram na literatura são os mais variáveis. Deve ser usado a cada 3 dias.

O problema da moxidectina é: Tem efeito colateral imediato independente da raça. O 1º efeito colateral é o gástrico, mas tem animais que vomitam, apresentam sialorréia e chegando até efeitos neurológicos (ataxia, estupor).

A milbemicina hj em dia não conseguimos mais usar pra tratar porque ela não tem mais no mercado só a milbemicina, só associado ao fenuron ou ao praziquantel. Então se um dia voltarem a fazer só essa composição sem associação é um fármaco muito segura.

Agente só faz o banho com amitraz depois que tratou a doença secundária, com lesões fechadas. Então se tem lesão de pioderma profundo agente não entra com amitraz, vamos esperar o pioderma melhorar.

Prurido:
Controlo o prurido da sarna demodécica com antibiótico

Se quiser fazer um anti-histamínico, mal não faz.
Mas não pode fazer corticóide de jeito nenhum!

Pulga e carrapato
Como parasitas eles não causam lesão, a lesão deles é muito branda. Vão ser problema quando o animal faz alergia, a DAPE. Carrapato ainda faz um pouco mais de alergia no local da picada.

Cães

- Pulga

- Carrapato (hipersensibilidade, hemocitozoários)

- Cheyletiellose (jovens, queratina, descamação dorso, “caspa andante”) passa o pente, ela cai na mesa e sai andando. É zoonose, pica humano também.

- Larva Ancylostoma sp (extremidades)

- Dirofilariose (nódulos ulcerados, cabeça, tronco)

- Pediculose

Cheyletiellose:
No Brasil ainda não detectou esse parasita. Ele é um ácaro, parece com o otodex, porém é um pouco maior, ele faz galeria na camada córnea e ele causa uma descamação. Quando ele descama, a casquinha que solta da pele gruda nas costas desse parasita. Por isso eles chamam de “caspa andante”.
O diagnóstico é: passa um pente, a caspa cai na mesa e ela começa a andar, por isso o nome de “caspa andante”.
	É zoonose, ele pica agente também. Mas no Brasil ainda não se encontrou.

Larva migrans
	O cão pode fazer igual ao ser humano. Vão ser lesões papulares nas patas.

Pediculose
	É o piolho e lêndea. O piolho do cão come o pelo.
	Diagnostico é visual: abriu e viu, o piolho anda na pele do animal.
	Geralmente o animal tem a pelagem feia, etc. é doença de cão filhote.
O tratamento com invermectina não funciona bem, o que vai funcionar são os sprays ou os banhos com deltametrina, fibronil spray, qualquer shampoo pra pulga e carrapato vai funcionar (fiprobil spray, etc.)
O remédio por via sistêmica não tem um bom efeito, só pros dermatófitos que vai ser mais freqüente pro gato.

Gato

- Pulga

- Cheyletiellose (descamação, dermatite miliar)

- Demodiciose (imunossupressão): contagiosa, pruriginosa e superficial. Diferente do cão!

- Lynxacarus radovski (dermatite miliar, descamação). Não é parasita, é um ácaro que fica no pelo. Lesão é branda, não causa prurida. No gato de pelagem escura fica cheio de pontinho branco, no gato de pelagem clara fica cheio de pontinho preto. O grande problema é a epidemiologia do ácaro não é muito conhecida. Então se vc pega um fipronil, etc. ele desaparece, mas daqui a pouco ele está cheio de novo. Na mesma gaiola uns podem ter e outros não, não se sabe o porquê. É difícil de controlar, não se sabe como é o contagio, como vem, se fica ou não no ambiente, etc.

 - Pediculose (prurido, anemia)

A pulga é o mesmo problema do cão.

Cheyletiellose: Também faz a mesma coisa que no cão

Sarna demodécica no gato:
	É totalmente diferente da sarna demodécica do cão.
	É o demodex gatoy e demodex enjoy
	É superficial, é contagiosa (de gato pra gato) e pruriginosa.
	Geralmente as lesões são na face.
	Rara de acontecer.

Lynxacarus radovski
	É um ácaro. As pessoas se confundem com piolho porque é um acaro de pêlo, ele fica no pêlo, ele fica pra cima e pra baixo no pelo, só que fica grudadinho no pêlo, tanto o ácaro quanto o ovo do ácaro.
	A lesão que ele causa é branda, uma leve descamação, não causa prurido.
	O aspecto é ruim. Porque se o gato tem a pelagem escura, esse ácaro tem 2 cores, a parte anterior dele é mais marrom e a posterior é branquinha, então no gato de pelagem escura, fica cheio de pontinho branco. No gato de pelagem clara fica cheio de pontinho preto.
	Vulgarmente chamado de ácaro sal com pimenta.
	A epidemiologia desse ácaro não é muito conhecida.
	Vc pega um fipronil, uma deltametrina, dá um banho nele e desaparece, em pouco tempo o gato está cheio de ácaro de novo. Outra coisa: numa mesma gaiola, um gato vive infestado e outros podem não ter. Temos que explicar ao proprietário que é difícil de controlar porque não se sabe bem como é o contágio, como ele vem, se fica ou não no ambiente, etc.
	Diagnostico: puxa o pelo, coloca no microscópio e no menor aumento vc já vê.

Pediculose
Lembrar que o piolho do gato, geralmente é mais hematófago e ai desencadeia anemia se tem muita infestação.
É muito contagioso, tem que tratar todos os gatos da casa (pois é espécie específica, não passa pra cão nem pra gente)

Prurido

Doenças alérgicas em cães e gatos

Não existe doença alérgica sem prurido, é o prurido é primário.
Na doença alérgica o prurido é primário. O animal se coca e depois faz a lesão.
Só que quando chegam pra gente muitas vezes chegam muito lesionados em função do que esse prurido faz.

Ver em aula de fármaco a terapêutica das doenças alérgicas

Prurido
	- Sensação de irritação cutânea que estimula o impulso de coçar
	- mediadores do prurido:
		- Citocinas (interleucina1)
		- Ecosanoides (leucotrienos e prostaglandinas)
		- Histamina
		- Peptídeos
		- Fator ativação plaquetária
		- Enzimas proteolíticas

As mesmas fibras (vias) que levam o estímulo da dor são as mesmas que levam o estimulo do prurido, que são as fibras A e C.
Tem autores que consideram o prurido como um nível de dor.

O que é importante saber: que os mediadores de prurido principalmente no cão e no gato, não é só histamina. No homem a histamina tem um papel muito mais significativo do que no cão e no gato. Por isso que os anti-histamínicos têm o efeito muito efêmero. A tendência dos autores é dizer que anti-histamínico não funciona pra cão e gato, mas agente ainda vê alguns animais que respondem, muito mais até pela ação lá no SNC de sedação do que pela ação em receptor periféricos.
	
No desencadeamento do prurido encontramos: Ecosanoides (leucotrienos e prostaglandinas), Histamina, Peptídeos, Fator ativação plaquetária, Enzimas proteolíticas. Vemos todos esses fatores também nos processos de inflamação, por isso que o prurido responde no cão muito melhor a AIE (quem dera que respondesse ao não esteroidal) em função dessa característica.

Mediadores do prurido são liberados, vão, estimulam os receptores neurológicos que estão na derme, esses receptores levam o estimulo até o córtex e ai vc tem a resposta do prurido.

Lembrando que a resposta do prurido pode vir em