Resumo G1 de Jornalismo
6 pág.

Resumo G1 de Jornalismo

Disciplina:Introducao ao Jornalismo154 materiais27.206 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Jornalismo G1

ELEMENTOS DO JORNALISMO
Idéia central: O que é o jornalismo? Qual o papel dele na sociedade? Porque eles está mudando ao decorrer do tempo?

Internet answer: "the central purpose of journalism is to provide citizens with accurate and reliable information they need to function in a free society."
The journalist's role is to inform the public about the issues so people can make the right decisions for their lives. Without this process, democracy will not survive.

Authors: Bill Kovach is currently chairman of the Committee of Concerned Journalists. Tom Rosenstiel is currently director of the Project for Excellence in Journalism.

Prefácio brasileiro

Fernando Rodrigues= jornalista da Folha de SP que denunciou diversos escândalos políticos

Idéia central: destaca mais a necessidade de jornais serem independentes do que neutros.

“O tema é relevante. Concentração de jornais, revistas, TV e rádio em grandes grupos econômicos, verdadeiros oligopólios.”

Em vez de monitorar empresas grandes, a imprnsa vira uma ferramenta delas.

Oligopólio=Forma de competição que se caracteriza pela existência de um número muito reduzido de vendedores, que, por isso, podem prever com bastante exatidão, cada qual por si, os efeitos das alterações feitas por um deles no preço ou na quantidade da oferta.
Corporações que englobam entreterimento, tecnologia e comunicação
Exemplos: AOL comprou a Time Warner, Disney a ABC News, GE (não tem mídia) comprou a NBC news.

O mundo das informações se tornou o maior negócio

E o maior negócio para quem vê jornalismo como investimento é lucrar mais, custe o que custar.

Livro foi escrito depois de 21 fóruns, depoimentos de 300 jornalistas
Não é a opinião só de Kovach ou Rosentiel, mas sim da maioria da jornalistas!

Desde o século 18= Revolução Francesa e Industrial temos esse modelo de imprensa. Porém, o livro diz que “pela primeira vez na nossa história”, as notícias estão sendo dominadas pelas grandes empresas/ instituições.
Passo crítico: não é a neutralidade, mas independência.

Neutralidade é subjetiva, abstrata. Indepedência é palpável, concreta.

Não há estudos sobre a interferência de anunciantes e grandes grupos econômicos na mídia brasileira

É necessário porque é um “fato oculto” e quando a maioria descobre, ela passa a ver as notícias de outras forma e os esquemas que passavam despercebidos agora são notados.

IMPRENSA INDEPENDENTE!

Prefácio
Todos querem notícias rápidas e com exatidão= natureza humana (impuslo humano básico)
“Precisamos de notícias para viver, para nos proteger, ligarmos uns aos outros, ver quem é amigo/inimigo. O jornalismo é simplesmente o sistema criado pela sociedade para fornecer essas notícias.”

Ele tem sentido na medida em que acrescenta informações capazes de fazer as pessoas mobilizarem-se em função do bem comum e da vida em sociedade.

LER OBRIGAÇÕES DO JORNALISMO pg 22

Capítulo 1
"As pessoas precisam de informação por causa de um instinto básico do ser humano, que chamamos de Instinto de Percepção. Elas precisam saber o que está acontecendo do outro lado do país e do mundo (...) O conhecimento do desconhecido lhes dá segurança, permite-lhes planejar e administrar suas próprias vidas". (pg 35)

Exemplo: A escolha do tema para a primeira página comprova a tese defendida por Bill Kovach e Tom Rosentiel em Os elementos do Jornalismo de que ao indivíduos precisam de informação devido a um instinto básico que os autores denominam “Instinto de Percepção”. Mesmo antes de sua estréia, as pessoas buscavam informações sobre o longa metragem que foi tema de inúmeras conversas, de bate-papos descontraídos a debates acadêmicos.

O conhecimento do desconhecido= segurança, planejamento e administração das próprias vidas.

livre iniciativa, liberdade de imprensa e democracia= famoso tripé

dependem uma das outras!

Há diferentes versões da verdade
Informação está muito mais acessível= Informação cria democracia! (?)
Para suprimir liberdade= suprimir IMPRENSA e não CAPITALISMO
Muitas vezes o capitalismo é ligado à democracia; porém nesse caso o capitalismo não tem a ver porque a restrição não é econômica, e sim social e política. Por isso, o capitalismo não influi. Governo não quer acabar com liberdade financeira e sim a liberdade sócio-política. Democracia é um sistema político (???) de votação?
Jornalistas não querem sua profissão definada... não queriam um registro especial da categoria como advogados etc. têm para não se sentirem limitados.
Governos já usaram mídia com ferramenta para unir seu povo. (4º poder!)
Mudança com tecnologia= se NY Times decide que não vai publicar uma notícia, com certeza inúmeros sites na internet irão.
O novo jornalismo não decide mais o que o público deve saber.
Novo papel= ajudar na interpretação e análise dos fatos
Teoria da Participação Pública= entendimento de como os cidadãos se comportam
Formato de todas páginas como se fosse da página inicial (página diversificada)
Pessoas interagem com as notícias e não há ninguém que tem interesse em TUDO.
Porém, todo mundo está interessado em alguma coisa e todo mundo é especialista em alguma coisa.
Públicos: envolvido, interessado e desinteressado

Capítulo 2

Verdade/mentira= propaganda folha de SP de Hitler. Mostrando somente fatos verdadeiros, mas ocultando os fatos ruins= quase como se estivessem mentindo.
Distorção da realidade para favorecer lados
A primeira obrigação do jornalismo é com a verdade.

Notícia não é sinônimo de verdade!
Notícias sinalizam um fato
Verdade= trazer à luz fatos ocultos e ter precisão nos fatos apresentados
A verdade, parece, é muito complicada para ser procurada. Ou talvez nem mesmo exista, considerando que somos todos indivíduos subjetivos.

Necessidade de uma busca sem interesses pela vrai= INDEPENDENCIA!
Jornalistas variam de opinião= alguns acreditam que devem dar ao leitor o maior número de fatos e fazer que ele tire suas conclusões/ outros acreditam que devem apresentar fatos junto com análises e opinões do veículo

Porém todos sabem que trabalhar apenas com datas e nomes NÃO é o suficiente!

O contexto é acrescentado em cada nova matéria
Dizem que veracidade pode ser descrita por imparcialidade e equilibro
Não somos imparciais e o equilíbro algumas vezes é injusto (globalwarm)
Ceticismo
Tempo que pessoas gastam com notícias não aumenta junto com uma maior disponibilidade delas
Não se pode opinar sobre evento antes de apurar BEM o fatos

Capítulo 3

Estímulo/ pressão que não deveria existir= bônus do empregados de um jornal depende muito do LUCRO do jornal
A primeira lealdade do jornalismo é com os cidadãos
Independência jornalística
NICK CLOONEY= “trabalha para o povo não para o dono!” polêmico
Se discute muito sobre liberdade de imprensa porque querem publicar de tudo, para não ter restrições e poder atingir o maior número de pessoas possíveis. Porém, se esquecem da responsabilidade. Liberdade de expressão é essencial, claro, mas não podemos esquecer do caráter social das notícias.
Depois de Vietnam e Watergate= jornalismo virou mais subjetivo e crítico
Isolamento= profissionalização nos EUA= jornal organizado em cadeias
Jornalistas começavam por matérias “bobas” até economia= não se especializavam e se envolviam em um segmento
“photo op” = fotos de empresários em asilos etc.
Pior acusação para jornalista= não é inexatidão nem injustiça... credulidade (afirmar sem reflexão... ingenuidade)
Pensamento egoísta= ignorar certas comunidades porque não trazem lucro
Tecnologia= cria novas mídias, mas também aprimora antigas e detecta melhor audiência e público
Gerência por Objetivos= ligação entre redação e administração
Acaba com a lealdade
Triángulo= veículo, anunciante e cidadão
Anunciante não tem preferência por um veículo em especial, mas sim aquele que trouxer os melhores resultados no momento

Cidadão pode ter uma preferência por certo jornal

Jornal deveria pensar no cidadão mas a pressão financeira faz ele se concentrar mais no anunciante

Parede= informação e setor comercial não pode existir= causa
Gabriela Silva fez um comentário
  • Porque tenho que acessar o aplicativo?!
    0 aprovações
    Carregar mais