clin peq 23.02.1'1
6 pág.

clin peq 23.02.1'1


DisciplinaClínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte14 materiais51 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Modulo endocrinologia
Hipotireoidismo
Hipertireoidismo
Hiperadrenocorticismo
Hipoadrenocorticismo
Diabete mellitus 
Bibliografia
Livros de medicina interna. Ex. Nelson e couto, Richard e shering, roca (endocrinologia canina e felina, terceira edição 2004), etc.
Hipotireoidismo
As doenças endócrinas vão se manifestar por 2 siuacoes básicas diferentes
- hipersecreção do hormônio, 
- hiposecrecao do hormônio
As doenças vão se manifestar ou porque o hormônio está 
Grande parte dos hormônios não tem um alvo especifico dentro do organismo, então muitas vezes as doenças endócrinas vão ser multisistêmicos, porque todos os organismos são afetados, porque elas atuam dentro da célula e dispersa por todo organismo.
O hormônio tem função de ativar algum ....
Cortisol: mecanismo de gliconeogenese
Anatomia
Histologia 
Fisiologia
Gl tireóide no cão e no gato é diferente do ser humano, é uma única estrutura com 2 lobulos, como se fosse uma borboleta, já no cão e no gato são estruturas
Fisiologicamente elas não são palpáveis, vão ser palpáveis em algumas situações como no hipertireoidismo felino, 
Na rotina clinica não é possivel a palpação.
Na região aderida a gl tireiode temos a gl paratireóide.
O tratamento do hiper felino é por cirurgia, o que compromete a gl paratireóide.
Hipo é doença clássica do cão
Hiper \u201c \u201c \u201c do gato
A doença pode acometer as duas espécies. Os sinais clínicos seriam os mesmos. Ex. um gato que tem hipo vai apresentar os mesmos sinais do cão com hipo.
Histologia: temos vários folículos formados por células cubóides epiteliais e dentro uma substancia coloidal onde está a tireoglobulina junto a uma molécula de iodo vai fazer a formação dos hormônios. 
Fisiologia
Pra entender o diagnostico temos que entender como o hormônio é formado. Estimulação ou supressão da glândula.
Doenças hiposecretoras são os testes mais específicos são de estimulação e vice versa.
Hormônios produzidos pela glândula tireóide: T3 e T4
T3: triiodotironina
T4: tiroxina
A forma ativa é a T3 e a forma inativa é a T4.
Isso é lançado na circulação uma quantidade menor de t3 e uma maior de t4. O que entra na célula que vão chegar na mitocôndria é a t3, mas no pulmão , fígado, vai ser lançado a forma inativa na circulação como uma forma de reserva.
O hormônio tireoidiano tem uma função de ativação do metabolismo celular. Principalmente produção de energia. 
Como esses hormônios circulam no organismo: a maior parte dos hormônios que está circulando vão estar carreadas pelas proteínas principalmente pela albumina, e uma pequena parcela vai estar livre, que é o T4 livre. É uma pequena parcela produzida pela glândula tireóide que 
Todo hormônio para ser produzido por uma glândula tem que ..... a maioria dos hormônios precursores são produzidos pela hipófise. 
O hormônio tireoidiano tem como precursor o TSH, que ... aumenta o metabolismo.
Como o hormônio para de ser produzido: mecanismo de feedback negativo, ou seja, quando a hipófise e o hipotálamo percebem que tem um nível adequado de hormônio tireoidiano circulante, eles diminuem os precursores.
TRH: hormônio que vai permitir a liberação do TSH que vai estimular a tireóide.
A molécula que faz esse feedback negativo é o T4 livre. Qualquer deficiência na produção desse T4 ele é o primeiro a sentir, vc começa a ter interferência nesse eixo.
Funções dos 
Ativação do metabolismo do organismo inteiro, principalmente produção protéica, produção de energia, produção de calor. (função do organismo que não precisa de PTN: transcriptase reserva, vai ajudar na transcrição protéica). Age em todas as células, em todos os sistemas.
O que vem a ser o hipo: diminuição da produção do hormônio tireoidiano, de todas as frações (T3, T4 e T4 livre). Se eu diminuo a producao do hormônio tireoidiano eu tenho uma diminuição do metabolismo, o principal sistema que vai ser afetado por essa diminuição: todos, alguns sistemas manifestam os sinais clínicos primeiros, outros vão afetar mais tardiamente.
O organismo vai pensar pra dividir o pouco: vai preservar pros órgãos mais nobres, e vão diminuir a chegada para órgãos menos nobres.
Por isso que os sinais mais vezes marcantes é a ... dermatológico, mas não é ... dermatológico
O que realmente aparece primeiro no animal são os sinais de redução de metabolismo.
Essa diminuição da produção do hormônio tireoidiano pode ser:
- na tireiode: primário ou 
- hipófise
- hipotálamo
Hipófise e hipotálamo são menos comuns. O mais comum é no tecido tireoidiano
Etiologias
- primário: que acomete a gl tireóide. A principal causa é a tireoidite linfocitica, que vamos encontrar com mais frrequencia no cão.
A literatura refere que 75% dos cães que apresentam ... é por 
. Infiltrado linfocitoc, macrófagos e plasmocito: destruição total da tireóide (meses/anos) é de uma forma lenta e progressiva
. sinais clínicos: só vão começar a se manifestar quando 75% desta glândula estiver destruída. Cada organismo vai responder de um jeito.
O que leva a tireoidite linfocitica ainda não se sabe, se classifica como uma doença auto-imune, quando o organismo começa a produzir Ac contra um determinado tecido próprio dele. No caso aqui, ele começa a produzir ac contra a gl tireóide.
Distúrbios da hipófise
(hipo secundário)
O tec tireoidiano está normal, o prob é na hipófise, então não está produzindo TSH. O que é comum é .... aumento do cortisol principalmente exógeno e endógeno. O cortisol interfere na produção de TSH, com isso não tem produção de TSH e não tem produção de hormônio tireoidiano.
O corticóide age na hipófise, com isso vc não tem produção de TSH. A hipófise e a glândula estão normais, mas 
T4 e o TSH vão estar baixos.
Se vc suspeita que o animal tem hipo vc tem que suspender o glicocorticóide para submeter esse animal a um teste diagnostico. 
Mais raro ainda
Hipotireoidismo congênito (no humano é conhecido como cretinismo, por isso faz o teste do pezinho que vê o nível de hormônio tireoidiano) é quando o animal nasce com deficiência total do hormônio tireoidiano. Ele tem toda uma alteração física, como nanismo (confundido com deficiência de GH), tem um aumento de língua, tem retardo, tem mais alterações clinicas nesse hipotireoidismo congênito. 
Apresentação clinica
O problema está no diagnóstico, porque os testes específicos são falhos, não tem teste especifico que tem 100% de certeza.
Idade: é uma doença de animal adulto a idoso, de 5, 6, 7 anos.
É uma doença de raças de médio porte a grande, acomete com menos freqüência as raças de pequeno porte
Não tem predileção sexual, tanto machos cômo fêmeas são acometidos.
Raças: golden, labrador, Cocker, e também no shitzu, bulldog Frances, .... mas a predileção racial tem muito com a raça predominante no momento. Mas em todos os animais podem ter.
Sintomas
Os hormônios tireoidianos tem efeitos em múltiplos órgãos, todos os sistemas são afetados pelo hipo.
Não existe um sinal patognomonico, vai 
O hipo não vai poder estar presente com um único sinal. Tem que tentar detectar na anamnese e no exame físico.
- metabólicos (85%) 
-letargia
-intolerancia ao frio: ex. Cocker que gosta de ficar de roupinha, labrador preto que meio dia está deitado no sol. Porque o hormonio tireoidiano é que faz a termoregulação.
-ganho de peso (obesidade): cuidado, o animal ganha peso, mas quando lemos o estudo de obesidades caninas, num gráfico, o hipo tem uma fatia muito pequena relacionada a obesidade, então o ganho de peso no hipo é um ganho de 2 a 3 kg. Mas o animal não está comendo mais (isso é uma suspeita)
-intolerancia exercício: cão que começa a diminuir a sua disposição pra caminhar, quando ele está andando ele já fica mais cansado. 
Mixedema: infiltrado de mucopolissacarídeos que acomete o animal com hipo, é a chamada face trágica, 
Caso: beagle, teve ganho de peso
Sintomas
- dermatológicos (80%)
. escamas e crostas
. alopecia (área de atrito, flanco e tronco). Os hormônios tireoidianos são responsáveis em estimular o crescimento de pelo. Se eu não tenho crescimento do pelo, nas áreas de atrito, o pelo vai cair mais fácil,