283_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

283_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.202 materiais39.786 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
269
2.2.2 - Radioventossondas.
Esse processo consiste na determinação da direção e da velocidade do vento através das
sucessivas posições de uma radiossonda (ver Capítulo IV) em vôo, obtidas eletronicamente. As
radiossondas modernas estão equipadas com uma unidade GPS (Global Positioning System),
capaz de fornecer, a qualquer instante do vôo, sua posição na atmosfera. Os sinais recebidos
pelos sensores são instantaneamente transmitidos pela radiossonda para a superfície, são repas-
sadas a um circuito acoplado a um microcomputador que os interpreta.
3. Alguns aspectos da fluidodinâmica.
3.1 - Trajetórias e linhas de corrente.
A caracterização do campo do escoamento do ar é usualmente efetuada analisando o
vento (movimento bidimensional) em diferentes níveis. Os movimentos verticais em qualquer ca-
mada, limitada por dois desses níveis, são deduzidos a partir da variação do vento em cada uma
delas. Por exemplo: pode-se inferir que em um centro de baixa pressão o movimento do ar é as-
cendente, apenas observando que o vento é convergente à superfície (nível inferior) e divergente
mais acima.
Há duas maneiras distintas de se estudar o movimento de um fluido isto é, de definir um
campo de escoamento:
- o método euleriano, que considera a velocidade de diferentes partículas do fluido, simulta-
neamente, em um determinado instante; e
- o método lagrangeano, que acompanha o movimento de partículas específicas desse flui-
do com o tempo. 
O método euleriano fornece uma visão instantânea, puramente sinótica, do escoamento.
Isto é obtido traçando-se linhas tangentes à velocidade observada simultaneamente em diferentes
pontos do escoamento, denominadas linhas de corrente. A evolução temporal do escoamento é
estudada pela disposição dessas linhas em instantes sucessivos.
No outro método, determinam-se linhas das quais o vetor velocidade das partículas, ao
longo do tempo, é tangente. A abordagem lagrangeana exige que a trajetória de determinadas
partículas do fluido seja conhecida, o que é difícil de se obter em se tratando da atmosfera.
Em resumo, o método euleriano corresponde a uma visão instantânea (conceito sinótico)
do movimento de várias partículas, enquanto que o método lagrangeano permite visualizar as su-
cessivas posições de uma mesma partícula (conceito substantivo) ao longo do tempo. É claro que
as linhas de corrente só coincidem com as trajetórias no caso particular do escoamento ser uni-
forme.
Embora os dois métodos conduzam aos mesmos resultados, em Meteorologia adota-se
(no estudo do movimento da atmosfera) a análise das linhas de corrente, que são mais fáceis de