A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Síndrome de Cushing e Addison

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 Amaríntia Rezende – Interpretação de Exames Laboratoriais 
GLÂNDULA ADRENAL 
 
 Córtex adrenal 
o Zona glomerulosa: aldosterona 
o Zona fasciculada: cortisol 
o Zona reticulada: testosterona e 
estrógeno 
 Medula adrenal: epinefrina e noradrenalina 
CONSIDERAÇÕES GERAIS 
 Mineralocorticoides: Aldosterona, participa do 
sistema RAA (equilíbrio hidroeletrolítico, 
retenção de água e sódio, excreção de potássio) 
 Glicocorticoides: Cortisol, hormônio do estresse 
(propicia energia para situações de estresse), 
evita hipoglicemia, reduzindo a ação da insulina, 
catabolizando proteínas e gordura, efeito anti-
inflamatório. 
HIPOADRENOCORTICISMO 
 Doença de Addison 
 Primário: adrenalite linfocítica em 90% dos casos 
tem como a maior consequência clínica a 
diminuição da aldosterona com acúmulo de 
potássio e perda e sódio. 
 Secundário: Neoplasia hipofisária. Não liberando 
ACTH. Ou iatrogênico por uso de esteroides e 
ainda por uso de doses excessivas de mitotano e 
trilostano. 
FATORES PREDISPONENTES 
 Animais de 3 a 6 anos de idade 
 70% em fêmeas castradas. 
 Rara em felinos 
 Raças: Poodle padrão (mais comum), Great Dane, 
Rottweiller, São-Bernardo. 
SINAIS CLÍNICOS 
 Letargia, fraqueza, hipoglicemia 
 Diarréia, vômito, dor abdominal, anorexia 
 Hipercalemia, hiponatremia 
 PU e PD 
 Hipotensão, hipovolemia, desidratação e choque 
ACHADOS LABORATORIAIS 
 Hemograma normal em um cão muito mal 
 Eosinofilia e discreta linfocitose 
 Eritrograma não ajuda muito 
 Urinálise: densidade baixa 
 Hiponatremia e hipercalemia 
 Hipocloremia também pode ocorrer 
 No hipoadrenocorticismo secundário não há 
alteração eletrolítica. 
 Azotemia em 95% dos pacientes (desidratação) – 
pré renal 
 Hiperfosfatemia também ocorre pela diminuição 
da TFG e desidratação – cuidado para não 
confundir com IRC 
 Hipercalcemia (10 a 30% dos casos) 
 Hipoglicemia (10 a 30% dos casos) 
 Elevação de ALT e FA (30 a 50% dos casos) 
TESTES DIAGNÓSTICOS 
CORTISOL BASAL 
 < 1 ug/Dl 100% de sensibilidade 
 >1 e 2 ug/dl suspeito 
 >2 ug/dl exclui o hipoadrenocorticismo 
 A dosagem de cortisol basal diagnostica 
hipoadrenocorticismo primário e secundário, 
porém se for iatrogênico o cortisol estará normal. 
 Cortisol basal entre 1 e ug/dl deve realizar o teste 
de estimulação com ACTH. 
TESTE DE ESTIMULAÇÃO DE ACTH 
 Colher amostra para cortisol basal 
 Aplicar ACTH (5ug/cão) 
 Colher sangue basal 1 hora após 
 Falha ao elevar o cortisol acima de 2ug/dl é 
diagnóstico de hipoadrenocorticismo. 
HIPERADRENOCORTICISMO 
 Síndrome de Cushing 
 Primário: Tumor funcional da adrenal (50% 
maligno), acomete 10 a 15% dos casos em cães. 
 
2 Amaríntia Rezende – Interpretação de Exames Laboratoriais 
 Secundário: Tumor funcional da hipófise que 
secreta ACTH (80% ou mais dos casos em cães e 
100% em felinos). 
 Iatrogênico: uso de esteroides exógenos. 
 A causa secundária causa hipertrofia das 
adrenais, elevação de ACTH. Quando maligno 
(macroadenoma ou carcinoma) em 10 a 20% dos 
casos pode acometer sistema nervoso central 
com sinais visuais e neurológicos. 
 O primário atrofia a adrenal, ocorre pelo 
feedback negativo com cortisol e secreção 
diminuída de ACTH e CRH hipotalâmico. 
FATORES PREDISPONENTES 
 Raro em felinos. 
 As raças mais afetadas são Poodle, Teckel e 
Yorkshire Terrier e sem raça definida podem ser 
afetados. 
SINAIS CLÍNICOS 
 Ocorre pela elevação de glicocorticoides. 
 Alopecia, polifagia, poliúria 
 Distensão abdominal 
 Definhamento muscular 
 Vasos sanguíneos abdominais distendidos 
 Comedões, calcinose cutânea 
 Cistites. 
 
ACHADOS LABORATORIAIS 
 Leucograma do estresse (leucocitose por 
neutrofilia madura, linfopenia, eosinopenia e 
monocitose) 
 Alguns casos com elevação de Ht, hemácias 
nucleadas sem regeneração 
 Trombocitose evidente 
 Elevação da FA ocorre em 90% dos casos, bem 
sensível, porém podem ser elevações discretas a 
marcadas. Deve ser realizado diagnóstico 
diferencial para outras doenças. 
 Elevação da ALT 
 
 Hipercolesterolemia e/ou hipertrigliceridemia 
(lipólise visceral e diminuição da remoção de 
triglicérides plasmáticos) 
 Hiperglicemia discreta 
 Urinálise: Densidade de 1,004 a 1,020 (mais 
diluída), cistite, bacteriúria e proteinúria. 
 Resultado da interferência do cortisol com o ADH. 
 Desafio para diferenciação de hipotireoisimo e 
hiperadrenocorticismo. 
TESTES DIAGNÓTICOS 
PROPORSOL CORTISOL:CREATININA 
URINÁRIA 
 Teste de exclusão 
 Colher a 1ª urina da manhã em casa sem estresse 
(10 dosagens em dias diferentes). 
 Solicitar dosagem de cortisol e creatinina. 
 Solicitar proporção de cortisol e creatinina 
 Proporção < 15 exclui o HAC 
 Proporção > 15 realizar outros métodos 
 80% dos cães com estresse ou doenças que 
causem estresse possuem elevação da 
proporção. 
TESTE DE SUPRESSÃO COM 
DEXAMETASONA 
 Animais normais supressão da liberação de 
cortisol 
 Animais com hiperadrenocorticismo não 
apresentarão a supressão 
 Dosar cortisol basal 
 Aplica 0,01mg/kg de dexametasona IV 
 Colher amostra 4 e 8h depois 
 Se < 1,0 ug/dl exclui o HAC 
 Se >1,4 referência para HAC 
TESTE DE ESTIMULAÇÃO COM ACTH 
 Colher cortisol basal 
 Aplicar o ACTH 5ug/kg IV 
 Colher o sangue após 60min 
 Cortisol < 2,0ug/dl hipoadrenocorticismo 
 
3 Amaríntia Rezende – Interpretação de Exames Laboratoriais 
 Cortisol >2,0ug/dl e <17ug/dl cães normais 
 Cortisol >17 ug/dL e 21 ug/dl cães suspeitos 
 Cortisol >21 ug/dl cães com HAC