A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Hipertireoidismo e Hipotireoidismo

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 Amaríntia Rezende – Interpretação de Exames Laboratoriais 
HORMÔNIOS TIREOIDIANOS 
FUNÇÃO: 
 Controla o metabolismo celular 
 Metabolismo lipídoco, proteico e de carboidratos 
 Estimulam a calorigênese 
 Efeito hiperglicemiante 
 Participa da secreção e degradação hormonal 
 Estimula a eritropoese 
 Afinidade as catecolaminas (efeito 
simpatomimético) 
 Estimulam a formação e reabsorção óssea. 
 Doença eutireoidea: problemas não tiroideanos 
que diminuem o T4T e produzem o T3 reverso T4 
livre é menos atingido pela doença não 
tireoideana. Ocorre diminuição da albumina. Não 
há elevação do TSH. 
HIPERTIREOIDISMO FELINO 
 Geralmente por adenoma tireideano (primário). 
Gatos idosos em 95% dos casos eleva T4 total 
 
SINAIS CLÍNICOS 
 Hiperatividadede, polifagia, perda de peso 
 Caquexia 
 Anormalidades cardíacas (hipertrofia do VE), 
taquicardia, efusão, edema pulmonar, 
hipertensão 
 PU/PD, vômito 
 Alopecia irregular, pelos emaranhados 
 Fezes volumosas e diarréia. 
ACHADOS LABORATORIAIS 
 Azotemia pela desidratação, poliúria (20%), pré 
ou renal concomitante (idosos) 
 Hiperfosfatemia sem azotemia (25 a 40%) 
 Leucograma de estresse 
 Diminuição da frutosamina (hipoalbuminemia) 
 Policitemia discreta por desidratação ou anemia 
arregenerativa por IRC concomitante 
 Presença de hemácias nucleadas sem anemia 
 Elevação de FA (70%) (fígado, ossos e intestino) 
 Elevação discreta de ALT e AST (90%) 
TESTES DE RASTREAMENTO 
 Dosagem de T4 total (90 a 95%) 
 Palpação do local, exames de imagem 
 Realizar supressão de T3 total 
 Teste de supressão de T3 
 Obter a amostra basal de T3 total e T4 total 
 Dar 7 doses de T3 (25UG/gato) a cada 8h e 2 a 4h 
após fazer as mesmas mensurações 
 Animais normais ou com doenças não 
tireoideanas tem uma diminuição de T4 total em 
até 50% 
 Animais hipertireoideos: sem alterações de T4 
total 
HIPOTIREODISMO CANINO 
 O hipotireoidismo se caracteriza pela produção 
ineficiente dos hormônios tireoideanos pela 
glândula tireóide, com consequente diminuição 
da atividade metabólica do organismo animal. 
 Mais comum na espécie canina. 
 O hipotireoidismo primário, resultante de uma 
destruição gradural do parênquima da tireóide. 
Tireoidite linfocítica ou atrofia idiopática da 
tireóide - 95% dos casos. 
 O hipotireoidismo secundário (hipofisário) é 
causado por uma diminuição na secreção de 
hormônio tireóide-estimulante (TSH), ocorrendo 
em menos de 5% dos casos. 
 O hipotireoidismo terciário ocorre devido à 
deficiência na secreção do hormônio liberador de 
tireotropina (TRH) por neurônios do hipotálamo. 
 As causas iatrogênicas do hipotireoidismo 
incluem o tratamento com iodo, a administração 
de fármacos antitireoideanos e a tireoidectomia 
cirúrgica. 
 Menos comumente, a neoplasia tireoideana 
bilateral ou a invasão da tireóide por neoplasia 
metastática pode resultar em hipotireoidismo. 
SINAIS CLÍNICOS 
 O hormônio tireóideo exerce o controle na taxa 
metabólica e no consumo de oxigênio na maioria 
dos tecidos. 
 Sua deficiência resulta na maioria das vezes em 
alterações metabólicas como letargia, 
inatividade, ganho de peso sem aumento do 
 
2 Amaríntia Rezende – Interpretação de Exames Laboratoriais 
apetite, intolerância ao frio, retardo mental e 
intolerância a exercícios. 
 Sinais cutâneos clássicos incluem alopecia 
bilateral geralmente simétrica não pruriginosa 
que poupa a cabeça e as extremidades. 
 Hiperqueratose e hiperpigmentação podem 
ocorrer. 
 A cauda do animal pode ser afetada sendo 
denominada cauda de rato. 
 
 Um acúmulo dérmico de mucopolissacarídeos 
pode levar a um edema não penetrante 
denominado mixedema que ocorre 
particularmente na área facial produzindo a 
chamada “fácies trágica” clássica, associada ao 
hipotireoidismo. 
 
ACHADOS LABORATORIAIS 
 Hipercolesterolemia e hipertrigliceridemia. 
Devido a uma redução de lipólise lipoprotéica 
periférica, redução de utilização hepática e 
aumento da produção hepática de colesterol. 
 
 
 Anemia arregenerativa normocítica 
normocrômica discreta é um achado de menor 
consistência. Devido à ausência de efeito 
estimulatório direto dos hormônios tireoidianos 
nos precursores eritróides na medula óssea e a 
queda nas demandas periféricas pelo oxigênio 
parecem ser os responsáveis. 
 Contagem de plaquetas pode estar normal ou 
aumentada. 
 Pode ocorrer aumento de leve a moderado nas 
atividades da CPK, ALT, AST, GGT e FA, 
 
DIAGNÓSTICO 
 O diagnóstico do hipotireoidismo é baseado nos 
sinais clínicos, testes de função da tireóide e na 
resposta da terapia de reposição hormonal. 
 Os testes da função da glândula tireóide, que 
mensuram as concentrações de T4 e fT4 
juntamente com a concentração sérica de TSH, 
são os mais indicados e utilizados para avaliar a 
função da tireóide em cães suspeitos de 
hipotireoidismo. 
 TSH canino. 
TRATAMENTO 
 O tratamento inicial com levotiroxina sódica (T4 
sintética) é a droga de escolha para o tratamento 
de hipotireoidismo. 
 A levotiroxina aprovada para o uso em cães é a 
Soloxine®. A dose inicial é 22 g/kg (0,02 mg/ kg, 
VO; dose máxima: 0,8 mg por dia) a cada 12 ou 
24 horas com o aumento progressivo quando 
necessário