Hisória do Direito Brasileiro - Apostila (79)
4 pág.

Hisória do Direito Brasileiro - Apostila (79)


DisciplinaHistória do Direito Brasileiro10.835 materiais256.357 seguidores
Pré-visualização1 página
Professora: Sabrina Welsch
Capitulo 1 - Aula 1
Introdução
Direito Tributário
Preparatório OAB
01
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Curso Preparatório OAB - Direito Tributário
Professora: Sabrina Welsch
Introdução
A ciência das finanças - estuda, modernamente, os princípios que regulam a 
atividade estatal desenvolvida para a obtenção e administração dos ingressos 
necessários para que o estado possa, segura e concretamente, efetuar os gastos 
necessários à situação das necessidades coletivas, ou sociais.
A. A RECEITA PÚBLICA
"Obtenção de recursos pecuniários"
B. A GESTÃO
"Administração e conservação do patrimônio público"
C. A DESPESA PÚBLICA
"Aplicação efetiva dos recursos nos fins almejados pelo estado"
ENTRADAS PÚBLICAS - compreendem toda e qualquer importância recolhida, a 
qualquer título, para os cofres públicos.
RECEITAS PÚBLICAS - compreendem apenas os valores recolhidos com caráter 
definitivo, ou seja: incorporam-se ao patrimônio estatal, sem a necessidade de 
devolução posterior - vem acrescentar, como elemento novo positivo.
RECEITA É ENTRADA PÚBLICA, MAS NEM TODA ENTRADA É RECEITA 
PÚBLICA.
Ficará a cargo do DIREITO FINANCEIRO a regulamentação para a obtenção, a 
gestão e a aplicação dos meios materiais necessários à realização de seus fins.
É o DIREITO TRIBUTÁRIO que rege a forma pela qual o Estado \u2013 sujeito ativo 
\u2013instituidor e arrecadador de tributos \u2013 é controlado e também como a lei exerce o 
controle sobre os entes tributantes.
Situado no Ramo do Direito Público, objetiva ressaltar que suas normas têm 
caráter obrigatório, não podendo ser alteradas os suprimidas por vontade dos 
particulares.
02
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
Relação do Direito Tributário com outros ramos do direito
Embora exista a autonomia do Direito Tributário, este mantém uma 
interdisciplinaridade com os demais.
COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
Com a atribuição de competências distribui-se o próprio poder de instituir e de 
cobrar os tributos. Além dos impostos elencados no art. 153 CF, temos a Carta 
Política atribuindo à União a competência residual, com base no art. 154 CF.
Cabe-lhe ainda as taxas relativamente a matérias previstas nos artigos 21 e 22 da 
Constituição; de contribuição de melhoria, segundo art. 145, IIII; de empréstimos 
compulsórios, art. 148 CF; de contribuições sociais (genéricas); de intervenção no 
domínio econômico e de interesse de categorias profissionais ou econômicas, face 
ao art. 149 CF e de contribuições sociais destinadas à seguridade social, em 
conformidade com os artigos 195 e 237 CF.
A rigor, a Constituição Federal atribuiu aos Estados e ao Distrito Federal os 
impostos elencados no artigo 155 CF e em alguns casos, os arrolados no art. 156 
CF.
Podem os Estados e o Distrito Federal, também instituir as taxas, a teor das 
matérias previstas nos artigos 23 a 25 CF e a contribuição de melhoria, segundo o 
artigo 145, III CF.
A Carta Magna outorgou competência aos Municípios para a instituição dos 
impostos previstos no art. 156, além das taxas referentes às matérias previstas nos 
artigos 23 a 25 CF. Outorgou ainda, as contribuições de melhoria segundo o art. 
145 CF, e a contribuição cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício 
destes, do regime previdenciário, de que trata o art. 40 CF, cuja alíquota não será 
inferior à da contribuição dos servidores titulares de cargos efetivos da União, em 
consonância com o art. 149 e § 1º CF. Facultou a instituição de contribuição para o 
custeio do serviço de iluminação pública - art. 149-A CF.
"Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, assim como a inclusão em qualquer sistema de processamento de 
dados. A violação do direito autoral é crime punido com prisão e multa (art. 184 do Código Penal), sem prejuízo da busca e apreensão do
material e indenizações patrimoniais e morais cabíveis (arts. 101 a 110 da lei 9.610/98 - Lei dos Direitos Autorais).\u201d
www.r2direito.com.br
03
A competência tributária é indelegável, salvo atribuição das funções de 
arrecadar ou fiscalizar tributos, ou de executar leis, serviços, atos ou 
decisões administrativas em matéria tributária, conferida por uma pessoa 
jurídica de direito público a outra, nos termos do § 3º do artigo 18 da 
Constituição.