A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
114 pág.
RSU-AULAS-IPOGset-09

Pré-visualização | Página 3 de 7

10%
28%
9%7%
36%
10%
Vidro Papel Plástico Metal M.O. Outros
No Brasil, Resíduo 
Urbano tem alto teor 
de Matéria Orgânica 
(> 50%)
RSU – Origem Definição Características
Composição percentual média do lixo domiciliar em diferentes 
localidades
RIO DE JANEIRO SALVADOR FORTALEZA
Vidro
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
PORTO ALEGRE DISTRITO FEDERAL BELO HORIZONTE
SÃO PAULO SÃO CARLOS SALTINHO
Metal
Plástico
Papel
Outros
RSU – Origem Definição Características
Variação do peso específico com o poder aquisitivo - RJ
150
200
250
P
e
s
o
 
E
s
p
e
c
í
f
i
c
o
 
(
k
g
/
m
3
)
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
0
50
100
150
L
e
b
l
o
n
C
o
p
a
c
a
b
a
n
a
C
e
n
t
r
o
B
o
t
a
f
o
g
o
V
i
l
a
 
I
s
a
b
e
l
S
.
 
C
r
u
z
C
.
 
G
r
a
n
d
e
B
a
n
g
u
P
e
s
o
 
E
s
p
e
c
í
f
i
c
o
 
(
k
g
/
m
3
)
Índice
1. Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil
2. Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos
3. Modelos Institucionais
4. Legislação e Licenciamento Ambiental
5. Resíduos Sólidos: Origem, Definição, Características
6. Projeção das Quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
6. Projeção das Quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos
7. Acondicionamento dos Resíduos Sólidos Urbanos
8. Coleta e Transporte dos Resíduos Sólidos Urbanos
9. Transferência de Resíduos Sólidos Urbanos
10.Limpeza de Logradouros Públicos
11.Recuperação de Recicláveis
12.Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos
13.Disposição Final de Resíduos Sólidos Urbanos
Geração per capita
� Importante para todo o sistema de gestão de resíduos sólidos, com influência direta no
planejamento.
� Fundamental para o dimensionamento dos serviços.
� Elemento básico para a determinação da taxa de coleta e destinação dos resíduos sólidos.
� Produção per capita: 0,5 – 1,0 kg/hab.dia
Projeção das Quantidades de RSU
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Variação Semanal da Geração de Resíduos Sólidos
0
5
10
15
20
25
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
Q
u
a
n
t
i
d
a
d
e
s
 
d
e
 
L
i
x
o
Geração de Lixo
Coleta de Lixo
Variação Mensal da Geração de Resíduos Sólidos
40
60
80
100
120
140
1 3 5 7 9
1
1
1
3
1
5
1
7
1
9
2
1
2
3
2
5
2
7
2
9
Dias do Mês
P
e
r
c
e
n
t
u
a
l
M
é
d
i
o
 
d
e
 
R
e
s
í
d
u
o
s
Fonte: Comlurb/RJ
Geração per capita
Projeção das Quantidades de RSU
Faixa populacional sede distrital 
(hab)
Poulação média estimada 
(hab)
Estimativa de geração per capita de lixo 
(kg hab/dia) 
Até 2.000 1.398 0,4
2.001 a 5.000 3.501 0,4
5.001 a 10.000 7.501 0,4
10.001 a 20.000 15.001 0,5
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
20.001 a 50.000 35.001 0,5
50.000 a 100.000 75.001 0,6
100.001 a 150.000 125.001 0,6
150.001 a 250.000 200.001 0,7
250.001 a 500.000 350.001 0,7
500.001 a 750.000 625.001 0,8
750.001 a 1.000.000 875.001 0,8
1.000.001 a 1.500.000 1.250.001 1,0
1.500.001 a 5.000.000 3.250.001 1,0
Projeção das Quantidades de RSU
Estima-se que a população 
mundial está gerando 
30 milhões de toneladas 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
de lixo por ano No Brasil
241 mil ton lixo/ano
90 mil ton
Origem domiciliar
Índice
1. Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil
2. Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos
3. Modelos Institucionais
4. Legislação e Licenciamento Ambiental
5. Resíduos Sólidos: Origem, Definição, Características
6. Projeção das Quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
6. Projeção das Quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos
7. Acondicionamento dos Resíduos Sólidos Urbanos
8. Coleta e Transporte dos Resíduos Sólidos Urbanos
9. Transferência de Resíduos Sólidos Urbanos
10.Limpeza de Logradouros Públicos
11.Recuperação de Recicláveis
12.Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos
13.Disposição Final de Resíduos Sólidos Urbanos
Acondicionamento dos RSU
Acondicionar os resíduos sólidos domiciliares significa prepará-los para a
coleta de forma sanitariamente adequada, como ainda compatível com o tipo e
a quantidade de resíduos.
Conceito 
Segundo a Lei Municipal 3.273, “acondicionamento é a colocação dos resíduos
no interior de recipientes apropriados e estanques, em regulares condições de
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
no interior de recipientes apropriados e estanques, em regulares condições de
higiene, visando a sua coleta”.
Acondicionamento dos RSU
Importância do acondicionamento adequado
• evitar acidentes
• evitar a proliferação de vetores
•minimizar o impacto visual e olfativo
• facilitar a realização da etapa de coleta
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Coleta de lixo x forma inadequada de acondicionamento de lixo. 
Principais problemas:
• demora no serviço de coleta
• catação do lixo
• espalhamento do lixo nas ruas com consequente entupimento de ralos e 
bueiros 
• acidentes com garis
Acondicionamento dos RSU
Características dos recipientes
Para um recipiente ser apropriado ele deve:
• ter capacidade para conter o lixo gerado entre coletas sucessivas;
• ser resistente e leve;
• permitir o seu fácil deslocamento;
• possuir tampa;
• ser higiênico;
•
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
•
• obedecer às normas de medicina e segurança do 
trabalho;
• não produzir barulho quando manuseado;
• permitir uma coleta rápida;
• permitir um fácil esvaziamento;
• ter aspecto visual agradável;
• custar pouco.
Acondicionamento dos RSU
Tipos de Recipientes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Tipos de Recipientes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Tipos de Recipientes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Tipos de Recipientes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Acondicionamento de grande volumes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Acondicionamento de grande volumes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Acondicionamento de grande volumes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
Acondicionamento de grande volumes
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
Acondicionamento dos RSU
É responsabilidade do cidadão o acondicionamento adequado e a
colocação do lixo para a coleta no dia, local e hora indicados pelo
órgão responsável pelos serviços de limpeza urbana.
É de responsabilidade do poder público normatizar e conscientizar a
população para que procure acondicionar de forma correta o lixo
Responsabilidade pelo acondicionamento
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede
população para que procure acondicionar de forma correta o lixo
gerado em cada domicílio.
Índice
1. Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil
2. Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos
3. Modelos Institucionais
4. Legislação e Licenciamento Ambiental
5. Resíduos Sólidos: Origem, Definição, Características
6. Projeção das Quantidades de Resíduos Sólidos Urbanos
Módulo: Resíduos Sólidos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.