tratamento_disposiçao_lixo_ipog
90 pág.

tratamento_disposiçao_lixo_ipog


DisciplinaResíduos Sólidos Urbanos30 materiais172 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Gestão Operacional de Resíduos Sólidos 
GERAÇÃO 
SEPARAÇÃO 
ARMAZENAMENTO 
APRESENTAÇÃO 
RECUPERAÇÃO 
- Reciclagem 
- Reutilização 
\u2022TRANSPORTE 
\u2022Direto 
\u2022Transferência 
\u2022TRATAMENTO 
\u2022Incineração 
\u2022Compost 
\u2022Recuperação 
\u2022DISPOSIÇÃO FINAL 
\u2022Aterro sanitário 
\u2022Aterro sanitário 
manual 
COLETA 
VARRIÇÃO 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
 Tratamento e Disposição Final 
de Resíduos Sólidos Urbanos 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Disposição Inadequada de Resíduos Sólidos 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
 A Situação da Destinação Final no Brasil 
Incineração 
1,0 % 
Unidades de 
Triagem e 
Compostagem 
3,2 % 
Aterro Sanitário 
13,8 % 
Aterro Controlado 
18,4 % 
Céu Aberto 
63,6 % 
Fonte: IBGE 2004 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Tratamento de RSU 
\u2022 Tratamento de resíduos sólidos são os 
procedimentos utilizados com o intuito de 
reduzir a quantidade (volume) ou o potencial 
poluidor destes resíduos. Isto é possível 
através da compactação, trituração, 
reciclagem, incineração ou transformação do 
mesmo em material inerte ou biologicamente 
estável(composto). 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DO LIXO 
PROCESSAMENTO E RECUPERAÇÃO 
LIXO 
BRUTO 
REDUÇÃO MECÂNICA 
DO VOLUME 
RECUPERAÇÃO 
E RECICLAGEM 
SELEÇÃO MANUAL 
SEPARAÇÃO POR 
PENEIRAMENTO 
SEPARAÇÃO 
GRAVIMÉTRICA 
SEPARAÇÃO 
ELETROMAGNÉTICA 
SEPARAÇÃO POR 
VIA ÚMIDA 
SEPARAÇÃO 
ÓTICA 
PRENSAGEM E 
ENFARDAMENTO 
TRITURAÇÃO 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Gestão Operacional de Resíduos Sólidos 
GERAÇÃO 
SEPARAÇÃO 
ARMAZENAMENTO 
APRESENTAÇÃO 
RECUPERAÇÃO 
- Reciclagem 
- Reutilização 
\u2022TRANSPORTE 
\u2022Direto 
\u2022Transferência 
\u2022TRATAMENTO 
\u2022Incineração 
\u2022Compost 
\u2022Recuperação 
\u2022DISPOSIÇÃO FINAL 
\u2022Aterro sanitário 
\u2022Aterro sanitário 
manual 
COLETA 
VARRIÇÃO 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
 
 
 
PROCESSAMENTO E RECUPERAÇÃO 
REDUÇÃO MECÂNICA DO VOLUME 
\uf0a7 Redução do volume de transporte e de disposição final 
 
 
TRITURAÇÃO 
 Transformação em material homogêneo 
 
 Moinhos de eixos vertical e horizontal 
 
 Incremento da decomposição do conteúdo orgânico 
 
 Custo elevado de manutenção 
 
 Desgaste excessivo de equipamentos 
 
PRENSAGEM E ENFARDAMENTO 
 Similar às prensas de sucata e enfardadores de feno e papel 
 
 Blocos compactados: peso específico = 0,6 a 1,0 t/m³ 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
PROCESSAMENTO E RECUPERAÇÃO 
MÉTODOS DE SEPARAÇÃO 
\uf0a7SELEÇÃO MANUAL 
 Materiais de médio porte manuseáveis 
 Esteira transportadora, b = 1m, v = 0,3 m/s 
 
 
SELEÇÃO POR PENEIRAMENTO 
 Peneiras vibratórias ou cilíndricas 
 Separação segundo o tamanho 
 
 
SEPARAÇÃO GRAVIMÉTRICA 
 Ação mecânica sobre partículas de maior ou menor massa e aderência 
 Esteiras oscilatórias inclinadas 
 Centrífugas 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
\uf0a7SEPARAÇÃO ELETROMAGNÉTICA 
 Remoção de metais ferrosos 
 Correia magnética e tambor magnético 
 
 
SEPARAÇÃO POR VIA ÚMIDA 
 Flotação 
 
 
SEPARAÇÃO ÓTICA 
 Classificação pela cor 
 Sensor fotoelétrico e impelidor de jato de ar 
PROCESSAMENTO E RECUPERAÇÃO 
MÉTODOS DE SEPARAÇÃO 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DO LIXO 
PROCESSAMENTO E RECUPERAÇÃO 
 
LIXO 
PROCESSADO 
DECOMPOSIÇÃO DO 
CONTEÚDO ORGÂNICO 
DIGESTÃO/COMPOSTAGEM 
INCINERAÇÃO C/ 
APROVEITAMENTO 
ENERGÉTICO 
DISPOSIÇÃO FINAL 
AERÓBIA 
ANAERÓBIA 
ATERRO SANITÁRIO 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Tratamento de RSU 
\u2022 Incineração 
 É um processo térmico, no qual o material é 
queimado em altas temperaturas (geralmente acima 
de 900°C e recomendável 1200°C), em mistura com 
uma quantidade de ar e durante um tempo pré-
determinado. Neste processo de queima controlada, 
os RSU são transformados completamente em 
resíduos inertes. Os compostos orgânicos são 
reduzidos a seus constituintes minerais, 
principalmente, dióxido de carbono gasoso, vapor 
d\u2019água e sólidos inorgânicos (cinzas). Ocorre, 
geralmente, na presença de oxigênio. Propicia a 
redução de volume e peso. 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Tratamento de RSU 
\u2022 Compostagem 
 É um processo natural de decomposição biológica de 
materiais orgânicos, de origem animal ou vegetal, 
pela ação de microorganismos. Não é necessária a 
adição de componentes químicos ou físicos para que 
ocorra. O seu produto é chamado de composto, que 
é um condicionador de solos, podendo ser aplicado 
ao solo para melhorar suas características, sem 
ocasionar risco ao meio ambiente. 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Tratamento de RSU 
\u2022 Reciclagem 
 É o processo através do qual os resíduos 
retornam ao sistema produtivo como matéria 
prima(Logística Reversa/Ciclo de Vida). A 
reciclagem pode ser entendida como uma 
forma de recuperação energética, já que, com 
a reciclagem, exige-se menos energia para a 
produção de materiais do que usando a 
matéria-prima virgem. 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Destino Final dos RSU 
\u2022 Aterro sanitário 
 É um processo utilizado para a disposição de 
resíduos sólidos no solo, fundamentado em 
critérios de engenharia e normas operacionais 
específicas, permitindo um confinamento 
seguro em termos de controle de poluição 
ambiental e proteção à saúde pública. 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Tratamento de RSU 
 
 Incineração 
 
 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Histórico dos Incineradores 
\u2022 A primeira unidade de incineração foi 
construída no mundo em 1874 na cidade de 
Nottingham, Inglaterra. 
\u2022 No Brasil, o primeiro incinerador para lixo 
municipal foi instalado em Manaus, em 1896, 
com capacidade para processar 60t/dia de lixo 
doméstico. 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Evolução dos Incineradores 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Disposição e Tratamento 
\u2022 Incineração 
 
\u2013 Lixo é reduzido cinzas, escórias e gases decorrentes de sua 
combustão(< 20% vol. inicial). 
\u2013 Há um ganho na vida útil do aterro, devido a redução de 
volume (aprox. 80% vol. Inicial) de resíduos a serem 
dispostos. 
\u2013 Composição da carga alimentada determina as condições 
de operação. 
\u2013 Altos custos de investimento, operação e manutenção. 
 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Etapas da Incineração 
\u2022 Pré-tratamento 
\u2022 Incineração 
 * Combustão primária \u2013 dura de 30 a 120 min, 
a cerca de 500 a 800°C. 
 * Combustão secundária \u2013 dura cerca de 2 seg, 
a 1000°C ou mais. 
 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Modelo esquemático de incinerador de grelha fixa 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
Evolução da Incineração Evolução da Incineração 
Módulo: Resíduos Sólidos Urbanos, Industriais e Agrícolas Professor: Álvaro Cantanhede 
 Planta atual de incineração de resíduos sólidos